Achei Sudoeste

BUSCA PELA CATEGORIA "Economia"

14 Dez 2017 - 12:30h

O plenário do Senado aprovou na quarta-feira (13) projeto de lei que cria um novo programa de parcelamento de débitos tributários, conhecido como Refis, para micro e pequenas empresas. A matéria segue para sanção presidencial. Para aderirem ao programa, as empresas terão de pagar entrada de 5% do valor da dívida, que poderá ser dividida em até cinco parcelas consecutivas. De acordo com o Estadão, o saldo restante após a entrada poderá ser pago de três formas diferentes: à vista, com desconto de 90% em juros e 70% em multa; parcelado em 145 meses, com abatimentos de 80% e 50%, respectivamente; e em 175 meses, de 50% e 25%. O prazo de adesão será de 90 dias, contados após a promulgação da lei. Poderão ser inseridos no programa os débitos vencidos até novembro de 2017 e apurados na forma do Simples Nacional. O Refis permite que empresas que já possuam outro tipo de parcelamento possam fazer migração, se considerarem que será mais vantajoso.

08 Dez 2017 - 14:30h

A inflação de produtos e serviços desacelerou no Brasil e acumula, no ano, avanço de 2,5% - o mais baixo para o mês de novembro desde 1998, segundo informou nesta sexta-feira (8) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado representa mais do que o dobro da taxa registrada no mesmo período de 2016. A alta de preços também perdeu força de outubro para novembro. O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ficou em 0,28% no penúltimo mês do ano, depois de avançar 0,42% em outubro. De acordo com o G1, em 12 meses, o IPCA chegou a 2,8% - acima dos 2,7% registrados anteriormente. O número segue bem abaixo do centro da meta de inflação do Banco Central, de 4,5% no ano.

07 Dez 2017 - 11:30h

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central anunciou na quarta-feira (6) o corte da taxa básica de juros da economia brasileira de 7,5% para 7% ao ano. Essa foi a décima redução seguida na Selic, o que levou a taxa ao menor patamar desde o início da série histórica do Banco Central, em 1986, ou seja, em pouco mais de 30 anos. Economistas do mercado financeiro, contudo, trabalham com séries históricas mais antigas que a do BC – segundo estudo de Maurício Molan, do banco Santander, em 7% ao ano, a taxa interbancária "overnight" (muito próxima à Selic) é a menor dos últimos 60 anos. A queda de 0,5 ponto percentual, que já era esperada pelos economistas do mercado financeiro, representa nova redução no ritmo de corte dos juros – que havia sido de 0,75 ponto percentual no fim de outubro. O próprio BC já havia indicado que essa desaceleração aconteceria.

06 Dez 2017 - 15:30h

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central está reunido nesta quarta-feira (6) e a expectativa dos analistas do mercado financeiro é que a taxa básica de juros da economia será reduzida dos atuais 7,5% para 7% ao ano. A reunião do Copom desta quarta é a última de 2017. A decisão sobre a Selic será anunciada pelo Banco Central após as 18h. Se confirmada a previsão dos economistas, a Selic será reduzida pela décima vez consecutiva e atingirá o menor patamar desde 1986, quando começou a série histórica do Banco Central. Até agora, a menor taxa de juros já registrada é a que vigorou entre outubro de 2012 e abril de 2013, em 7,25% ao ano. Economistas do mercado financeiro, contudo, trabalham com séries históricas mais antigas que a do BC e, segundo estudo de Maurício Molan, do banco Santander, se confirmada a 7% ao ano, a taxa interbancária “overnight” (muito próxima à Selic) será a menor dos últimos 60 anos.

29 Nov 2017 - 11:30h

O governo federal registrou um superávit primário de 5,2 bilhões de reais em outubro, o primeiro resultado positivo desde abril. O resultado, que reúne as contas do Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central, acontece após o déficit de 22,7 bilhões de reais de setembro. Mesmo beneficiado pela alta de receitas no mês, especialmente com a entrada de 5 bilhões de reais do Refis, e pela antecipação do pagamento de precatórios para o primeiro semestre do ano, o resultado foi menor que o saldo positivo de 40,8 bilhões de reais de outubro de 2016 – que, por sua vez, foi inflado pelos recursos do programa de repatriação (46,8 bilhões de reais). De acordo com a Veja, apesar do dado positivo no último mês, entre janeiro e outubro deste ano, o resultado primário foi de déficit de 103,2 bilhões de reais. É o pior rombo registrado na série histórica, que tem início em 1997. Em igual período do ano passado, esse mesmo resultado era negativo em 60,362 bilhões de reais. Desconsiderando a antecipação de precatórios (processos judiciais que o governo deve pagar), que neste ano foram quitados no primeiro semestre, o déficit acumulado neste ano seria 85,2 bilhões de reais.

27 Nov 2017 - 16:30h

O Banco Central publicou nesta segunda-feira (27) uma medida que altera o prazo de compensação para cheques com valor inferior a R$ 300. O valor ficará disponível no dia seguinte ao do depósito, frente ao prazo de dois dias que é praticado atualmente. A norma entra em vigor hoje, e as instituições financeiras deverão implantar as mudanças em até 180 dias. Segundo o BC, a redução do prazo acontece em razão do avanço da tecnologia e do menor número de cheques emitidos. O número de documentos do tipo processados mensalmente caiu de 170 milhões em março de 2005 para 42 milhões em outubro 2017. Por dia, cerca de 3,42 bilhões de reais são movimentados com essa forma de pagamento, segundo dados do Banco Central. De acordo com a Veja, com a alteração, não haverá mais diferença de prazos em relação aos cheques de maior valor, que já são atualmente compensados no dia útil seguinte ao depósito. Segundo o BC, a alteração “permitirá ganho de eficiência e redução de custos, operacionais e financeiros, para todo o sistema”, disse a instituição em comunicado.

27 Nov 2017 - 12:30h

Para proprietários de veículos com placas de final zero, o prazo para a quitação do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) encerra nesta segunda-feira (27). Este é o último dia tanto para o pagamento em cota única quanto para a última parcela, no caso de quem optou por dividir a quantia em três vezes. Os contribuintes devem efetuar o débito nas agências ou caixas eletrônicos do Banco do Brasil, Bradesco do Bancoob, com o número do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam) em mãos. É necessário também quitar a taxa de licenciamento e eventuais multas relacionadas ao Renavam. A Secretaria da Fazenda do Estado (Sefaz-BA) ressalta que o boleto de pagamento do IPVA não será encaminhado aos contribuintes. Em caso de dúvidas, o recomendado é entrar em contato com a Sefaz através do 0800 071 0071.

26 Nov 2017 - 08:00h

O complexo hoteleiro Costa do Sauípe, no litoral da Bahia, foi vendido pela Previ, o fundo de pensão do Banco do Brasil, para o Grupo Rio Quente, que já possui hotéis e parques na cidade goiana de Rio Quente. O Grupo Rio Quente pagou R$ 140,5 milhões por 100% das ações da Costa do Sauípe. Cada uma das 39,7 milhões de ações foi negociada a R$ 3,80. O anúncio foi feito na última sexta-feira (24), em fato relevante enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM). De acordo com o comunicado emitido pela Previ, a conclusão do negócio ainda depende da aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica, o Cade. A Costa do Sauípe foi inaugurada em 2000, e fica a 76 km de Salvador.

24 Nov 2017 - 12:30h

O preço da gasolina no Brasil sobe 7% em apenas dois dias. A Petrobras anunciou mais uma alta de 1,9% no preço da gasolina nas refinarias nesta sexta-feira (24), um dia depois de começar a valer o reajuste de 5,1% nas cotações - em vigor na quinta (23). Os reajustes frequentes são parte de uma nova política da estatal, que prevê mudanças às vezes diárias no preço do combustível. A ideia é praticar preços alinhados ao mercado internacional, enquanto também tenta evitar perda de participação no mercado doméstico de combustíveis.

21 Nov 2017 - 10:30h

O país abriu 76.599 empregos com carteira assinada em outubro, uma alta de 0,20% em relação a setembro, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados hoje pelo Ministério do Trabalho. Esse número é reflexo da diferença entre 1.187.819 admissões e de 1.111.220 desligamentos registrados no mês passado. No ano, foram abertas 302.189 vagas formais, uma expansão de 0,79% em relação ao estoque de dezembro de 2016. Nos últimos doze meses, entretanto, o saldo permanece negativo. Foram eliminados 294.305 postos de trabalho, uma retração de -0,76% no contingente de empregados com carteira assinada de outubro de 2016. De acordo com o Caged, três dos oito setores de atividade econômica apresentaram crescimento no nível de emprego: comércio (+37.321 postos), indústria de transformação (+33.200 vínculos empregatícios) e serviços (+15.915 empregos). Houve redução de mão de obra formal em outros cinco setores: construção civil (-4.764 postos de trabalho), agropecuária (-3.551 vínculos empregatícios), serviços industriais de utilidade pública (-729 empregos), extrativa mineral (-532 postos formais) e administração pública (-261 vínculos).

16 Nov 2017 - 14:30h

As promoções da Black Friday vão atrair muitos consumidores e movimentar 2,5 bilhões de reais neste ano, segundo projeções da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm). Os preços acessíveis podem acabar causando dor de cabeça para o cliente desatento às dicas de segurança. Em junho, estudo da Unisys Security Index revelou que 62% dos brasileiros têm preocupação com a segurança nas transações online. Outros 97% afirmam ter receio da possibilidade de que suas redes sociais sejam utilizadas para fins criminosos. Segundo o diretor da Nodes Tecnologia, Eduardo Freire, apesar da preocupação, os brasileiros demoram para procurar uma solução. “A procura por antivírus cresce entre 30% e 35% nesta época, mas as pessoas esperam passar pelo problema para procurar a solução”. De acordo com a Veja, o diretor de soluções de segurança da Unisys na América Latina, Leonardo Carissimi, destacou que a primeira orientação para não cair em fraudes é desconfiar de descontos “absurdos”. “É muito comum receber pishing [mensagens falsas para obter dados] por e-mails, a primeira dica é prestar atenção à escrita e diagramação. A maioria das fraudes é mal feita. Mas também já recebi mensagem de um banco e demorei para perceber que era falsa, tudo fazia sentido, mas achei estranho porque era uma mensagem que normalmente não recebo. Quando coloquei o mouse em cima do link sem clicar, percebi que o link era falso”, disse. Na edição brasileira da Black Friday é comum que os descontos não ultrapassam 30%.

14 Nov 2017 - 10:30h

A Caixa Econômica Federal começa a pagar - a partir da próxima sexta-feira (17) - o abono salarial do Programa de Integração Social (PIS) calendário 2017/2018, ano-base 2016, para os trabalhadores nascidos em novembro. Os valores variam de R$ 79 a R$ 937. O abono estará disponível para os inscritos há pelo menos cinco anos no PIS e que tenham trabalhado com carteira assinada por pelo menos 30 dias em 2016, com remuneração mensal média de até dois salários mínimos.No total, os recursos liberados chegam a mais de R$ 1,2 bilhão para 1.778.726 de pessoas. Para obter informações sobre o valor a receber, o trabalhador pode acessar o site www.caixa.gov.br/PIS ou ligar para o telefone: 0800 726 0207. Quem tem conta na Caixa receberá o benefício automaticamente a partir de hoje (14). O trabalhador com o Cartão do Cidadão e senha cadastrada pode se dirigir a uma casa lotérica, um ponto de atendimento Caixa Aqui ou aos terminais de autoatendimento do banco. Quem não tem o cartão e não tenha recebido automaticamente em conta, o abono pode ser retirado em qualquer agência da Caixa, basta apresentar o documento de identificação.

10 Nov 2017 - 15:30h

A inflação oficial, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor - Amplo (IPCA), ganhou força de setembro para outubro, passando de 0,16% para 0,42%. No entanto, o índice acumulado no ano, que ficou em 2,21%, é o menor para outubro desde 1998. De acordo com o G1, em 12 meses até outubro, a inflação está em 2,70%, acima dos 2,54% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em outubro de 2016, na comparação mensal, o IPCA havia registrado variação de 0,26%. Em outubro, ficaram mais caras as despesas com habitação (1,33%), vestuário (0,71%), saúde e cuidados pessoais (0,52%), transportes (0,49%), comunicação (0,4%) e educação (0,06%). Os preços relativos a alimentos e bebidas (-0,05%) e a artigos de residência (-0,39%) tiveram redução de preços, de acordo com o IBGE. A energia elétrica foi o item que exerceu a maior influência sobre o IPCA. Isso porque o custo ficou, em média, 3,28% mais caro. Em outubro, entrou em vigor a bandeira tarifária vermelha patamar 2. Com isso, houve uma cobrança adicional de R$ 3,50 a cada 100 Kwh consumidos. Também pesou o valor do botijão de gás, cujo preço subiu 4,49% depois de ter sido aprovado um reajuste de 12,9% nas refinarias. O preço dos alimentos caiu em outubro, mas em ritmo menor do que o registrado no mês anterior (-0,41%). Alguns produtos ficaram mais caros, com destaque para a batata-inglesa (alta de 25,65%) e o tomate (4,88%). Na outra ponta estão o feijão-mulatinho (-18,41%), o leite longa vida (-2,99%) e o arroz (-1,14%). De acordo com o IBGE, no ano, o é o menor registrado para o período desde a implantação do Plano Real em 1994.

07 Nov 2017 - 17:30h

A partir da zero hora desta quarta-feira (8), o óleo diesel comercializado nas refinarias da Petrobras estará 2,5% mais caro, enquanto a gasolina terá reajuste de 0,6%. Na noite de ontem, a empresa já havia divulgado para hoje (7) um aumento de 2,3% para a gasolina e de 1,9% para o diesel. Em nota, a Petrobras justificou o aumento que passou a vigorar hoje como consequência “do aumento das cotações dos produtos e do barril do petróleo no mercado externo, influenciado pela geopolítica internacional, assim como pela continuidade da política de contenção da oferta pela Organização dos Países Produtores de Petróleo (Opep)”. Também contribuiu para a alta dos derivados, “a depreciação do valor do real frente ao dólar”. O reajuste no preço da gasolina nas refinarias é o quarto consecutivo concedido pela estatal este mês. Depois de iniciar outubro em queda (-0,2%), a gasolina subiu 0,9% no dia 2 e 3,6% no dia 4. Já o diesel, que também havia começado o mês em queda - 0,4% - já acumula três aumentos no mês.

04 Nov 2017 - 09:30h

Após quase quatro anos em queda praticamente ininterrupta – houve apenas um respiro, com alta de 0,4% no segundo trimestre do ano passado –, os investimentos devem começar agora a deixar o fundo do poço. A projeção é que a taxa de investimentos na economia tenha fechado o terceiro trimestre deste ano com crescimento de até 1,6%. Mas, segundo especialistas, ainda vai demorar muito tempo para se recuperar o que foi perdido nesse período: em quatro anos, a taxa de investimentos em relação ao Produto Interno Bruto (PIB) caiu de 21,1% para os atuais 15,5%. Os sinais de que há um início de reação aparecem aos poucos. O Indicador de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF, que mede os investimentos das empresas em bens de capital), calculado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), aponta que, em agosto, o investimento cresceu 0,8% em relação a agosto de 2016, após 13 meses seguidos de queda.Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a produção de máquinas e equipamentos foi destaque positivo em agosto em várias bases de comparação dentro da indústria em geral. A produção de bens de capital cresceu cinco meses seguidos – entre abril e agosto – em relação ao mesmo mês do ano passado. No acumulado de janeiro a agosto, acumula uma alta de 4,4%, enquanto a produção industrial como um todo subiu 1,5%.

04 Nov 2017 - 08:30h

A Petrobras informou nesta sexta-feira que vai aumentar o preço do Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) para uso residencial, o gás de cozinha – de botijões de até 13 kg – em 4,5%, em média, a partir da zero hora do próximo domingo (05).  De acordo com a estatal, o reajuste foi causado principalmente pela alta das cotações do produto nos mercados internacionais, influenciada pela conjuntura externa e pela proximidade do inverno no Hemisfério Norte. A variação do câmbio também contribuiu, destacou a companhia em nota. “Como a lei brasileira garante liberdade de preços no mercado de combustíveis e derivados, as revisões feitas nas refinarias podem ou não se refletir no preço final ao consumidor. Isso dependerá de repasses feitos especialmente por distribuidoras e revendedores”, explicou. O ajuste anunciado foi aplicado sobre os preços praticados sem incidência de tributos. Se for integralmente repassado ao consumidor, a companhia estima que o preço do botijão de 13 kg pode ser reajustado, em média, em 2%, ou cerca de R$ 1,21, “isso se forem mantidas as margens de distribuição e de revenda e as alíquotas de tributos”, destacou. De acordo com a Veja, o último reajuste do gás de cozinha ocorreu em 11 de outubro deste ano. Na última quarta-feira, a companhia elevou o preço do GLP industrial em 6,5%.

02 Nov 2017 - 08:30h

A venda de veículos de passeio, comerciais leves, caminhões e ônibus novos cresceu 27,56% no mês de outubro, em comparação com o mesmo período do ano passado, de acordo com dados da federação dos distribuidores, a Fenabrave, divulgados nesta quarta-feira (1º). Em outubro deste ano foram emplacados 202.860 veículos, enquanto no mesmo mês do ano passado foram 159.032. Esse foi o segundo melhor resultado de 2017, atrás apenas de agosto, que registrou 216 mil unidades. No acumulado do ano, foram vendidos 1,82 milhão de veículos novos no país.

01 Nov 2017 - 16:30h

As Casas Lotéricas de todo Brasil já estão recebendo as apostas para a Mega-Sena da Virada. Segundo a Caixa Econômica, o prêmio estimado é de R$ 220 milhões para quem acertar as seis dezenas. O sorteio será realizado na última noite do ano, no dia 31 de dezembro. Caso ninguém consiga acertar os números sorteados, não há acúmulo do prêmio, e o montante da Mega da Virada é repartido entre os apostadores que acertaram cinco dezenas, ou seja, que fizeram a quina. A aposta simples custa R$ 3,50 e pode ser feita em lotéricas.

28 Out 2017 - 09:30h

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse na sexta-feira (27), que a crise econômica no Brasil já foi superada, embora ainda restem efeitos sobre a população, como o número ainda elevado de desempregados. ‘Problema agora é persistir e não voltar atrás. Temos que continuar criando empregos. Não pode é voltar atrás, tem que seguir em frente na direção em que estamos”, afirmou. O ministro participou de almoço com o governador do Espírito Santo, Paulo Hartung, na residência oficial em Vila Velha, na Grande Vitória. Em entrevista a jornalistas, ele buscou destacar pontos positivos da economia, como a queda da inflação e dos juros, e fez um chamado aos empresários. “Faço uma convocação à classe empresarial brasileira para investir no País”, disse, assegurando que há já um ambiente de tranquilidade para aplicar recursos. “A taxa de juros vai atingir o nível mais baixo em 60 anos”, acrescentou. A Selic, hoje em 7,5% ao ano, deve ser reduzida a 7% ao ano, segundo projeção de analistas. Segundo o ministro, o País está superando a maior recessão de sua história, mas não se pode subestimar os efeitos da crise que ainda permanecem, principalmente no mercado de trabalho. Ele ressaltou, no entanto, que o governo tem envidado esforços para deixar a recessão para trás.

28 Out 2017 - 09:00h

Com a trégua nos preços, o Banco Central cortou novamente a taxa básica de juros, a Selic, reduzida agora para 7,5%. Em dezembro deve ocorrer uma nova queda, dessa vez para 7%. Sem surpresas pela frente e com a inflação controlada (abaixo da meta de 4,5% ao ano), os juros deverão ficar ao redor desse índice nos próximos meses. Trata-se de uma grande notícia. Há mais de sessenta anos os brasileiros não convivem com taxas tão baixas, exceto por um breve período entre 2012 e 2013, quando a Selic chegou a cair para 7,25%. Naquela ocasião, entretanto, a redução se deu em uma tentativa atabalhoada do governo Dilma Rousseff de fazer os juros baixar na marra. A inflação ficou mascarada por algum tempo, mas voltou com força em poucos meses — e as taxas explodiram. Agora, os juros estão caindo de maneira “sustentável”, como dizem os economistas: existem condições para diminuir o custo do dinheiro sem jogar lenha na fornalha da remarcação de preços. O alívio deverá, gradativamente, chegar às empresas e aos consumidores, dando fôlego renovado aos investimentos e ao consumo. Vários organismos já projetam um crescimento do PIB para o próximo ano na casa dos 3%. Esse cenário benigno, entretanto, dependerá de uma conjunção de fatores. O principal deles é o avanço das reformas. As informações são da Veja.