Vereadores questionam contratação de operários e impactos do parque eólico em Brumado

29 Mar 2016 - 18:00h

Em sessão realizada na última segunda-feira (28), os vereadores debateram a instalação do Parque Eólico em Brumado, questionando os aspectos positivos para a economia local e os efeitos prejudiciais ao meio ambiente. A mesa diretora emitiu um convite aos representantes das empresas responsáveis pelas obras a comparecerem a sessão para fazerem uso da tribuna livre e serem sabatinados pelo parlamento e pela população. No entanto, os representantes das empreiteiras anunciaram que só poderão atender ao convite no prazo de quinze dias. Na sessão, os vereadores cobraram respostas quanto aos critérios usados para contratação de operários. Alguns denunciaram que as empreiteiras não estão dando prioridade para a mão de obra local e estariam atendendo apenas aos indicados ou apadrinhados políticos. 

“Nosso nome está sujo na praça, pois fica parecendo que somos nós, os vereadores, que estamos por trás dessa troca de favores. Precisamos dessa audiência com os representantes das empresas para que seja esclarecido à comunidade o que de fato está acontecendo”, declarou o vereador Castilho Viana (PSB), que ainda sugeriu a criação de uma comissão parlamentar para acompanhar a implantação do Parque Eólico na região do distrito de Cristalândia. O vereador Édio Pereira (PCdoB) e os demais ainda reprovaram o posicionamento do prefeito Aguiberto Lima Dias (PDT), que se reuniu com os representantes das empreiteiras sem ter estendido o convite ao legislativo, bem como não ter promovido uma audiência com a população para debater os impactos da obra. “Isso é uma verdadeira aberração. Como uma empresa pode chegar em uma cidade sem dar as devidas explicações? Eles deveriam realizar uma audiência pública na Casa Legislativa para esclarecer todos os pontos conflitantes. Precisamos saber detalhes dos impactos ambientais da obra e também dos critérios para a seleção e contratação dos funcionários, pois temos de dar prioridade aos brumadenses e, principalmente, aos moradores da região de Cristalândia, onde será construído o parque eólico”, argumentou o vereador Weliton Lopes (DEM).

Comentários

Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixar comentário

Comentário