Brumado: Candidato a vereador acusa polícia e justiça de arbitrárias, tendenciosas e despreparadas

30 Set 2016 - 14:00h

Em um áudio divulgado no whatsapp, o candidato a vereador, Cézar Paulo de Morais Ribeiro (PDT), o Cézar de Lim, comentou sobre a prisão do seu cabo eleitoral, detido no início da noite da última quinta-feira (29), no residencial Brisas III, acusado de compra de votos. No áudio, o candidato aponta que os policiais que participaram da abordagem agiram com arrogância e parcialidade, uma vez que, segundo ele, a esposa de um dos soldados é assessora de um candidato a prefeito de uma chapa rival. Cézar de Lim ainda utilizou o termo “infelizes” e acusou os policiais de forjarem o flagrante. “Não existe imparcialidade de forma nenhuma, pois o responsável pelo pelotão é casado com a assessora de um candidato. Esses infelizes, além de fazerem uma abordagem totalmente inequívoca e ilegal, ainda inventaram que estávamos comprando voto. Esquecem de se preocupar com o que realmente importa e realizam uma apreensão ilegal, pois não tiveram provas suficientes para configurar compra de sufrágio”, afirmou. 

O candidato também alegou que o dinheiro pego com seu cabo eleitoral seria apenas para pagamento do pessoal que trabalhou na campanha. Cézar alertou os demais candidatos para não andarem com dinheiro. Para ele, as ações da justiça são ditatoriais no município. “Se essa moda pegar, evitem andar com dinheiro, pois se forem abordados será caracterizado pela justiça como compra de voto. Temos de acabar com essa justiça de ditadura, que implantou esse pessoal em Brumado que não tem preparo algum. Por isso, entrarei com várias representações na justiça para que os fatos sejam esclarecidos. Deixo esse alerta aos colegas porque essa polícia e essa justiça tendenciosas de nossa cidade podem nos prejudicar”, disse, no áudio.

Comentários

Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixar comentário

Comentário

mais notícias