MEC apura fraude em abertura de curso de Medicina na cidade de Guanambi

03 Mai 2017 - 12:00h

O Ministério da Educação (MEC) determinou a abertura de sindicância para apurar suspeita de fraude na seleção de uma instituição privada para oferecer curso de Medicina na cidade de Guanambi, no sudoeste baiano por meio do Programa Mais Médicos, durante o governo de Dilma Rousseff (PT). A decisão foi tomada pelo ministro Mendonça Filho, após o jornal Estadão questionar a pasta sobre possível troca de pareceres na concorrência. A substituição teria alterado a classificação das participantes, beneficiando uma entidade do ex-ministro do Turismo, Walfrido Mares Guia. A classificação final, que envolveu a análise das condições apresentadas pelas instituições em três etapas, foi divulgada pelo MEC em 10 de julho de 2015. Na data, foi anunciada como primeira colocada para montar o curso a Sociedade Padrão de Educação Superior. A entidade tem como um dos sócios a Samos Participações, de Walfrido. O resultado oficialmente anunciado mostrou que o Centro de Educação Superior de Guanambi - entidade controlada por empresários baianos, mantenedora da Faculdade de Guanambi - havia sido desclassificado. Porém, o Estado obteve outro parecer que coloca a mesma instituição em primeiro lugar. O Estado questionou o Ministério da Educação sobre o caso e enviou os dois pareceres divergentes. Em nota, a pasta alegou que Mendonça Filho tomou conhecimento do assunto “apenas com a informação” apresentada pela reportagem, “uma vez que se trata de processo iniciado e concluído no governo Dilma”. (Leia mais no Estadão).

Comentários

Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixar comentário

Comentário

mais notícias