Ex-agente de endemias prevê surto com abandono do setor de endemias em Brumado

29 Nov 2017 - 12:00h

Em entrevista ao site Achei Sudoeste, Renato Nascimento, que atuou durante 16 anos como agente municipal de endemias, falou sobre o abandono e a falta de investimentos na Vigilância Epidemiológica (Vigep) em Brumado. Para ele, a situação já está afetando as ações preventivas de combate à dengue, zika e a leishmaniose (calazar) na cidade. “O setor de endemias está abandonado. Já faz um ano que não há um coordenador e, com poucos agentes e nenhum investimento, nossa cidade vai sofrer com surtos ou até epidemias de dengue, zika e calazar por conta da falta de atenção da administração municipal”, alertou o ex-agente de endemias. Ele ainda chamou a atenção para o baixo efetivo de agentes que ainda resta para atender apenas a sede do município. “As comunidades rurais não estão recebendo assistência e os poucos agentes que ainda restam no setor não estão dando conta de cobrir a cidade em tempo hábil. O prefeito faz seu discurso de prevenir para não remediar e fala em investir nas unidades básicas de saúde, mas simplesmente tem virado as costas e ignorado a vigilância epidemiológica, que faz o trabalho grosso de ir até as residências combater o foco do mosquito transmissor da dengue e da zika, bem como monitorar os cães no combate ao calazar. Considero isso uma propaganda enganosa”, criticou o ex-servidor público da saúde. Nossa reportagem tentou contato com o secretário municipal de saúde para tratar do assunto, mas não obteve êxito.

Comentários

Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixar comentário

Comentário