ONG cobra atenção do poder público e apoio da comunidade para atender cães recolhidos em Brumado

07 Dez 2018 - 10:00h

O problema dos cães errantes e abandonados continua preocupando a comunidade em Brumado, que cobra do poder público uma solução para a questão. Em entrevista ao site Achei Sudoeste, a representante da ONG Auau, Marli Oliveira Lobo, disse que dezenas de cães são mantidos em uma casa alugada pela organização, que ainda dá atenção ao canil municipal, onde mais de vinte animais são abrigados. “Hoje, a quantidade de animais que a ONG acolhe é muito grande para a quantidade de voluntários e de espaço. Não temos mais como resgatar nenhum animal”, disse. Ela reforçou que a ONG vive do trabalho de apenas duas voluntárias e que não há condições de atender a tantos pedidos de resgate. Nesse sentido, Marli pediu o apoio da comunidade para atendimento desses animais recolhidos, tendo em vista que o trabalho realizado por ela é voluntário e todo mundo pode e deve ajudar. “Não recebo um real por nada, a não ser lambidas”, destacou. Para pagamento do aluguel e aquisição de ração, Marli disse que realiza rifa, entre outras ações, além de custear do próprio bolso, tudo em prol dos animais. “Faço um apelo, sei que é muito difícil. Tem tanta gente rica em Brumado, que tem terreno, e quem quiser doar um espaço para a ONG seria um presente de Natal nesse final de ano. Que fosse um local mais perto. É o meu sonho!”, afirmou.

Comentários

Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixar comentário

Comentário

mais notícias