Brasil ocupa posição vexatória na violência contra mulher, aponta Conselheira Federal da OAB

15 Abr 2019 - 12:00h

A presidente da Comissão Nacional da Mulher Advogada e Conselheira Federal da OAB-BA, Daniela Lima de Andrade Borges também esteve presente na solenidade de posse do novo presidente da 21ª Subseção, em Brumado. Em entrevista ao site Achei Sudoeste, ela destacou o fortalecimento do papel da mulher na advocacia e a defesa da mulher em todas as esferas. “A gente lança a proposta de trabalhar, tanto pela mulher advogada, mas também pela mulher em todas as dificuldades que ela encontra, hoje, na sociedade. Os números de violência contra a mulher no Brasil são alarmantes e é preciso fazer algo a respeito”, afirmou. Segundo a Conselheira, a comissão objetiva combater a violência contra a mulher em todas as suas vertentes, bem como garantir os seus direitos em questões como diferença salarial e as dificuldades enfrentadas pela mulher no próprio exercício da advocacia. Para Borges, os desafios são imensos, mas os trabalhos começaram com força diante da aprovação da Súmula nº 09, de 2019, que estabelece que a prática de violência contra a mulher pode resultar na inscrição negada para quem queira se tornar advogado. De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde, o Brasil é o quinto país que mais mata mulheres apenas por serem mulheres. “É espantoso. É uma realidade assustadora”, declarou.

Comentários

Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixar comentário

Comentário

mais notícias