Prefeitos cogitam abandonar Consórcio Regional de Saúde de Guanambi

03 Mai 2019 - 07:00h

A situação é crítica no Hospital Regional de Guanambi (HRG) e os prefeitos que fazem parte do Consórcio Regional de Saúde da cidade reclamam do atendimento na unidade. Isso porque o atendimento na unidade deveria ser regionalizado, porém concentra-se, principalmente, nos atendimentos locais, configurando-se como um hospital municipal. Em entrevista ao site Achei Sudoeste, o prefeito de Caculé, José Roberto Neves (DEM), o Beto Maradona, disse que o grupo se reuniu na última semana para discutir os pontos que precisam ser melhorados no atendimento do hospital, onde, segundo ele, existe uma grande fila de pacientes internados nos corredores. “Isso não pode acontecer e nós, como um grupo de 22 prefeitos, resolvemos nos manifestar. Falamos, discutimos e buscamos algumas soluções. O Governo do Estado tem deixado muito a desejar no que se refere à administração do hospital”, afirmou. O prefeito relatou que na unidade de saúde faltam médicos, equipamentos e até material de limpeza. Segundo ele, pacientes de Caculé encontram-se internados no local há 45 dias aguardando a realização de uma cirurgia ortopédica, o que é inadmissível. Após a reunião dos prefeitos que fazem parte do consórcio, foi encaminhado um documento ao governador solicitando uma audiência para uma solução definitiva para a problemática. “Isso não é possível de acontecer diante de tanta propaganda que o Governo do Estado faz sobre saúde e as continuam pessoas sofrendo”, cobrou. Caso a questão não seja solucionada, Maradona adiantou que os prefeitos do consórcio podem tomar uma decisão radical, que inclui a saída do grupo.

Comentários

Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixar comentário

Comentário

mais notícias