Crise no Hospital Regional de Guanambi é causada por interferências políticas, diz prefeito de Urandi

15 Mai 2019 - 00:00h

Após boatos de que sua esposa seria demitida do Hospital Regional de Guanambi, onde trabalha como médica neonatologista na UTI há cerca de 18 anos, devido a questões políticas, o presidente do Consórcio de Saúde da Região de Guanambi e prefeito da cidade de Urandi, Dorival Barbosa do Carmo (PP), se manifestou sobre o assunto. Segundo ele, os boatos começaram a circular depois de os prefeitos que compõem o consórcio darem início a uma campanha contra a crise vivida na unidade de saúde. “Os interesses políticos dentro do Hospital Regional são maiores do que a vida das pessoas”, declarou em áudio divulgado no WhatsApp. O gestor disse ainda que esteve no hospital, juntamente com o prefeito de Candiba, registrando o descaso com a saúde pública - foram contabilizadas 43 pessoas espalhadas em macas nos corredores aguardando atendimento, além da falta de medicamentos. As imagens, conforme frisou, serão encaminhados ao governador na esperança de que o mesmo resolva a problemática na unidade, que encontra-se insustentável. “A situação é vergonhosa. A própria política está causando um entrave no Hospital Regional porque tem muitas pessoas mandando dentro do hospital. Estamos lutando para acabar com essa situação”, afirmou.

Comentários

Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixar comentário

Comentário

mais notícias