Sociedade organizada debate a zona azul e cobra readequação em Brumado

23 Ago 2019 - 11:00h

A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e a sociedade civil organizada debateram os impactos da implantação da zona azul na noite desta quinta-feira (22), no auditório da OAB, em Brumado. Representantes do comércio e de vários segmentos sociais expuseram as suas insatisfações com a forma como a área foi instalada na cidade. Há 45 anos no ramo de móveis, o empresário Wanderley Silva declarou, na oportunidade, que a zona azul prejudicou bastante as vendas no comércio. “Na primeira semana da zona azul, as nossas vendas caíram 50%, um impacto muito grande”, afirmou. Segundo ele, a categoria acreditava que, com as vagas liberadas para estacionamento do consumidor, as vendas seriam alavancadas, porém houve um decréscimo significativo. O empresário lamentou que, após trinta dias da implantação da área, o centro comercial esteja vazio.

Diante dos inúmeros apelos da comunidade, a Ordem dos Advogados do Brasil - Subseção de Brumado criou uma comissão para apurar a legalidade do sistema. Membro da comissão, a advogada Ingrid Freire informou que a OAB protocolou uma representação no Ministério Público (MP) a fim de averiguar a regularidade do projeto de implantação do estacionamento rotativo no município. A CDL também encaminhou um ofício à Administração Municipal solicitando readequações no modelo. O presidente da CDL, Manoel Messias, disse que o poder público não respondeu ao documento, que será enviado, posteriormente, ao MP e à OAB para as providências cabíveis.

Comentários

Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixar comentário

Comentário

mais notícias