Brumado: Sem inspeção de tacógrafos, motoristas de vans e ônibus são obrigados a buscar serviços fora

07 Out 2019 - 10:00h

Um dos itens exigidos durante a fiscalização dos veículos do transporte escolar é a presença do tacógrafo. No entanto, os motoristas têm de buscar a inspeção do equipamento nas cidades de Guanambi ou Vitória da Conquista, já que Brumado não dispõe do serviço. Em entrevista ao site Achei Sudoeste, o motorista Carlos Luck disse que, além de ser caro, o tacógrafo tem que ser mantido a cada dois anos. “Não basta comprar o tacógrafo, você tem que fazer uma aferição a cada dois anos, a qual custa, em média, R$ 480. Além disso, temos de nos deslocar para Conquista ou Guanambi, que são as cidades mais próximas. Temos que gastar R$ 480 para aferição, além do combustível e lanche. São cerca de R$ 650 só nisso”, afirmou. Segundo ele, sem a aferição do equipamento, o motorista é considerado irregular e, portanto, não recebe o selo de inspeção da Superintendência Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT). “Muita coisa em Brumado é difícil. Não entendo: uma coisa que é exigida, mas na cidade não se faz”, criticou.

Comentários

Jansen Ricardo

"A necessidade do medidor instantâneo de velocidade - tacógrafo nos veículos que atendem ao transporte de pessoas é obrigatório para essa categoria e se em Brumado não existe uma empresa que possibilite fazer a referida inspeção, selagem e certificação não é da competência da SMTT Brumado. Poderá ser sugerido as autoridades competentes a adoção de medidas que viabilize a referida estrutura no município como Detran, Inmetro, Agerba e Seinfra. A vistoria e inspeção da frota em atividade é preconizada pela Lei 9.503/97, destacando o Capítulo XIII. A SMTT Brumado destaca que tais ações são de caráter preventivo e de orientação contra a indústria da morte."

Deixar comentário

Comentário

mais notícias