Advogada denuncia divulgação de fotos falsas de nudez atribuídas a ela na web

08 Out 2019 - 07:30h

Uma advogada baiana, da cidade de Itabuna, no sul da Bahia, usou as redes sociais para denunciar a divulgação de fotos falsas de nudez atribuídas a ela. De acordo com Thatiana Poncino, as montagens foram feitas a partir de fotos dela do Instagram. “É uma situação que entristece, que machuca e que me faz refletir diariamente sobre a maldade humana. Mais uma vez estão circulando na internet fotos de mulheres anônimas nuas juntamente com fotos das minhas redes sociais. O responsável pela montagem cortou a cabeça de mulheres despidas e as enviou juntamente com fotos minhas do Instagram, no intuito de induzir aqueles que as recebem a acreditar que sou eu nas imagens de nudez”, disse a advogada. Segundo Thatiana, que destaca que a atitude é criminosa, a sensação de ter as imagens vinculadas a ela é de impotência. “Não sou eu nessas fotos! Nunca fotografei sem roupa, não pretendo e não vejo problema nenhum em quem gosta desses registros, só não é o meu caso. Se coloque em meu lugar, e se imagine sendo vítima dessa conduta criminosa. Se imagine querendo dizer ao mundo que ali não é você, querendo se justificar, desvincular sua imagem daquelas fotos, sem conseguir. A propagação de conteúdo pela internet é veloz e feroz”, escreveu em seu perfil nas redes sociais. Em postagem nas redes sociais, ela destaca que “providências já foram tomadas”, entretanto não explica quais seriam. A advogada falou ainda que se sentiu devastada com a situação, mesmo as fotos não sendo delas. Ela relata ter recebido milhares de mensagens por causa da situação. “Recebi milhares – sem exagero – de mensagens de toda a parte do Brasil, do Chile, Argentina, Bolívia, México... Sim, isso foi muito longe! Mensagens das mais bem-intencionadas às mais grotescas. Boa ou ruim, cada mensagem lida me fazia reviver toda a situação, e era como uma facada em meu peito”, pontuou Thatiana.

Comentários

Hermírio Públio de Brito Viana

"As redes sociais nos colocam (e são próprias do período em que vivemos, na denominada INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL). A comunicação, facilitada ao extremo, resultante de estudos de pessoas profundamente inteligentes, infelizmente está à disposição de mentes trogloditas, como desse "irresponsável" pela autoria da divulgação da qual foi vítima a advogada em questão. Pelas palavras do relato dela, fica clara a sua inocência, atingida por alguém que, acobertado pelo anonimato das trevas, gratuitamente a ofendeu de forma a contaminar a mente de quantos, embora não a conheçam, são tocados negativamente por algo que nos deixam sobremaneira feridos, e solidários com a jovem advogada!"

Deixar comentário

Comentário

mais notícias