Eleições 2014: União das oposições cada vez mais difícil; Geddel e Souto devem ser adversários

31 Mar 2014 - 19:00h

A tão esperada união das oposições ao governo petista na Bahia está cada vez mais difícil. Por um lado, o ex-ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima (PMDB), se articula para tentar encabeçar a chapa, mas, por outro, o ex-governador Paulo Souto (DEM) também deseja voltar ao Palácio de Ondina. O líder que tenta unir a oposição, o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), já declarou que no próximo final de semana a chapa deve ser anunciada. Na análise do site Brumado Notícias, a probabilidade do ‘racha’ está cada vez mais vidente. Geddel e Souto querem ser candidatos, porém nenhum deles pensa em ceder. O peemedebista já teria sua chapa pronta para anunciar caso não seja o escolhido. Geddel já vem em pré-campanha em diversos municípios baianos, realizando visitas e conversando com lideranças. Já Souto não tem realizado visitas pelo interior do estado, mas vem recebendo lideranças políticas na sede dos Democratas em Salvador. Os peemedebistas ainda seguem confiantes na espera de uma união, mas apenas com Geddel encabeçando a chapa majoritária. Já os demistas defendem o nome de Souto para disputar o governo baiano nas eleições 2014. Caso confirme o ‘racha’, pelo menos quatro candidatos devem concorrer ao governo da Bahia: Geddel Vieira Lima (PMDB), Rui Costa (PT), Paulo Souto (DEM) e Lídice da Matta (PSB).

Comentários

Luiz

"É por causa disso que o PT continua no poder. Que oposição burra e incompetente é essa? Assim fica difícil. No dia em as oposições se unirem, deixarem as divergências, picuinhas, sede de poder e vaidade de lado tendo, eles vão perceberam que o fortalecimento das chapas é algo que pode derrotar o PT."

Deixar comentário

Comentário

mais notícias