Achei Sudoeste




Clínica Mais Vida: Transtorno Compulsivo Alimentar Periódico

31 Mai 2017 - 09:30h

O transtorno da compulsão periódica foi descrito pela primeira vez na década de 50.  Conforme Azevedo, Santos e Fonseca (2004) a descrição deste quadro surgiu devido à necessidade de diferenciar indivíduos obesos com compulsão alimentar daqueles sem compulsão alimentar, e, também, dos pacientes com compulsão alimentar seguidos de atos compensatórios daqueles sem atos compensatórios. O quadro caracteriza-se, então, pela ingestão de grande quantidade de alimentos em um período de tempo delimitado (até duas horas), acompanhado da sensação de perda de controle sobre o quê ou o quanto se come. A compulsão, na maioria das vezes, é desencadeada por um fator emocional: estresse, ansiedade, problemas de relacionamento, etc. Os pacientes relatam antecedentes familiares de obesidade, sobrepeso durante a infância, constantes desentendimentos familiares e preocupações dos próximos com a forma física, peso e dieta. A gravidade da doença é mais determinada pelo comportamento alimentar do que pelo peso do paciente. Quando as compulsões são seguidas e exageradas, os problemas psicológicos e orgânicos decorrentes são maiores e a recuperação mais difícil. As estratégias sugeridas pela TCC (Terapia cognitivo-comportamental) para o tratamento tem como objetivo principal o controle da ingestão compulsiva de alimentos, a reestruturação cognitiva, que consiste em modificar as crenças irracionais que mantêm e reforçam os padrões disfuncionais, as crenças associadas à aparência, peso e alimentação e o aumento da autoestima. Leia mais em: FIGUEIREDO, A. L.; KUNH, R.P.; ARGIMON, I. L. Terapia cognitivo-comportamental nos transtornos alimentares: uma abordagem familiar para intervenção em crise. Revista de Psicologia da IMED, vol.1, n.1, p. 56-71, 2009; Agende sua consulta. A prevenção é a melhor forma de cuidar da sua saúde! Para maiores informações, ligue: (77) 3441-4545 / (77) 99951-4755 / (77) 99180-9496.