Achei Sudoeste




Cresce popularidade dos alimentos da produção orgânica natural em Brumado

31 Jul 2017 - 08:00h

A alimentação natural e sem conservantes está se popularizando no município de Brumado, onde é grande o número de adeptos da cultura orgânica. A informação foi confirmada ao site Achei Sudoeste pelos permacultores Caio Correia e Fabrício, que fazem parte do Grupo Pipa Cósmica, um núcleo de Permacultura que faz parceria com agricultores familiares e demais produtores que utilizam técnicas de compostagem, adubação natural e hortas urbanas. Caio declarou que com a adesão maior de pessoas à cultura foi criada uma rede de permacultores e vem aumentando a produção desse tipo de alimento apontado como mais saudável, sem a interferência de agrotóxicos ou demais produtos que contaminam a vegetação. O grupo mantém um espaço alternativo no Bairro Santa Tereza, onde, além da produção saudável de alimentos, também são ministradas aulas de ioga e ainda cursos de bioconstrução, oficina de reciclagem, e o preparo da terra vegetal composta com cascas, frutas e restos de alimento. No local, sai uma grande variedade de produtos, como o feijão de porco, tido como adubo natural rico em vitaminas que enriquecem a produção dos demais vegetais, além de muitos itens que já começam a se tornar comum na mesa de muitos munícipes. Também são produzidas tortas e outros acompanhamentos apenas com a produção crua dos alimentos vegetais que saem do plantio próprio dos permacultores. 

O grupo está se expandido e em breve deverá abrir uma nova área para o plantio e operar as oficinas ao público. Recentemente, o núcleo de Permacultura esteve na feira de agricultura familiar com um stand que foi bastante visitado pelos consumidores e por alunos que aproveitaram o momento para conhecer a cultura.  Na sexta-feira (28), o grupo lançou os produtos pela primeira vez na feira livre do mercado municipal. A iniciativa foi considerada um sucesso, pois despertou o interesse de muitos consumidores. “Nossa proposta não é ditar regras quanto ao que pessoas devem comer, mas é apresentar uma alimentação consciente que colabora tanto para o nosso organismo quanto para a linha de produção natural das nossas terras”, finalizou Caio Correia.