Achei Sudoeste




'TCM já deu o que tinha que dar', diz prefeito de Brumado

06 Dez 2017 - 10:00h

O prefeito Eduardo Lima Vasconcelos (PSB) endossou a proposta do presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), Ângelo Coronel (PSD), que quer desengavetar o projeto de extinção do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM). O próprio governador Rui Costa (PT) já havia se manifestado favorável à proposta, declarando que o TCM baiano é um perseguidor dos gestores municipais, tendo até demonstrado, segundo ele, prazer mórbido em rejeitar as finanças das prefeituras. Em entrevista ao site Achei Sudoeste, o gestor brumadense reiterou as afirmações. “O TCM já deu o que tinha que dá. Já foi importante e necessário, mas toma toda a capacidade laborativa dos municípios para prestação de contas e acaba não sobrando tempo para os prefeitos trabalharem. Nenhum órgão no mundo tem tanto controle externo como as prefeituras e o TCM da Bahia está no topo desses agentes fiscalizadores que engessam os administradores municipais”, disse o prefeito. Vasconcelos ainda destacou que esse excesso de controle inibe o homem de bem de entrar na política, visto que o mesmo não quer ser tratado como marginal. “Esse controle exacerbado não distinguiu o homem de bem do homem mau e isso exclui e afasta o cidadão de bem de querer exercer a arte da política, ferramenta essa tão importante para o desenvolvimento da comunidade em geral”, pontuou o chefe do executivo brumadense.