Achei Sudoeste




Prefeitura quer realizar Campeonato Brumadense de Futebol sem a LBF e entidade promete boicote

09 Jan 2018 - 08:00h

A prefeitura de Brumado está planejando a realização do Campeonato Brumadense de Futebol 2018 sem a participação da Liga Brumadense de Futebol (LBF). Assim descreveu o vice-prefeito Édio Pereira (PCdoB) em entrevista ao site Achei Sudoeste. Ele preferiu não se aprofundar no assunto, afirmando que a Administração Municipal não está isolando a LBF, mas apenas assumindo a organização do evento juntamente com os clubes. O vice-prefeito enfatizou que a secretária municipal de educação e esportes, Ednéia Ataíde, está projetando a competição com o apoio do ex-diretor de esportes, Jobson Rocha, e o atual coordenador de esportes, Gerônimo Barreto. Na última semana, Édio se reuniu com os dirigentes dos clubes para debater o formato do campeonato, que, a princípio, contará com 10 clubes, com data inicial para o dia 18 de fevereiro e término no dia 10 de junho. Na oportunidade, ele adiantou aos dirigentes que a prefeitura entrará com a logística da competição, o que envolve custos com arbitragem, material esportivo e premiações. Já o custo de manutenção do Estádio Municipal Gilberto Cardoso, que engloba cuidados com o gramado, porteiro, maqueiro e zelador, ficará por conta da arrecadação da bilheteria de cada jogo; as sobras serão rateadas entre as equipes. Conforme disse o vice-prefeito, o calendário antecipado se deve aos jogos da Copa do Mundo de Futebol, que terá início no dia 14 de junho. Outra regra apresentada para está temporada é o limite de contratações de atletas de fora do município: apenas cinco, tendo como objetivo a valorização e revelação dos atletas locais. Pereira afirmou ainda que, logo no início da competição, já será apresentado o novo técnico da Seleção Brumadense de Futebol. O mesmo atuará como olheiro para garimpar os atletas que formarão o selecionado para disputar o Intermunicipal de Futebol. Para esta competição, a Administração também pretende levar o time local sem a participação da LBF. Para tanto, já foram iniciadas conversas com a Federação Baiana de Futebol, uma vez que se exige que as seleções estejam confederadas ao órgão para participar do evento. O posicionamento do prefeito promete gerar polêmica com os dirigentes da LBF. 

Em entrevista anterior a nossa reportagem, o presidente da entidade, Emanoel Araújo, que também elaborou o formato do campeonato com moldes semelhantes aos citados pelo vice-prefeito, disse que buscaria um entendimento com a secretaria de esportes para juntos realizarem o evento, porém deixou claro que o campeonato não poderia ser realizado sem a LBF. Caso haja uma insistência do prefeito em isolar a Liga, Araújo garantiu que convocaria os clubes e atletas filiados para boicotar a competição. A polêmica tem sido a tônica das discussões entre desportistas e atletas, que divergem em suas opiniões nas redes sociais. O impasse, que envolve questões políticas extra-campo entre a Administração Municipal e a LBF, já está prejudicando o campeonato. Até mesmo a Justiça pode ter que interferir na questão.