Achei Sudoeste




Mãe acusa desembargador de abusar da neta dos 7 aos 14 anos

23 Fev 2018 - 09:30h

A advogada Luciana Pires denunciou na quarta-feira (21) ao Ministério Público o desembargador aposentado do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM) Rafael de Araújo Romano, de 72 anos, por abuso sexual contra a filha dela, neta dele, que atualmente tem 15 anos. Os abusos, segundo a mãe, começaram quando a menina tinha 7 anos e seguiram até os 14 anos. A defesa do desembargador diz que ele nega com veemência as acusações. A mãe da adolescente relatou à Rede Amazônica que soube da situação pela própria filha no dia 8 de fevereiro. Ela relatou que visitava uma amiga em um hospital quando a filha decidiu revelar a situação. A adolescente, segundo a mãe, relatou que os abusos começaram por volta dos 7 anos. “Ela diz que toda vez que ela ia ao banheiro, que ele ajudava na limpeza ou que ele ia dar banho nela, ele sempre ficava muito tempo passando a mão nela”, contou. De acordo com o G1, na tarde quarta, a advogada publicou um texto nas redes sociais onde expõe a denúncia e chama o ex-sogro de monstro horroroso e pedófilo. O advogado de Romano, José Carlos Cavalcanti Junior, disse à Rede Amazônica que o desembargador é inocente. “Ele nega com veemência todos os fatos que estão sendo expostos nos depoimentos que a neta prestou. Inclusive, a maior discussão do doutor Rafael é que a linha de argumentação que está sendo apresentada pela neta não condiz com o relacionamento que ele tinha com ela e que tem com todos os outros netos. Sequer o fato de ela narrar cronologicamente cada episódio é, para nós que militamos no direito, normal”, disse. O advogado relata ainda a preocupação do avô com a exposição da neta após a repercussão do caso.