Achei Sudoeste




Brumado: Por represália, prefeito não libera poço artesiano aos moradores de Samambaia

14 Mar 2019 - 00:00h

Em Brumado, o distrito de Samambaia, na zona rural de Brumado, está vivendo dificuldades na questão do abastecimento de água. Apesar de um poço artesiano ter sido aberto na comunidade há seis meses, a comunidade ainda não pode utilizar o mesmo. Em entrevista ao site Achei Sudoeste, o presidente da associação comunitária, Eliezer Joaquim da Silva, disse que, antes, dois caminhões pipa abasteciam a comunidade, porém, agora, o número foi reduzido para um e os moradores estão sofrendo com a falta d'água. Quanto ao poço artesiano, o líder comunitário denunciou que parece que o mesmo foi aberto apenas para ganhar eleição, tendo em vista que o prefeito não autoriza a sua liberação. Segundo ele, o poço tem 26 mil litros de vazão, o que seria suficiente para suprir as necessidades dos moradores, bem como uma água de excelente qualidade. "95 famílias estão sem água na comunidade", disse. Silva ainda criticou o fato de o prefeito ter transferido o prédio escolar que existia no distrito para Ubiraçaba, sob o argumento de que, no local, seria construído um posto de saúde. Além de transferir as crianças da comunidade para uma unidade de ensino distante, Eliezer alega que o posto ainda não foi instalado. O líder comunitário acredita que as questões se devem a uma represália política por conta do resultado das últimas eleições. "Derramei suor e sangue por Dr. Eduardo. Lembra de Samambaia, lembra do apoio daquele velho Eliezer que ajudou ele tanto. Fomos jogados para as cobras", cobrou.