Achei Sudoeste




Policias civil e militar apontam importância do presídio para segurança pública na microrregião de Brumado

12 Set 2019 - 07:00h

O Superior Tribunal Federal (STF) decidiu acatar, parcialmente, a liminar que prevê a contratação de servidores para o presídio da cidade de Brumado. Em entrevista ao site Achei Sudoeste, o delegado coordenador da 20ª Coorpin, Leonardo Rabelo, disse que a unidade prisional irá refletir na melhoria do trabalho da polícia civil, tendo em vista que libera o policial civil para exercer a sua função, investigando e elucidando crimes. “Há tempos, a polícia civil vem exercendo, em caráter de colaboração, a questão da carceragem e custódia de presos. Isso implica na mobilização de um número considerável do efetivo, prejudicando a investigação dos crimes, que é nossa atribuição precípua”, destacou. Para o coordenador, com a inauguração do presídio, haverá um ganho muito grande no trabalho de inteligência da polícia civil, bem como na segurança pública de toda região, abrangida por 21 municípios. O comandante da 34ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM), Major Mário Cabral, também reforçou que a inauguração do equipamento impactará muito positivamente no trabalho da polícia, especialmente no que se refere à questão da guarda dos presos. “A delegacia não é o local adequado para se guardar as pessoas que cometem crimes. Isso é destinado aos presídios”, frisou. Nesse sentido, o Major salientou que, hoje, em razão da falta de vagas nas delegacias, alguns detidos acabam sendo liberados e o esforço do policial que atua na diligência é descartado. O que não acontecerá, segundo o comandante, com a inauguração da unidade prisional em Brumado.