Achei Sudoeste




Paciente tentou reagir a estupro em UTI de hospital de Goiás

31 Mai 2019 - 10:30h

A família da estudante que foi abusada na UTI de um hospital ficou chocada ao saber, durante o velório dela, do crime. A delegada Paula Meotti foi quem comunicou os pais, pois foi preciso retirar o corpo da cerimônia para fazer novos exames. Um técnico em enfermagem foi preso suspeito do estupro. “Ficamos sabendo da morte dela só quando ela estava sendo velada e foi necessário fazer um novo laudo. Os pais não desconfiavam do abuso, eu que tive que conter para eles, que ficaram muito abalados”, disse a delegada ao G1. O abuso aconteceu na madrugada do dia 17 de maio, horas depois de ela ser internada devido a crises convulsivas. No mesmo dia, a estudante denunciou o caso para uma enfermeira e o homem foi afastado do cargo. Porém, devido ao agravamento do estado de saúde, ela morreu no dia 26. “A gente não tinha contado para os pais ainda porque imaginávamos que ela pudesse se recuperar e que pudéssemos ouvi-la depois. E os pais não tinham muito a contribuir com as investigações, por isso não tinham sido comunicados ainda”, explicou. A polícia acredita que o abuso não tenha relação direta com a morte da jovem, que foi internada devido a uma crise convulsiva. “Mas não sabemos até que ponto, esse abalo emocional pode ter influenciado ou piorado o estado de saúde dela”, completou a delegada.