Achei Sudoeste




Em protesto, terceirizados do estado fazem manifestação e param aulas em Brumado

13 Set 2013 - 07:27h

Os funcionários que prestam serviços para as empresas Contrate e Shalev, terceirizadas da Secretaria de Educação da Bahia, paralisaram as atividades na manhã desta sexta-feira (13), em Brumado. O protesto se deve ao atraso no pagamento dos salários dos trabalhadores, situação que já dura três meses. Com faixas, cartazes e apitaço, os manifestantes cobram das empresas e do estado o cumprimento das obrigações trabalhistas. “Se o governo do estado e terceirizadas estão devendo, nós somos honestos e queremos pagar as nossas contas”, diz um dos cartazes. Neste momento, os terceirizados bloquearam a porta do Centro Estadual de Educação Profissional em Gestão e Meio Ambiente (CEEP), antigo Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães, e impediram a entrada de professores e alunos. Na porta do local, os manifestantes colocaram um boneco os representando. Os estudantes se uniram à categoria e reforçam o protesto. 

O governo da Bahia deve R$ 20 milhões aos terceirizados. Os funcionários se dizem revoltados, pois, no último dia 5, a categoria foi avisada de que o estado já teria depositado o dinheiro do pagamento na conta das terceirizadas, mas até então os trabalhadores não receberam. A manifestação deve ocorrer durante toda a manhã, mas a greve será mantida até que os pagamentos sejam realizados. Além de Brumado, em várias cidades do sudoeste baiano os funcionários das empresas terceirizadas também paralisaram as atividades.


Fotos: Lay Amorim/Brumado Notícias