Achei Sudoeste




Brumado: Professores mostram indignação com o Sindsemb e abandonam assembleia

07 Jun 2013 - 17:44h

Os professores da rede municipal de ensino de Brumado, atualmente 600, estão vivenciando a expectativa do fim das negociações salariais com a Prefeitura. Diante da situação, a presidência do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (Sindsemb) realizou, na noite da última quinta-feira (06), uma assembleia para a classe. Convidados pela presidente da entidade, Conceição Machado, representantes da Confederação Nacional dos Sindicatos dos Servidores Públicos Municipais palestraram sobre os avanços conquistados pela categoria. Entretanto, muitos docentes deixaram o evento revoltados, alegando a assembleia foi convocada para tratar das negociações salariais e não para palestra. “Nós já sabemos desses dados de trás pra frente. O que nós queremos agora é saber como estão as negociações com a Prefeitura e sobre o nosso aumento salarial”, indignou-se um dos professores. Os docentes ainda comentaram que o reajuste salarial não ocorreu em 2012, “mas o sindicato nos faz sair de casa para vir aqui e ouvir o que está sendo feito fora da nossa alçada. Estão querendo nos ‘cozinhar em banho Maria’”. Tais reclamações fizeram com que o local do evento, o auditório SEMAC, ficasse praticamente vazio. Por conta disso, na manhã dessa sexta-feira (07), a presidente do Sindsemb, acompanhada da representante interestadual dos servidores estaduais e municipais, Marlene Gonçalves, se reuniu com a secretária municipal de educação, Acácia Gondim, para tratar das negociações salariais e da carga horária da categoria. “A secretaria de educação irá fazer um apanhado de todos os professores da Prefeitura para certificar de fato os valores das verbas arrecadadas mensalmente pelo município e também os valores recebidos pelos professores, pois eles têm direito não apenas pelo piso de vencimentos, mas também às gratificações”, explicou Marlene. A representante interestadual fez questão ainda de lembrar aos professores que somente o Sindsemb tem legitimidade para participar das negociações com a administração municipal. “Por força do dispositivo da lei federal, o Sindsemb é a única categoria que tem legitimidade para firmar acordo de salários entre os professores e a administração, e a assembleia de quarta-feira foi legítima”, ressaltou Gonçalves.