Achei Sudoeste
Achei Sudoeste
Educação
Professores da Uneb, Uefs, Uesb e Uesc aprovam indicativo de greve Foto: Reprodução/Bahia Notícias

Professores da Uneb, Uefs, Uesb e Uesc aprovaram no início da noite desta segunda (10), o indicativo de greve por tempo indeterminado. A decisão foi tomada durante assembleia geral da Associação dos Docentes da UNEB (ADUNEB), que afirmou em nota que aguarda o governador Jerônimo Rodrigues apresentar “disposição para uma negociação satisfatória”. Ainda segundo a categoria, os professores demonstraram grande insatisfação com o Governo do Estado e que a solicitação pela abertura das negociações com o Executivo acontece desde o primeiro mês da gestão do governador, em 11 de janeiro de 2023, momento em que foi protocolada na Governadoria, Secretaria de Educação (Sec), Secretaria de Administração (Saeb) e Secretaria de Relações Institucionais (Serin), a pauta de reivindicações. “O descontentamento foi ratificado por várias representações do sindicato, dos campi da Uneb do interior, presentes na atividade. Seguindo a orientação da Aduneb realizaram reuniões prévias em seus Departamentos e também trouxeram para a assembleia a defesa do indicativo de greve”, diz a nota.  Segundo a Coordenação da Aduneb, o reajuste salarial conquistado este ano de 6,97%, sem retroatividade à data-base da categoria e sem negociação com as representações sindicais, não recompõe nem a inflação de 2023 e mesmo com o reajuste, as perdas inflacionárias, desde 2015, superam 34% de perda salarial. A Aduneb ressalta ainda que em nenhum momento o governo abriu negociação, realizando apenas o que denomina de “mesa de diálogo”. A Aduneb afirma que o indicativo de greve ainda não é uma greve por tempo indeterminado e que a pauta aprovada pela assembleia da Aduneb sinaliza o aumento da mobilização e a disposição da categoria docente em deflagrar a greve, caso o governo não apresente resposta à pauta de reivindicações. As informações são do Bahia Notícias, parceiro do Achei Sudoeste.

Lula recebe reitores e anuncia R$ 5 bilhões para conter greve nas federais Foto: Luis Fortes/MEC

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se reuniu nesta segunda-feira (10), no Palácio do Planalto, com reitores de universidades e institutos federais. O governo preparou o anúncio de investimentos nas instituições. O ministro da Educação, Camilo Santana, informou que serão R$ 5,5 bilhões em investimento do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) para universidades e hospitais universitários. Serão: R$ 3,17 bilhões na consolidação de estruturas, R$ 600 milhões para expansão e R$ 1,75 bilhões para hospitais universitários. A consolidação, conforme Camilo, prevê investimento em sala de aula, laboratórios, auditórios bibliotecas, refeitórios, moradias, centros de convivência. Os recursos contemplam 223 novas obras, 20 em andamento e 95 retomadas. A expansão trata de 10 novos campi vinculados a universidades já existentes nas cinco regiões do país. Jequié está entre as cidades dos novos campi de universidades federais. Além dos R$ 5,5 bilhões, Camilo anunciou o acréscimo de R$ 400 milhões para custeio de universidade (R$ 279,2 milhões) e institutos federais (R$ 120,7 milhões). O ministério disse que o orçamento das universidades, em 2024, após a recomposição, será de R$ 6,38 bilhões. Nos institutos federais, o orçamento ficará em R$ 2,72 bilhões. “A proposta que o governo está fazendo é que, amanhã terá reunião, que se for aceito, mais R$ 10 bilhões até 2026, mais R$ 10 bilhões no orçamento das universidades”, disse Camilo.

Golpe da Inscrição: Site imita Página do Participante do Enem e pode enganar Foto: Reprodução/Portal Nacional da Educação

A prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2024 está sendo vítima de golpe na internet, um site não governamental foi criado e está imitando o mecanismo de interatividade com a Página do Participante com o candidato, através da personagem chamada ‘Nanda’, que ela inicia e pede para informar o CPF. Ao longo do atendimento, o chat pede para que o candidato informe todos os dados pessoais e depois gera um falso boleto da taxa de inscrição – GRU (Guia de Recolhimento da União – documento bancário do Governo Federal) no valor de 85. As inscrições para o Enem 2024 podem ser feitas até às 23h59 (horário de Brasília) do dia 07 de junho, através do site oficial da Página do Participante do Enem 2024. O pagamento da taxa de inscrição pode ser feito até o dia 12 de junho, a compensação bancária é realizado em até três dias úteis (exceto feriados e finais de semana), após o pagamento da taxa de inscrição da prova do Enem 2024. O Portal Nacional da Educação acionou a Policia Federal, Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais e demais autoridades competentes para investigar e tomar às devidas providências pela proteção dos estudantes.

Educação Após falhas em sistema, MEC prorroga prazo para convocações do Fies Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O Ministério da Educação (MEC) anunciou na sexta-feira (26) que prorrogou até 17 de maio o prazo para as convocações da lista de espera do Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies) do primeiro semestre de 2024. A decisão foi anunciada após reclamações de estudantes, que alegam que erros do Ministério da Educação (MEC) no processo seletivo estão atrapalhando a convocação de novos alunos na lista de espera. Os estudantes — que disputam mais de 67 mil vagas para fechar contratos de empréstimo e pagar a graduação — relatam falhas técnicas, demora excessiva na fila de espera e outros problemas que, na visão deles, exigiriam uma ampliação do prazo de inscrições.

Mais de 2 milhões de crianças no país estão sem vagas em creches Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil

No Brasil, 2,3 milhões de crianças de até 3 anos de idade não frequentam creches por alguma dificuldade de acesso ao serviço. Isso significa que as famílias dessas crianças gostariam de matriculá-las, mas encontram dificuldades como a localização das escolas, distantes de casa, ou mesmo a falta de vagas. As informações são da Agência Brasil. O percentual das famílias mais pobres que não conseguem vagas é quatro vezes maior do que o das famílias ricas. Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e foram divulgados pela organização Todos pela Educação (TPE). Eles mostram que a oferta dessa etapa de ensino ainda é desafio no Brasil. No país, a creche não é obrigatória, mas de acordo com a Constituição Federal, é direito da criança e da família e cabe ao Estado oferecer as vagas. Pelo Plano Nacional de Educação, Lei 13.005/2014, o Brasil deve atender pelo menos 50% das crianças de até 3 anos nas creches até 2024. Os dados divulgados pelo TPE nesta segunda-feira (8) mostram que a meta não deverá ser cumprida e que ainda há grande demanda por vagas. Atualmente, 4,7 milhões de crianças frequentam creches, o que representa 40% do total de até 3 anos no país. Cerca de 40% não frequentam a creche por opção dos pais ou por outro motivo (3%). Entre esses motivos estão falta de dinheiro para transporte e material (0,5%), o fato de as escolas não serem adaptadas a crianças com deficiência (0,2%) e problemas de saúde permanentes da criança (0,6%). Há, no entanto, 2,3 milhões, ou 20% das crianças, cujas famílias gostariam de acessar o serviço, mas não conseguem. O principal motivo para estar fora da creche é a instituição não aceitar a criança por causa da idade, de acordo com o levantamento. Cerca da metade das que não conseguem vaga alega esse motivo, seguido da falta de vaga, de acordo com um quarto das famílias; não ter escola ou ao fato de a creche ficar em local distante, segundo aproximadamente um quarto daqueles que não conseguiram matricular as crianças.

Lula sanciona lei que cria poupança para estudantes do ensino médio Foto: Ricardo Stuckert/PR

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou nesta terça-feira (16) lei que cria uma espécie de poupança para que estudantes de baixa renda concluam o ensino médio. Serão beneficiados jovens de baixa renda regularmente matriculados no ensino médio na rede pública e com a família inscrita no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), com renda per capita mensal igual ou inferior a R$ 218. No caso de educação para jovens e adultos, podem receber o benefício quem está na faixa etária de 19 a 24 anos. De acordo com o Ministério da Educação, a evasão no ensino médio chega a 16%. Os dados apontam que o primeiro ano é o que tem maior registro de evasão, abandono e reprovação de estudantes. Para ter acesso ao benefício, o aluno precisará ter frequência mínima, garantir a aprovação ao fim do ano letivo e fazer a matrícula no ano seguinte, quando for o caso. A regra também exige participação no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), para aqueles matriculados na última série do ensino médio, nos exames do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) e nos exames aplicados pelos sistemas de avaliação externa dos entes federativos para a etapa do ensino médio.

Sete a cada dez alunos brasileiros de 15 anos não aprenderam o básico em Matemática, diz Pisa Foto: Fábio Rossi/O Globo

Dados do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa) divulgados nesta terça-feira (05) mostram que cresceu o volume de estudantes brasileiros que não conseguiu atingir o que a OCDE considera um patamar mínimo de aprendizagem em Matemática para a idade. As informações são do jornal o Globo. Esse patamar subiu de 60% para 73%, entre 2018 e 2022. A média da OCDE é de apenas 31%. Já em Leitura e Ciências, o nível de brasileiros que não atingiram o Nível 2 de proficiência se manteve estável, mas ainda muito acima dos jovens do grupo de países desenvolvidos. De acordo com os relatórios da OCDE, o mínimo que se espera em Matemática de estudantes que participam do teste — todos na faixa de 15 anos — é que consigam interpretar e reconhecer, sem instruções diretas, como uma situação simples pode ser representada matematicamente (por exemplo, comparando a distância total entre duas rotas alternativas ou convertendo preços numa moeda diferente). “Esse resultado provavelmente representa um grande obstáculo na vida desses jovens, dificultando ou até mesmo impedindo que eles avancem em seus estudos, tenham oportunidades melhores no mercado de trabalho e participem plenamente na sociedade moderna”, afirma um relatório do Pisa divulgado pelo Inep, órgão do Ministério da Educação (MEC) responsável pelas estatísticas educacionais do Brasil. Na outra ponta de desempenho, cerca de 1% dos estudantes no Brasil atingiram os maiores patamares — os níveis 5 e 6 — em Matemática. A média da OCDE é de 9% e só 16 dos 81 países e economias participantes do Pisa 2022 conseguiram mais de 10% dos alunos nesses níveis de proeficiência. Neles, os alunos podem modelar matematicamente situações complexas e podem selecionar, comparar e avaliar estratégias apropriadas de resolução de problemas para lidar com elas.

MEC descarta cancelamento do Enem após vazamento de provas Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

O ministro da Educação, Camilo Santana, descartou, nesta segunda-feira (6), o cancelamento do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2023, após o vazamento de imagens da prova no domingo (5), primeiro dia de aplicação das provas. “De forma alguma”, disse, quando questionado sobre a possibilidade de cancelamento. De acordo com a Agência Brasil, Camilo falou com a imprensa no Palácio do Planalto, após reunião com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Segundo ele, a Polícia Federal (PF) investiga o caso. A imagem de uma prova de redação do Enem 2023 circulou nas redes sociais e em grupos do WhatsApp. “Ontem, tivemos duas diligências da Polícia Federal em relação às imagens circuladas, uma em Pernambuco e outra aqui no Distrito Federal. Portanto, a Polícia Federal continua apurando e fazendo as investigações necessárias para identificar qualquer tipo de ilícito”, disse. O ministro afirmou que o balanço da primeira etapa de provas foi positivo, com “ocorrências pontuais”. O primeiro dia de provas do Enem 2023 teve 4.293 candidatos eliminados por violações, como portar equipamento eletrônico, ausentar-se da sala antes do horário permitido (15h30), utilizar impressos e não atender orientações dos fiscais. Todas essas regras estão previstas no edital. Ontem, os estudantes fizeram as provas de linguagens; códigos e suas tecnologias; e ciências humanas e suas tecnologias, além da redação. No próximo domingo (12), serão aplicadas as questões de ciências da natureza e de matemática. O resultado do Enem é usado para ingresso nas universidades públicas, por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) ou para bolsas em universidades privadas pelo Programa Universidade Para Todos (Prouni). O exame também é usado para acesso ao Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), do Ministério da Educação (MEC), programa que financia mensalidades em instituições privadas.

Lula afirma que governo criará bolsa para incentivar estudantes de Ensino Médio Foto: Paula Fróes/GOVBA

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) reforçou que o governo federal vai criar um programa de bolsas para incentivar?que alunos fiquem no Ensino Médio. De acordo com o chefe do Executivo, atualmente os adolescentes não veem “utilidade” na escola. “Nós vamos criar um fundo de investimento para as crianças no Ensino Médio. Vamos criar uma bolsa para que os alunos se sintam incentivados a não desistir da escola, que é a maior desistência. Porque o jovem vai no Ensino Médio e não vê utilidade. Nós queremos dar utilidade”, afirmou Lula, em café com jornalistas. Para o presidente, a medida é necessária para o Brasil “melhorar de vida”: “Nós queremos que esse jovem esteja motivado a ir para o Ensino Médio e entrar em uma universidade ou instituto federal para se autoqualificar, para esse país melhorar de vida”. O ministro da Educação, Camilo Santana, já havia anunciado a intenção de criar a bolsa. No início de outubro, o diretor de Políticas e Diretrizes da Educação Integral Básica da pasta, Alexsandro do Nascimento, afirmou que a proposta está em fase de “finalização”. “Estamos em fase de finalização, não sei se enviamos na semana que vem, mas já está bastante avançado”, disse Nascimento, ao participar de um seminário sobre evasão escolar. “A ideia é estimular a frequência e a conclusão, mas os parâmetros estão sendo discutidos com a equipe econômica e com a Casa Civil”.

MEC anuncia processo seletivo para 60 mil vagas remanescentes do Fies Foto: Marcello Casal Jr/ Agência Brasil

O Ministério da Educação (MEC) anunciou, nesta sexta-feira (15), a previsão de oferta de cerca de 60 mil vagas por meio do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) ainda este ano. São vagas remanescentes, ou seja, aquelas cujos financiamentos não foram contratados no processo de seleção regular. Os inscritos serão classificados com base nas notas obtidas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).  A convocação para ocupação de vagas remanescentes do Fies foi interrompida em 2021, e agora foi retomada. Segundo o MEC, os prazos de inscrição e todos os critérios exigidos para participar do processo seletivo serão divulgados até outubro, por meio de edital. Nas edições anteriores, a ocupação de vagas remanescentes se dava por ordem do registro da inscrição no sistema. Agora, os inscritos serão selecionados de acordo com a classificação de suas notas no Enem. Serão consideradas as edições do exame a partir de 2010. Outra mudança para o preenchimento de vagas, de acordo com a pasta, é que todas as mantenedoras de instituições de ensino superior privadas poderão participar do próximo processo seletivo, independentemente de ter participado de edições do Fies já realizadas este ano, o que não era permitido nas seleções passadas. Os prazos e critérios para participação das instituições de ensino serão também definidos em edital previsto para ser publicado até o final de setembro. A retomada no preenchimento de vagas remanescentes é resultado das discussões que ocorrem no MEC para a reconstrução do Fies. A intenção é retomar o caráter social do programa. A pasta deverá lançar, em breve, o Fies Social, que cobrirá 100% dos custos das mensalidades em instituições privadas de ensino superior.

Após dois anos de Covid-19, um em cada quatro jovens não estuda Foto: Lay Amorim/Achei Sudoeste

Após dois anos de pandemia, em 2021, um em cada quatro jovens brasileiros de 15 a 29 anos, o equivalente a 25,8%, não estudava, nem estava ocupado. Mais da metade - 62,5% - é mulher. Os dados fazem parte da Síntese de Indicadores Sociais (SIS): uma análise das condições de vida da população brasileira 2022, divulgada na sexta-feira (2), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo a publicação, por conta da falta de experiência, os jovens são os que enfrentam maior dificuldade tanto para ingressar quanto para permanecer no mercado de trabalho. Eles representam o grupo mais vulnerável aos períodos de crise econômica, especialmente os menos qualificados. Em 2021, dos 12,7 milhões de jovens de 15 a 29 anos que não estudavam nem estavam ocupados no Brasil, as mulheres de cor ou raça preta ou parda representavam 5,3 milhões desses jovens (41,9%), enquanto as brancas formavam menos da metade desse montante: 2,6 milhões (20,5%), totalizando 7,9 milhões de mulheres ou 62,5% dos jovens que não estudavam nem estavam ocupados. Entre os 4,7 milhões de jovens restantes nessa situação, três milhões eram homens pretos ou pardos (24,3%), conforme classificação do IBGE, e 1,6 milhão de brancos (12,5%). A pesquisa indicou que a pandemia não alterou a composição desse indicador por raça ou sexo. A SIS mostra que distintos papéis de gênero na sociedade influenciam a razão pela qual os jovens e as jovens se encontram na situação de não estudar nem estar ocupado. Os homens tendem a estar nessa situação mais frequentemente como desocupados, ou seja, em busca de ocupação e disponíveis para trabalhar, já as mulheres como fora da força de trabalho.

11% das crianças e adolescentes estão fora da escola no Brasil, aponta Unicef Foto: Carlos Trinca/EPTV

Pesquisa divulgada pelo Unicef nesta quinta-feira (15) aponta que 11% das crianças e adolescentes entre 11 e 19 anos estão fora da escola no Brasil. Isso representa cerca de 2 milhões nessa faixa etária longe dos bancos escolares. Nas classes A e B, o percentual é de 4% e, nas classes D e E, chega a 17% - ou seja, quatro vezes maior. O levantamento “Educação brasileira em 2022 – a voz de adolescentes” foi realizado pelo Ipec (ex-Ibope) a pedido do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e reflete o cenário da educação brasileira após mais de dois anos de pandemia. A chefe de Educação do Unicef no Brasil, Mônica Dias Pinto, faz um alerta para a situação do ensino no país e defende mais investimentos na área para evitar a evasão escolar e garantir a recuperação da aprendizagem. “O país está diante de uma crise urgente na educação. Há, pelo menos, 2 milhões de meninas e meninos fora da escola, somente na faixa etária de 11 e 19 anos. Se incluirmos as crianças de 4 a 10 anos, o número certamente é ainda maior. E a eles se somam outros milhões que estão na escola, sem aprender, em risco de evadir”, afirma.

Plataformas virtuais de ensino ganham cada vez mais adeptos: vale a pena estudar online? Foto: Divulgação

Se bem há apenas alguns anos era considerado um método de estudo “secundário” ou do futuro, após a pandemia do Covid-19 o Ensino a Distância cresceu de forma exponencial e passou a ser respeitado como uma ferramenta prática e acessível para a trajetória profissional que se encaixa com as novas demandas da sociedade. Assim, existem hoje em dia diversos portais de ensino sérios que oferecem um conhecimento diferenciado e atrativo para melhoria na carreira, inclusive com a mesma valorização no mercado de trabalho e todas as particularidades que muitas instituições de ensino convencional. Plataformas como a crehana brasil reviews disponibilizam uma enorme quantidade de opções de formações online para aprender desde novas habilidades técnicas e ferramentas de trabalho específicas até competências emocionais. Confira abaixo o que leva um estudante optar por se matricular em um curso online em detrimento da modalidade presencial. 

Plataformas virtuais de ensino ganham cada vez mais adeptos: vale a pena estudar online? Foto: Divulgação

Estudar no ritmo e horários convenientes

Um dos principais benefícios do Ensino a Distância (EaD) é que permite que o processo de aprendizado seja feito considerando a individualidade e os tempos dos alunos. A comodidade e flexibilidade de horários é um dos baseamentos da educação virtual, já que o estudo se adapta à rotina do aluno, permitindo a ele passar por todo o processo de aprendizado onde e quando quiser, desde que tenha uma boa conexão à internet.

?            Interatuar com outros alunos

Os portais de ensino online como crehana brasil reviews oferecem múltiplas ferramentas de comunicação que permitem que os alunos interajam de forma direta, inclusive fora do ambiente educacional, para estabelecerem laços mais fortes entre eles, trocando ideias e, portanto, reforçando o processo de aprendizado. Fóruns, e-mails, grupos de Facebook, grupos de WhatsApp e espaços de bate-papo online são alguns dos canais de comunicação que costumam ser utilizados pelos alunos. Esses recursos são essenciais para otimizar o desempenho e aumentar o engajamento com as aulas, agregando mais conhecimento e criando oportunidades de networking (redes de contato).

Inclusão social

Dentre os maiores benefícios de realizar cursos online está o custo-benefício. Se deslocar até uma instituição de ensino para assistir às aulas presencialmente implica tempo e um grande desembolso monetário com questões como transporte, material de ensino e alimentação para muitas pessoas. Por isso, além da praticidade, a educação a distância também representa um enorme papel social, já que assegura que muitos alunos que trabalham ou não tem condições de gastar em questões como deslocamento ou alimentação fora de casa possam dar início ou continuar seus estudos.

Preços mais em conta

Em regra, o Ensino a Distância é um modelo educativo muito mais econômico do que o tradicional, já que o investimento financeiro de infraestrutura e funcionários das plataformas virtuais é claramente muito menor se comparado ao das instituições de ensino convencionais. Isso se traduz em preços e mensalidades muito atraentes dos cursos online, o que os torna uma ótima alternativa para quem deseja estudar, mas não consegue ter acesso a financiamentos, principalmente nesses tempos de crise econômica.

Obtenção de certificados

Normalmente, os portais de ensino virtual oferecem um certificado de curso, isto é, um documento comprovativo dos estudos realizados pelo aluno. Essas certificações fazem toda a diferença no currículo, já que servem para fortalecer tanto a formação profissional quanto a pessoal. Hoje em dia, os certificados de qualificação profissional fornecidos pelas diversas instituições de ensino online são bem-aceitos no mercado de trabalho. Aliás, para muitas empresas, a formação obtida através da modalidade virtual já possui o mesmo valor que a presencial.

Plataformas virtuais de ensino ganham cada vez mais adeptos: vale a pena estudar online? Foto: Divulgação

O que levar em conta antes de se matricular em um curso online

Como vimos, a capacitação online está cheia de benefícios para quem quer aprimorar seus conhecimentos e adquirir novas habilidades em diferentes áreas de atuação. No entanto, para que todas essas vantagens sejam colhidas, é preciso levar em consideração alguns pontos. Por exemplo, merece atenção especial que para ter sucesso na realização de um curso online é preciso ser disciplinado e saber gerenciar bem o tempo. A capacitação online exige compromisso no que respeita à participação nas aulas e à realização de trabalhos e exames. Se adaptar ao formato e administrar a rotina é chave, independentemente da área de aprendizado. Além disso, muitos alunos têm problemas de concentração quando estão frente a um computador, pelo qual é necessário pôr as distrações de lado e manter o foco em se dedicar exclusivamente aos estudos e ao cumprimento das tarefas. A falta de atenção pode ser solucionada através da criação de um cronograma, que deve ser seguido com responsabilidade. Por último, é importante ressaltar que para fazer cursos online é preciso ter alguns conhecimentos sobre ferramentas tecnológicas. A falta de conhecimentos informáticos pode ser uma grande limitação na hora de aceder ao conhecimento online. De qualquer forma, vale ressaltar que as melhores plataformas de ensino oferecem diversos canais de contato para suporte técnico tanto para os professores como para os alunos.

Os cursos online mais procurados

Segundo as estatísticas, essas são as especialidades mais procuradas e valorizadas por quem pretende fazer uma capacitação online:

Comunicação digital (Marketing nas redes)

Fotografia

Nutrição

TI (Tecnologia da Informação) 

Algumas conclusões

Como vimos, a capacitação online possui benefícios inquestionáveis e está gradativamente ganhando reconhecimento e revolucionando as formas de ensino tradicional. Para quem deseja se capacitar para se manter ativo e atualizado no competitivo mercado de trabalho atual, mas não conta com tempo disponível para se locomover até uma universidade ou instituição de ensino, os cursos online são uma ótima solução. No entanto, lembramos novamente que a modalidade virtual não se traduz em deixar a qualidade de ensino de lado, pelo qual é preciso saber se organizar e dedicar tempo para ficar algumas horas na frente do computador. Portanto, antes de iniciar sua jornada de ensino virtual, pesquise, avalie cada opção e entenda bem a metodologia do curso para fazer boas escolhas. Afinal, qualificação é coisa séria!

Estudantes inadimplentes com o Fies podem ter 99% de desconto para negociar dívida Foto: Divulgação

Os deputados federais aprovaram, nesta terça-feira (17), por 409 votos a 9, uma nova versão da Medida Provisória que perdoa 99% das dívidas do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) para os estudantes inadimplentes. O projeto segue agora para aprovação do senado para ser votada até 1º de junho. De acordo com a CNN, o desconto é válido para os estudantes que contrataram o financiamento até o 2º semestre de 2017 e estão com débitos vencidos pendentes. O valor a ser abatido na negociação do total da dívida poderá ser de até 77%, mas caso o titular participe do Castrao Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) ou tenha sido beneficiário do Auxílio Emergencial 2021, o desconto chega a 99% do devido. No texto aprovado pelos deputados, fica proibido prazo de parcelamento dos créditos superior a 150 meses, a não ser que haja cobrança por meio de consignação à renda do devedor do Fies. Segundo o governo, mais de um milhão de estudantes de contratos ativos formalizados até 2017 estão inadimplentes, ou seja, com mais de 90 dias de atraso no pagamento. Isso representa taxa de 51,7% de inadimplência de quem contratou o Fies até o período e soma R$ 9 bilhões em prestações não pagas. Diante desse cenário, essa medida que garante desconto para quitação da dívida visa diminuir a inadimplência atual e promover a sustentabilidade do fundo.

Enem 2022: Prazo para inscrição começa nesta terça-feira (10)

O prazo para inscrição para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2022, nas versões impressa e digital, começa na terça-feira (10) e vai até 21 de maio. Na última edição do exame no passado, 239.101 pessoas se inscreveram na Bahia para participar do exame, segundo informações do Inep. Desse total, 237.050 pessoas optaram por realizar a prova de maneira impressa, enquanto 2.051 baianos escolheram a versão digital do exame. A inscrição deve ser feita na página do participante do Enem. A taxa para quem não conseguiu isenção é de R$ 85 e deve ser paga até 27 de maio, por boleto, PIX e cartão de crédito.

10% dos alunos inadimplentes contrataram renegociação de dívidas do Fies, diz FNDE

Mais de 127 mil alunos que estavam com parcelas atrasadas do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) aderiram, até 30 de março, ao programa do governo federal para renegociação de dívidas. O dado foi divulgado nesta quinta-feira (7) pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Em dezembro, o presidente Jair Bolsonaro editou a Medida Provisória nº 1.090, que estabelece que estudantes que usaram o Fies para financiar as mensalidades de uma universidade privada tenham direito a um abatimento de até 92% no valor devido. Essa facilidade, no entanto, foi dada apenas a que está com atraso de, no mínimo, 3 meses no pagamento. Para os que vêm conseguindo bancar as parcelas, não há nenhum benefício. Até 30 de março, cerca de R$ 105 milhões já haviam sido repassados para a Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil, agentes financeiros do programa. O prazo para contratar a renegociação com descontos de até 92% começou em 7 de março e segue até o dia 31 de agosto de 2022. Cerca de 1,3 milhão de estudantes estão endividados. Segundo o Ministério da Educação, dos 2,6 milhões de contratos ativos formalizados até 2017, mais de 2 milhões estão na fase de amortização, com saldo devedor de R$ 87,2 bilhões. Destes, mais de 1 milhão de estudantes estão inadimplentes, com mais de 90 dias de atraso no pagamento. Isso representa uma taxa de 51,7% de inadimplência, segundo o governo, e soma R$ 9 bilhões em prestações não pagas. É justamente este público com dívidas com mais de 90 dias de atraso que firmaram o contrato até 2017 que podem recorrer à renegociação.

TCU barra compra de ônibus escolares após suspeita de sobrepreço Foto: Lay Amorim/Achei Sudoeste

O Tribunal de Contas da União (TCU) barrou a conclusão do pregão do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), ligado ao Ministério da Educação (MEC), para a aquisição de ônibus escolares com suspeita de sobrepreço nesta terça-feira, 5. A medida veio após denúncia veiculada no jornal O Estado de S.Paulo que apontou que a entidade iria pagar, mesmo com parecer contrário dos órgãos de controle, até R$ 480 mil por veículo enquanto o preço avaliado para pregão, de acordo com cálculo do próprio setor técnico, é de R$ 270 mil. Com isso, o preço total do pregão pularia de R$ 1,3 bilhão para R$ 2,045 bilhões, com R$ 732 milhões de sobrepreço para a aquisição de 3.850 veículos que seriam exclusivos para o uso de alunos da rede pública de escolas em zonas rurais. Mesmo com a denúncia, o MEC decidiu realizar o pregão e só foi impedido pela decisão liminar do ministro Walton Alencar Rodrigues que suspendeu o certame. Na deliberação, o ministro permite que o pregão prossiga até a penúltima fase, porém impede que o FNDE homologue a licitação e adquira os veículos. “Considero prudente que a medida cautelar tenha seus efeitos modulados, para permitir o prosseguimento do certame, impedindo-lhe, contudo, a homologação e a adjudicação do objeto, até a final decisão de mérito”, escreve Walton Alencar. O ministro determinou ainda que o FNDE apresente em até 15 dias as informações sobre o certame com o detalhamento do processo de obtenção dos preços referenciais e o cálculo da estimativa de preços utilizados. “De fato, há toda uma série de fatores importantes, pendentes de comprovação, que podem ter influenciado no preço dos veículos, os quais precisam ser devidamente esclarecidos pelo FNDE. Desse modo, a oitiva do Fundo é imprescindível para o juízo de mérito da presente representação”, diz o ministro.

Milton Ribeiro pede demissão do Ministério da Educação após escândalo dos pastores Foto: Agência Brasil

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, entregou pedido de exoneração ao presidente Jair Bolsonaro (PL) nesta segunda-feira (28). Ele pediu para deixar o cargo depois de vir à tona um suposto favorecimento de pastores na distribuição de verbas do ministério. Ribeiro negou as acusações. A existência de um “gabinete paralelo” que controlaria verbas e agenda do Ministério da Educação foi revelado pelo jornal O Estado de S. Paulo. Depois, a Folha de S.Paulo divulgou o áudio de uma reunião em que o então ministro disse que, a pedido do presidente Bolsonaro, o repasse de verbas seguiria as indicações dos dois pastores. Os pastores a que o ministro se refere no áudio são Gilmar Santos e Arilton Moura. Eles não têm cargo no governo, mas participaram de diversas reuniões com autoridades nos últimos anos. Interinamente, ficará no posto como ministro o atual secretário-executivo Victor Godoy Veiga. Na carta em que pediu exoneração do cargo, Ribeiro se defendeu, afirmando que "jamais realizou um único ato de gestão na pasta que não fosse pautado pela correção, pela probidade e pelo compromisso com o erário" e que pediu para deixar o cargo para que “não paire nenhuma incerteza sobre a minha conduta e a do Governo Federal”. A saída dele foi oficializada em uma edição extra do Diário Oficial da União. Ele foi o quarto ministro da Educação do governo Jair Bolsonaro a deixar o posto. Com a saída dele, chegará a cinco nomes no MEC. A quantidade de trocas só perde para o governo Dilma/Temer, como o que mais fez mudanças no comando da pasta. Pastor presbiteriano e professor, Ribeiro estava desde julho do ano passado no comando do MEC e entregou a carta de exoneração em uma reunião com Bolsonaro.

Secretaria da Educação da Bahia oferece quase 4 mil vagas de cursos técnicos para estudantes Foto: Divulgação/SEC

A Secretaria da Educação do Estado da Bahia (SEC) abriu as inscrições para o sorteio de 3.880 vagas para cursos técnicos para estudantes do ensino médio e fundamental. As vagas ficarão abertas até o dia 17 de março e a lista com o resultado final da seleção será publicada no Portal da Educação no dia 21 deste mês. As inscrições nos Cursos Técnicos de Nível Médio Concomitantes ao Ensino Médio (MEDIOTEC) e nos Cursos de Formação Inicial e Continuada (FIC) podem ser feitas através do site. Ambos terão ensino presencial e os estudantes receberão auxílio no valor de R$ 10 por dia de aula efetivamente frequentada, para custeio de transporte e alimentação. Ao todo, serão ofertadas 425 vagas para os cursos do MEDIOTEC, distribuídas em três Eixos Tecnológicos e quatro cursos técnicos de nível médio, totalizando 17 turmas composta por 25 estudantes. A carga horária dos cursos técnicos ofertados variam entre 800 e mil horas. Os estudantes do Ensino Médio do 1º ou 2º ano regularmente matriculados na rede estadual de ensino realizarão o curso no contraturno do Ensino Regular. As inscrições, nessa modalidade, estarão abertas para os cursos técnicos de Vendas, Paisagismo, Hospedagem e Administração. Para as turmas do PRONATEC, nos cursos de Formação Inicial e Continuada, nas quotas Novos Caminhos e Qualifica Mais Emprega Mais, são ofertada 3.455 vagas. Elas valem para estudantes do Ensino Fundamental até os egressos da rede pública de Educação, no âmbito federal, estadual ou municipal ou, comprovadamente, de instituição filantrópica ou de instituição privada na condição de bolsista integral. Os selecionados deverão fazer a matrícula de forma online. Para isso, basta encaminhar eletronicamente, no período de 21 a 25 de março, para o e-mail [email protected], em uma única mensagem, os documentos indicados no edital. As aulas terão início no dia 28 de março.

FIES: estudantes inadimplentes podem renegociar suas dívidas a partir desta segunda-feira (7) Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

A partir desta segunda-feira (7), cerca de 1 milhão de estudantes poderão renegociar suas dívidas com o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). De acordo com o Ministério da Educação (MEC), o total de pessoas inadimplentes, ou seja, com mais de 90 dias de atraso no pagamento, representa 51,7% dos estudantes com financiamento e já soma R$ 9 bilhões em prestações atrasadas. De acordo com o Brasil 61, para quem possui dívidas entre 90 e 360 dias de atraso, o desconto é de 12% do saldo devedor, com isenção de juros e multas e parcelamento em até 150 meses. Já para quem deve há mais de 360 dias, o desconto pode chegar a 86,5% do saldo devedor. Além disso, se o estudante estiver inscrito no Cadastro Único (CadÚnico) ou for beneficiário do Auxílio Emergencial, o desconto será de 92%. Nesse caso, o saldo poderá ser parcelado em até dez vezes.

Entenda os motivos pelos quais os cursos de marketing digital seremos tão valorizados no mercado de trabalho Foto: Divulgação

O que movimenta uma empresa são as propagandas, afinal de contas, sem propaganda é impossível conhecer algo novo. Sem divulgar um produto, ou uma marca se tornar conhecido e ganhar credibilidade no mercado é impossível, ainda mais na sociedade atual em que tudo envolve tecnologia. Na sociedade atual tudo está conectado às redes sociais, portanto ter credibilidade e sua marca em circulação é uma chave para o sucesso. E para melhorar a circulação de informações que existem nos cursos de marketing, eles são responsáveis por te ensinar como divulgar uma marca no mundo, seja através da internet ou de campanhas de publicidade.  Estudar com cursos gratuitos online Marketing é se conectar melhor ao mundo e descobri como fazer uma propaganda mais atrativa. As propagandas sempre estão em constante mudança, assim como os cursos marketing que estão sempre se modificando. Hoje em dia divulgar uma marca se tornou mais fácil, mas ao mesmo tempo mais complexo. Muitas pessoas com cursos de marketing em diferentes áreas apontam que fazer propaganda online é tão complicado quanto pilotar um avião. Isso acontece pelo fato de que a propaganda quando mal feita no mundo atual, em que tudo está conectado pode acabar prejudicando uma marca. Estudar com cursos gratuitos online no ramo de Marketing pode evitar que você acabe num caminho ruim. Saber como funciona bem o processo de atrair clientes é essencial para os cursos de marketing. Dessa forma eles exploram de maneira objetiva as redes sociais ao máximo, pois é nelas que você consegue captar o máximo de clientes possíveis. Fazer cursos marketing te tornam uma ótima peça para as empresas, já que você consegue movimentar bem as novas ações das empresas, divulgando novidades e atraindo cada vez mais clientes. A renda de quem trabalha com isso costuma ser muito boa, pois é uma profissão que exige muito estudo e que você possa estudar com cursos gratuitos online por muitos anos para sempre estar atualizado e não prejudicar uma marca. O grande destaque da área fica no fato de que após as empresas adotarem um profissional na área, elas costumam ter um crescimento em vendas e captação de clientes muito mais alta. O fato é que quem procura estudar com cursos gratuitos online em marketing está investindo em um setor que sempre estará em constante crescimento. Milhares de cursos marketing no mercado são muito valiosos, pois as redes sociais já são parte do dia a dia das pessoas e enquanto isso continuar os cursos de marketing digital serão muito importantes.

Entenda os motivos pelos quais os cursos de marketing digital seremos tão valorizados no mercado de trabalho Foto: Divulgação

Como fazer um curso marketing digital online?

Como você pode notar, o marketing digital é uma área que está crescendo muito a cada dia. Tanto para empresas quanto para profissionais autônomos essa área garante muitos lucros. O marketing digital é utilizado para diversas propostas diferentes, ou seja, te torna um profissional mais completo. Estudar com cursos gratuitos online de marketing digital está se tornando cada vez mais popular. É questão de tempo para que a área se torne mais atrativa do que os cursos de informática. O grande problema para quem procura estudar algo novo é ter tempo para estudar em horário comercial, ainda mais para quem trabalha o dia inteiro. Aprender cursos marketing digital tem se tornado uma tarefa cada vez mais complicada, já que os cursos presenciais estão com alta no preço devido a demanda. Porém para quem procura iniciar ainda existem os cursos online gratuitos, em que você pode ter o ponta pé inicial nesse novo de trabalho em constante crescimento. Existem alguns critérios que você deve levar em conta ao escolher onde estudar com cursos gratuitos online. O primeiro critério são os certificados. Muitos cursos de marketing digital não emitem certificado, eles podem até te ajudar a aprender algo novo, mas não melhoram seu currículo, portanto pode acabar se tornando perda de tempo. Tendo certificado qualquer curso de marketing digital melhora e muito seu currículo.

Entenda os motivos pelos quais os cursos de marketing digital seremos tão valorizados no mercado de trabalho Foto: Divulgação

Cursos Marketing Digital nas empresas

É comum que grande parte dos cursos de marketing digital hoje em dia seja desenvolvida para trabalhar com uma única plataforma como a Google, por exemplo. Isso se torna um diferencial enorme para as grandes empresas, estudar com cursos gratuitos online em locais que já preparam o profissional com uma especialidade o aproxima de um trabalho com excelência em determinada plataforma. Como foi dito anteriormente o marketing digital é um ramo em constante crescimento. A cada dia que passa novas propagandas interativas nas redes sociais e nas páginas web aparecem com inovações. Os cursos marketing digital tem se tornado cada vez mais complexo, já que junto aos avanços da tecnologia a propaganda também cresce. O Marketing digital já existe a muito tempo, mas os cursos marketing digital estão se popularizando nos últimos anos no Brasil, isso faz com que os profissionais nessa área se tornem extremamente valiosos e raros. Mesmo em momentos de crise o marketing digital é uma área de trabalho que continua crescendo e trazendo lucro para quem usa disso.

Como estudar cursos marketing

Para se tornar um profissional nesse ramo é bem simples, estudar com cursos gratuitos online está cada vez mais acessível. Você já consegue iniciar seus trabalhos com seu primeiro certificado é claro que é só com o acúmulo de experiências e cursando diversos cursos marketing que você consegue se tornar um profissional excelente, mas isso vem com o tempo. O crescimento de uma empresa hoje em dia depende muito do uso desses profissionais, portanto investir um pouco nessa área de conhecimento pode ser o que faltava para sua empresa despontar em vendas. O fato é que hoje em dia praticamente tudo depende das redes sociais, sabendo disso investir em divulgar você, seus produtos e sua marca online pode fazer com que você tenha um crescimento profissional impressionante, a parte mais complicada do marketing digital é encontrar um profissional disponível, pois como foi dito anteriormente essa é uma área de trabalho que sempre possui demandas enormes.

Renegociação de dívidas do Fies poderá ser feita a partir de março Foto: Marcello Casal JrAgência Brasil

O governo federal anunciou nesta quinta-feira (10) que estudantes que contrataram financiamento através do Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies) poderão renegociar suas dívidas a partir de março. A renegociação foi instituída via medida provisória, editada por Bolsonaro em dezembro de 2021. O Fies é um programa pelo qual o governo federal paga as mensalidades de estudantes de graduação em instituições privadas de ensino superior enquanto eles cursam a faculdade. Por se tratar de um financiamento, o estudante precisa quitar a dívida posteriormente. Segundo o Ministério da Educação (MEC), a renegociação das dívidas deve começar em 7 de março e ir até o dia 31 de agosto de 2022.  A MP assinada pelo presidente Jair Bolsonaro entrou em vigor ao ser publicada no Diário Oficial da União (DOU) em dezembro, porém terá de ser aprovada em 2022 por deputados e senadores para que não perca a validade. Ainda, de acordo com o governo, para ter o nome retirado dos cadastros restritivos de crédito, os estudantes deverão pagar o valor da entrada no ato da renegociação, correspondente à primeira parcela. O montante mínimo da prestação será de R$ 200.

Covid-19: Estudantes com mais de 18 anos terão que apresentar comprovante de vacinação Foto: Divulgação/SEC

Na próxima segunda (7), começam as aulas de forma 100% presencial em todas as unidades de ensino da rede pública estadual. Neste retorno, será obrigatória a apresentação do cartão de vacina, na portaria das escolas, para os estudantes maiores de 18 anos. A regra também é válida para a comunidade escolar que deseje ter acesso às unidades de ensino, atendendo ao decreto governamental que exige o comprovante para entrar em prédios públicos estaduais. A medida é mais uma forma de prevenir a disseminação do coronavírus, que vai contar também com o uso obrigatório de máscaras, ventilação dos ambientes e disponibilização de álcool em gel para higienização das mãos, conforme os protocolos de biossegurança. Vale lembrar, que as escolas estão estruturadas e seguindo os protocolos de biossegurança desde que as aulas foram iniciadas para o ano letivo continuum 2020/21 e estas medidas foram ainda mais fortalecidas com as aulas presenciais, por meio da disponibilização de recursos do governo do Estado, da ordem de R$ 250 milhões do Programa Retorno Escolar Seguro (PRES). Os recursos transferidos para a conta da Caixa Escolar das unidades escolares foram destinados à cobertura de despesas de custeio e capital, de forma a contribuir para a manutenção física e pedagógica dos estabelecimentos de ensino, adequando as estruturas e adquirindo materiais necessários para manter os protocolos de biossegurança.

Governo federal concede reajuste de 33% para os professores Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro (PL) autorizou, nesta quinta-feira (27), o aumento do piso salarial dos Profissionais do Magistério Público da Educação Básica. De acordo com o Brasil 61, o reajuste, segundo informações, ficou no valor de 33,24% Desta forma, a categoria receberá R$ 3.845,63. “É com satisfação que anunciamos para os professores da educação básica um reajuste de 33,24% do piso salarial. Esse é o maior aumento já concedido pelo Governo Federal, desde o surgimento da Lei do Piso”, afirmou Bolsonaro em uma rede social. O aumento leva em consideração o valor, por aluno, pela variação da inflação nos últimos dois anos, conforme prevê a Lei do Magistério. Segundo o presidente, mais de 1,7 milhão de professores de estados e municípios, que lecionam para mais de 38 milhões de alunos nas escolas públicas, serão beneficiados.

Governo edita medida que libera R$ 3,5 bilhões para internet em escolas públicas Foto: Bruno Concha /Secom

Foi publicada na última quinta-feira (30), em edição extra do Diário Oficial da União, a Medida Provisória (MP) 1.088/2021, que abre crédito extraordinário de R$ 3,5 bilhões para financiar o acesso à internet em escolas públicas. O valor será destinado ao Ministério da Educação, que vai encaminhar os recursos para os estados e para o Distrito Federal. De acordo com o governo, a MP visa promover a assistência financeira da União para garantir acesso à internet, com fins educacionais, aos alunos e aos professores da Educação Básica Pública. O dinheiro pode ser utilizado na compra de terminais, cedidos aos alunos e professores, e na aquisição de soluções de conectividade móvel. Os investimentos deverão ser feitos para beneficiar alunos da rede pública das famílias que estão no cadastro único do governo para programas sociais, matriculados em escolas de comunidades indígenas e quilombolas. Em nota, o governo destacou que a abertura do crédito extraordinário é uma ação emergencial e temporária, de caráter socioeconômico, e “não afeta o cumprimento da meta de resultado primário”.

Arquivo