Achei Sudoeste

BUSCA PELA CATEGORIA "Saúde"

18 Mai 2021 - 08:30h

Quase meio milhão de reais. Foi esse o custo que um empresário da construção civil de São Paulo bancou para levar a família para tomar a vacina contra a Covid-19 nos Estados Unidos. O valor da jornada dos sete adultos e duas crianças - que incluiu 15 dias no México para cumprir quarentena imposta pelas autoridades americanas - seria o suficiente para comprar 45 mil doses de Coronavac, o imunizante mais usado no Brasil até agora. As informações são da BBC News Brasil. De acordo com a publicação, o empresário é dono de incorporadoras e imobiliárias com capital social declarado de mais de R$ 10 milhões. Aos 60 anos, ele é o patriarca de uma família que qualifica como “unida e conservadora”. Ele, a mulher, de 57, as três filhas do casal, com idades entre 24 e 35 anos de idade, e dois genros embarcaram para o México em meados de abril, pouco antes que o país batesse a marca de 400 mil mortos na pandemia. “Vários amigos nos EUA e o gerente do banco me alertaram que eu conseguiria tomar as doses lá e já estávamos ficando loucos trancados em casa”, disse o empresário, que relata ter cumprido quarentena rigorosa, em uma casa de campo, por mais de um ano. Ele tem comorbidades: além de problemas cardíacos, é obeso. E via no novo coronavírus uma ameaça grave, especialmente “depois que um amigo de 48 anos, semi-atleta e sem problemas de saúde, faleceu de covid”. E embora sua vez na fila não estivesse distante no calendário vacinal do governo federal, o empresário não queria deixar o restante da família para trás - para a filha de 24, por exemplo, não há nem previsão de imunização no país. Todos receberam a vacina de dose única da Janssen em Orlando, na Flórida.

18 Mai 2021 - 07:00h

O governador Rui Costa (PT) prevê um aumento do número de mortes decorrentes da Covid-19, tendo em vista as aglomerações registradas durante o final de semana em toda Bahia. Diante do crescimento de casos ativos da doença, o governador lamentou a falta de conscientização das pessoas. “Eu fico chocado com a insensibilidade de algumas pessoas que, mesmo com mais de 430 mil brasileiros mortos, fazem festas, aglomeração com 800, 300 pessoas... É muito triste ver isso, ver jovens que deveriam estar dando exemplo de consciência e comportamento, mas que estão contribuindo”, declarou. Costa salientou que o desrespeito às medidas sanitárias explica por que o estado não consegue diminuir o número de contaminados, cerca de 15 mil no momento. “O vírus continua se reproduzindo nessas festas clandestinas, em bares às vezes com a porta fechada”, lamentou.

17 Mai 2021 - 15:30h

Após retirar da página oficial do Ministério da Saúde orientações sobre uso da cloroquina, azitromicina e ivermectina no tratamento da Covid cerca de uma semana atrás, a pasta elaborou um novo documento contraindicando o uso desses medicamentos em pacientes hospitalizados com a infecção. Noticiado pela Folha de S. Paulo e obtido pela TV Globo, o documento também aborda outros medicamentos até então defendidos pelo governo e pelo presidente Jair Bolsonaro, como a hidroxicloroquina e o remdesivir. Chamado de “Diretrizes Brasileiras para Tratamento Hospitalar do Paciente com Covid-19”, o documento será colocado para consulta pública pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (Conitec). A Organização Mundial da Saúde (OMS) vem alertando desde o segundo semestre do ano passado que a cloroquina, hidroxicloroquina e azitromicina não tem eficácia comprovada contra a Covid-19 e podem provocar efeitos colaterais. Esta é a primeira vez, em mais de um ano de pandemia, que o Ministério da Saúde elabora documento desaconselhando tais drogas para tratar a Covid-19.

17 Mai 2021 - 09:30h

Um boletim divulgado na sexta-feira (14) pelo Laboratório Central de Saúde Pública Professor Gonçalo Muniz (Lacen-BA) confirmou a predominância das variantes mais agressivas da Covid-19 no estado, sobretudo a P.1, de Manaus. O sequenciamento dos genomas completos do Sars-CoV-2 detectou 21 linhagens do coronavírus em circulação na Bahia, entre elas oito cepas e três variantes de atenção apontadas pelo Ministério da Saúde: a P.1 (Manaus), a P.2 (Rio) e a B.1.1.7 (Reino Unido). Segundo o secretário de saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, a análise revela que existe um risco aumentado para a internação e rápido agravamento do quadro clínico. Portanto, o uso de máscara, distanciamento social e higiene frequente das mãos continuam sendo as medidas orientadas para evitar a disseminação do vírus.

17 Mai 2021 - 07:30h

O urologista é responsável, por cuidar do trato urinário, de homens, mulheres e crianças. O especialista Marcos Moura, urologista do Laboratório e Policlínica Exame, é o especialista responsável por tratar e diagnosticar as doenças do trato urinário, trata a saúde da bexiga, rins, uretra e ureteres, também, diagnostica e trata doenças relativas às adrenais ou glândulas suprarrenais. Essas glândulas estão localizadas acima dos rins e são responsáveis por produzir os hormônios cortisol e adrenalina. Além disso, o médico cuida do sistema reprodutor masculino, que compreende o pênis, testículos, próstata, vesículas seminais, ductos deferentes e epidídimos. Embora seja fundamental visitar regularmente um urologista, alguns sinais indicam que essa consulta deve ser antecipada. Conheça alguns sinais que sugerem que você deve procurar imediatamente um urologista: dores; sintomas urinários e sintomas dos órgãos reprodutores masculinos. Os hábitos preventivos são importantes para tratar doenças e, até mesmo, evitá-las. Por isso, ao identificar qualquer um desses sintomas, procure imediatamente um urologista e faça uma investigação com o profissional para compreender de onde vem o desconforto. Agende sua consulta conosco pelo telefone: (77) 3441-9286 / (77) 99991-5757.

14 Mai 2021 - 10:30h

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou nesta quinta-feira, 13, o uso emergencial de mais um medicamento contra a Covid-19. Desenvolvido pela farmacêutica Eli Lilly, o medicamento usa a combinação de dois anticorpos monoclonais, o banlanivimabe e etesevimabe. Os anticorpos são versões das defesas naturais do corpo fabricadas em laboratório com o objetivo de combater infecções. Este é o terceiro medicamento aprovado pela agência. Em março, a Anvisa anunciou o registro do antiviral remdesivir. Já em abril, o Regn-CoV2, coquetel que contém a combinação de casirivimabe e imdevimabe, foi aprovado para uso emergencial no país. A aplicação é intravenosa e o tratamento deve ser iniciado após o teste viral positivo para a Covid-19 e dentro de 10 dias do início dos sintomas. O uso é restrito a hospitais e a venda é proibida ao comércio. Já a incorporação no Sistema Único de Saúde (SUS) depende da avaliação do Ministério da Saúde. Segundo a Anvisa, o tratamento é indicado para adultos e pacientes pediátricos (com 12 anos ou mais que pesem no mínimo 40 kg) que não necessitam de suplementação de oxigênio, com infecção por SARS-CoV-2 confirmada por laboratório e que apresentam alto risco de progressão para Covid-19 grave. O medicamento não é recomendado para pacientes graves.

14 Mai 2021 - 07:30h

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), demonstrou preocupação com a situação da pandemia no estado. De acordo com ele, observou-se nos últimos dois dias um aumento na procura por atendimento em gripários da capital baiana, o que acendeu o “sinal amarelo” para a possibilidade de um novo repique da crise sanitária. Outro fator que deixa o governo em atenção é a estabilização, em patamares altos, da quantidade de casos ativos da doença. “Estamos com 15 mil contaminados. Nos preocupa essa resistência dos números em cair. Em dois dias seguidos, percebemos aumento no número de pessoas procurando atendimento nos gripários aqui na capital baiana. A qualquer momento, pode haver nova onda. Nos preocupa muito o que pode acontecer a partir daí”, disse o governador, em entrevista ao Bahia Meio-Dia. Diante da situação, Rui voltou a dizer que “não há nenhuma hipótese” de realização de festas juninas como o São João e o São Pedro este ano. Os indícios de novo aumento na quantidade de casos da Covid-19 surgem em meio à retomada das atividades comerciais no estado. Salvador, por exemplo, entrou nesta quinta-feira (13) na fase amarela do plano, que amplia o horário e a quantidade de atividades em funcionamento. Com o cenário, Rui voltou a pedir que a população tome os cuidados necessários para evitar a contaminação. “Faço esse pedido, esse alerta, para a população, para os comerciantes, os empresários, para que a gente não volte a agravar a situação e precise fechar tudo novamente”.

13 Mai 2021 - 07:30h

A Clínica Exame pensando sempre nos melhores profissionais para ofertar a população brumadense, inicia a parceria com o médico Genário Judson Lacerda, especialista em cardiologia infantil. Judson afirma que é completamente comprometido e apaixonado pela sua profissão. Acredita que ser pediatra o torna mais humano, e cada atendimento, amparo e contato o motiva e ensina lições, que leva para a vida. Saiba quando procurar um cardiologista pediátrico? Os cuidados com o coração do bebê começam bem antes do nascimento. Durante os exames de pré-natal já é possível identificar algumas doenças cardíacas pelo exame de ecocardiograma. Em alguns casos, o tratamento pode começar quando o bebê ainda está no útero e, em outros, é necessário cirurgia logo após o nascimento. Quando os médicos já sabem da existência da doença, não há a necessidade de transportar o bebê com urgência para outra unidade especializada, o que diminui significativamente o risco de complicações graves. Por isso, a realização do pré-natal é tão importante. Para maiores informações, entre em contato com os números (77) 3441-9286 ou (77) 99991-5757. Estamos localizados na Rua Cassemiro Pinheiro Azevedo n° 655.

12 Mai 2021 - 18:55h

A dengue potencializa a possibilidade de uma pessoa desenvolver sintomas caso seja infectada pelo coronavírus. Pessoas que já tiveram a doença transmitida pelo aedes Aegypti têm um risco duas vezes maior de desenvolver sintomas da Covid, mostra um estudo do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (ICB-USP). Os resultados foram publicados na revista Clinical Infectious Diseases. Durante o estudo, amostras sanguíneas de 1.285 pessoas foram analisadas pelos pesquisadores. Os resultados sugeriram uma interação entre as epidemias de dengue e Covid-19, uma agravando a outra. A situação é chamada de “sindemia” pelos cientistas. “Ambas afetam os setores mais vulneráveis da população”, afirmou o coordenador da pesquisa, Marcelo Urbano Ferreira. A pesquisa também apontou que a idade é outro fator relevante. Os dados mostraram que quanto mais velho, maior a chance de ter Covid-19 sintomática e maior a probabilidade de ter sido exposto à dengue. A pesquisa foi desenvolvida com voluntários do município de Mâncio Lima, no Acre. Os resultados obtidos pelo ICB-USP  vão de encontro a um outro estudo realizado em 2020, que sugeriu que a infecção prévia por dengue poderia ter um fator protetor contra o coronavírus. Marcelo Urbano  ressalta que a diferença nos resultados pode ser explicada pela diferença na abordagem. Em um estudo o trabalho foi feito com dados já existentes e agregados, ou seja, não foram analisados de acordo com diferentes características. Já no outro estudo, os dados coletados dependem da memória dos pacientes sobre ter tido ou não a doença e de um diagnóstico que não necessariamente foi preciso, explicou o cientista.

12 Mai 2021 - 11:30h

Desde o início da pandemia, 110 formas diferentes do novo coronavírus circulam ou circulavam pelo Brasil. As informações são de um levantamento feito a partir de dados inseridos por pesquisadores na plataforma genômica da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que inclui resultados de sequenciamentos genéticos feitos por outras instituições. As informações são da CNN. Pesquisadora do Laboratório de Vírus Respiratórios e do Sarampo do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz), unidade de referência para o coronavírus, Paola Serra entende que o aumento é natural. “É da biologia do coronavírus apresentar alterações genéticas ao longo do tempo. Temos uma diversidade enorme de circulação mundial, algumas têm importância, outras não. As que têm importância hoje no Brasil são as variantes de interesse ou de preocupação”, explica a virologista. Há três variantes classificadas como de preocupação pela Organização Mundial da Saúde (OMS): a de Manaus (P.1), do Reino Unido (B.1.1.7) e da África do Sul (B.1.35). Além da amazonense, nativa, as outras também foram detectadas no Brasil. As variantes de interesse são acompanhadas de perto pelos pesquisadores e podem ter impacto importante no cenário epidemiológico, mas estão restritas a poucas áreas, casos da P.2 e da N.9, ambas descobertas pelo LNCC no Brasil. Atualmente, de acordo com a Fiocruz, a linhagem P.1, de preocupação, é prevalente em todo o país. A segunda mais frequente é a P.2, de interesse. E a terceira mais comum é a B.1.1.28, da qual a P.2 teve origem. As mutações que, com um tempo, fazem com que os vírus de uma linhagem desenvolvam novas características e sejam interpretados como um novo grupo impulsionam esse aumento. Esse comportamento, de acordo com o vice-presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) e professor de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Alberto Chebabo, é comum e afetado pela circulação de pessoas e pelo amplo contato entre elas, diante de ausência de medidas restritivas mais severas.

11 Mai 2021 - 11:30h

A cada 100 mães na Bahia, uma delas tinha menos de 14 anos em 2020, segundo um estudo levantado pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI). Os partos das meninas com menos de 14 anos preocupam já que elas não estão ainda formadas nem fisicamente e nem mentalmente. O estudo da SEI aponta que elas não vão ter condições de cuidar dos filhos direito e que muitas dessas gestações podem ter ocorrido como resultado de estupro ou em condições de famílias desestruturadas. As Mulheres em Idade Fértil representam uma parcela significativa da população feminina e da população total, configurando-se em um segmento social relevante para as políticas públicas de saúde para mulheres. De acordo com a superintendência, na Bahia, no ano de 2020, são 4,8 milhões de Mulheres em Idade Fértil (MIF), de 10 a 49 anos. Esse contingente representava 62,2% da população de mulheres e 32,4% da população total do estado da Bahia. Além da participação significativa na composição populacional, em 2019, pouco mais de 197 mil mulheres se tornaram mães na Bahia. Esse número representava uma redução de 3,9% em comparação ao ano de 2018, quando, aproximadamente, 205 mil mulheres se tornaram mães na Bahia. Do total de partos em 2019, as cesarianas ocorreram em quase metade dos casos: 46,1%. E entre os nascidos vivos, os bebês do sexo masculino mantiveram a maioria dos nascimentos. A cada 100 nascidos vivos do sexo feminino, havia 104,5 do sexo masculino.

11 Mai 2021 - 08:30h

Internados em 2 de maio nas unidades da Santa Casa de Misericórdia de Itabuna, após o agravamento da infecção da Covid-19, o casal Karine Melo de Santana Silva, de 29 anos, e Rodrigo Souza dos Santos, de 32 anos, foi surpreendido com uma videochamada na última quinta-feira (6), da UTI Neonatal do Hospital Manoel Novaes (HMN), onde se encontrava internado o seu filho recém-nascido, Emanoel. Pai, mãe e filho até então separados pela Covid-19, se reencontraram pela primeira vez. De um lado da linha, a diretora técnica do HMN, a médica Fabiane Chávez, a coordenadora de Enfermagem da UTI Neonatal, Lucinaide Lemos, e Thatyanna Rodrigues (psicóloga da unidade). Elas apresentaram o pequeno Emanoel, primeiro filho do casal Rodrigo e Karine, que estão se recuperando em leitos do Hospital Calixto Midlej Filho (HCMF). A separação do casal ocorreu porque Rodrigo Souza apresentou o quadro mais grave da doença e precisou ser internado em um leito de UTI Covid do HCMF. Já Karine Melo teve de antecipar o parto depois de diagnosticada com a Covid-19 e apresentar dificuldades respiratórias. Com 37 semanas e um dia de gestação, ela foi submetida a uma cesariana em 3 de maio e, em seguida, transferida para um leito clínico no hospital onde marido está internado.

10 Mai 2021 - 07:30h

No mês de maio, além de comemorarmos o dia das mães, existe também uma campanha de conscientização sobre a saúde mental materna. Essa campanha surgiu devido ao grande número de adoecimentos psíquicos envolvendo mães, com a presença de sintomas de estresse, ansiedade e depressão na gestação e no pós-parto. Muitas mães carregam uma sobrecarga enorme devido à diversidade de tarefas diárias, que incluem dar atenção à casa, ao esposo, aos filhos, ao trabalho, à escola dos filhos (principalmente neste período de pandemia cujas aulas acontecem online).  Na maioria das vezes, essas mães não têm alguém para dividir tais funções, o que as deixam muito mais cansadas e estressadas. Com isso, a maioria das mães acaba achando que elas têm que ser perfeitas, não podem adoecer, tem que dar conta de tudo e ser eficiente sempre. No entanto, sabemos que não é bem assim que funciona, pois somos seres humanos e não máquinas. Sendo assim, é preciso dividir as tarefas e entender que não existe a mãe perfeita, pelo contrário, existe a mãe possível, que é aquela que vai cuidar do filho e cuidar dela também. Infelizmente, não temos a cultura de valorizar os cuidados com a saúde mental materna. Quando se pensa nisso, muitas vezes, a mãe é julgada e acaba silenciando bem como sofrendo sozinha, o que corrobora para o crescente número de transtornos psíquicos. Vale lembrar que cuidar da saúde deveria ser uma prioridade diariamente, a fim de não deixar chegar ao ponto de adoecer e só neste caso procurar ajuda. Portanto, mamães, vamos cuidar da saúde mental! É preciso estar bem para cuidar de quem amamos, é preciso estar bem para cuidar de nossa casa, do trabalho, da família. Seja mais flexível com você mesma, tire um tempo para cuidar de você. Não se esqueça: é necessário ter um equilíbrio emocional. É preciso cuidar de quem cuida.

07 Mai 2021 - 10:30h

Pela primeira vez, uma cirurgia de separação de bebês siameses foi realizada em Salvador, apenas por profissionais baianos. O procedimento foi feito por uma equipe multidisciplinar do Hospital Ana Nery e da Maternidade Professor José Maria de Magalhães Netto, e aconteceu na terça-feira (4), na unidade de saúde. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde (Sesab), os bebês Nathan e Nathanael nasceram prematuros em dezembro de 2020, na maternidade. Eles nasceram interligados pelo tórax e abdômen, e os dois apresentavam cardiopatias congênitas. Além disso, os irmãos dividiam o fígado e um circuito vascular. Ainda segundo a Sesab, os bebês estavam sob uso de ventilação mecânica e de drogas vasoativas desde o primeiro dia de vida, para continuarem vivos. Apesar de ter sido um procedimento bem sucedido, Nathanael, que apresentava quadro grave de cardiopatia congênita, não sobreviveu depois de uma parada cardiorrespiratória, após a cirurgia. Para o procedimento, cerca de 50 profissionais de saúde se dedicaram a estudar o caso, durante os últimos quatro meses. Participaram da cirurgia oito profissionais da Cirurgia Pediátrica; três na equipe cardíaca; quatro anestesistas, além do suporte da enfermagem e técnicos. Em novembro de 2020, a maternidade realizou uma cirurgia para separação de duas irmãs siamesas. As irmãs Aila e Maylla Gabriely nasceram em 29 de outubro, na mesma unidade de saúde onde foi realizada a cirurgia de separação. Porém, após a cirurgia, Aila não resistiu e faleceu.

07 Mai 2021 - 08:30h

O Ministério da Saúde acaba de liberar os recursos para a compra de vacinas contra a Covid-19 fabricadas pela Pfizer. O total é de R$ 6,6 bilhões. São as tais 100 milhões de doses que o ministro Marcelo Queiroga vem anunciando desde a semana passada — e citada hoje novamente em seu depoimento à CPI da Covid. O contrato entre as partes, no entanto, não foi assinado. De acordo com o jornal o Globo, a previsão é que 35 milhões de doses sejam entregues entre setembro e outubro.

06 Mai 2021 - 14:30h

A operadora de caixa Glenda Stefany Cata Preta Barbosa, de 23 anos, recebeu um presente de Dia das Mães antecipado. Seu filho caçula, Gustavo Henrique Barbosa, de 1 mês e 12 dias, teve alta do Hospital Municipal de Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, no dia 30 de abril, depois de ficar um mês internado para tratamento da Covid-19. O bebê chegou ao hospital no dia 30 de março e já foi intubado um dia após a internação, no dia 1º de abril. Mãe e filho foram separados depois de oito dias do nascimento do pequeno. “A dor de ouvir que você não pode ficar com seu filho é inexplicável, eu me desesperei, comecei a chorar quando o médico disse que eu não podia acompanhar meu filho na internação, foi desesperador”, contou Glenda. A mãe ainda explicou que durante o parto de Gustavo, no dia 23 de março, seu filho mais velho, Bernardo Henrique Barbosa, de 3 anos, estava em uma consulta com sintomas gripais. Ele não chegou a ser testado, foi medicado e liberado pelos médicos para ir para casa no bairro Morada Nova, também em Contagem. “Quando fomos embora do hospital, o meu filho mais velho estava com sintomas gripais, mesmo não sendo testado, a gente acredita que o bebê foi contaminado em casa”, contou Glenda. No dia 29 de março, o recém-nascido começou apresentar sintomas como tosse, coriza e cansaço. “Tudo aconteceu muito rápido. Eu só orava, pedia a Deus para curar meu filho que estava naquele hospital. Uma vez por dia eu recebia ligação ou um vídeo dele internado, ver um filho intubado foi a pior coisa que me aconteceu”, disse ela. No dia 18 de abril, ele foi extubado e passou por um período ainda no oxigênio, antes de conseguir respirar sem nenhuma ajuda. Gustavo precisou de acompanhamento com neurologista pediátrico após ter tido episódios de convulsões.

06 Mai 2021 - 07:30h

A Clínica Exame pensando sempre nos melhores profissionais para ofertar a população brumadense, inicia a parceria com o médico Genário Judson Lacerda, especialista em cardiologia infantil. Judson afirma que é completamente comprometido e apaixonado pela sua profissão. Acredita que ser pediatra o torna mais humano, e cada atendimento, amparo e contato o motiva e ensina lições, que leva para a vida. Saiba quando procurar um cardiologista pediátrico? Os cuidados com o coração do bebê começam bem antes do nascimento. Durante os exames de pré-natal já é possível identificar algumas doenças cardíacas pelo exame de ecocardiograma. Em alguns casos, o tratamento pode começar quando o bebê ainda está no útero e, em outros, é necessário cirurgia logo após o nascimento. Quando os médicos já sabem da existência da doença, não há a necessidade de transportar o bebê com urgência para outra unidade especializada, o que diminui significativamente o risco de complicações graves. Por isso, a realização do pré-natal é tão importante. Para maiores informações, entre em contato com os números (77) 3441-9286 ou (77) 99991-5757. Estamos localizados na Rua Cassemiro Pinheiro Azevedo n° 655.

04 Mai 2021 - 14:30h

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse que o governo tem como prioridade a vacinação e como horizonte imunizar toda a população contra o coronavírus ainda em 2021. A declaração foi dada durante participação em um evento na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), nesta segunda-feira (3). Segundo Queiroga, o governo tem buscado ampliar a vacinação, mas enfrenta a falta de doses que afeta todo o mundo. “Estamos muito entusiasmados com a perspectiva de vacinar toda a nossa população até o final do ano. Isso é plausível. Não temos doses de vacinas suficientes, isso não é só um problema do Brasil, é um problema do mundo inteiro”, ressaltou após dizer que já foram contratadas mais de 530 milhões de doses de imunizantes, de acordo com a Agência Brasil. Além da vacinação, Queiroga disse que deve ser ampliada a testagem e o uso de protocolos sem medicamentos, como as máscaras, nos próximos meses. De acordo com o ministro, as medidas são necessárias para promover a reabertura da economia que enfrenta diversas restrições devido as quarentenas para evitar a disseminação do vírus. “Não há como o governo continuar através de auxílios emergenciais segurando a nossa população. Sem desmerecer o auxílio emergencial que no ano passado foi a mais potente política social praticada no mundo contra a Covid-19”. O ministro disse que devido aos cortes até mesmo o atual orçamento destinado à saúde “é insuficiente para cumprir todas as necessidades”. No entanto, Queiroga disse que já busca tais recursos com a área econômica. “O ministro Paulo Guedes já me assegurou que serão feitas as modificações necessárias [no orçamento] para que não falte dinheiro para a assistência à saúde”, acrescentou.

03 Mai 2021 - 11:30h

O Brasil deve receber em maio, caso as estimativas sejam concretizadas, 34,5 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19, segundo o último cronograma divulgado pelo Ministério da Saúde. A previsão soma doses das vacinas Oxford/Fiocruz, CoronaVac/Butantan, Pfizer/BioNTech e, também, as recebidas pelo consórcio Covax, iniciativa liderada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) que tem como objetivo garantir um acesso mais igualitário às vacinas. O documento atualizado na quarta-feira (28) teve um aumento de 2 milhões de doses. A previsão anterior, do dia 24 de abril, indicava a chegada de 32,4 milhões de doses.

03 Mai 2021 - 07:30h

O urologista é responsável, por cuidar do trato urinário, de homens, mulheres e crianças. O especialista Marcos Moura, urologista do Laboratório e Policlínica Exame, é o especialista responsável por tratar e diagnosticar as doenças do trato urinário, trata a saúde da bexiga, rins, uretra e ureteres, também, diagnostica e trata doenças relativas às adrenais ou glândulas suprarrenais. Essas glândulas estão localizadas acima dos rins e são responsáveis por produzir os hormônios cortisol e adrenalina. Além disso, o médico cuida do sistema reprodutor masculino, que compreende o pênis, testículos, próstata, vesículas seminais, ductos deferentes e epidídimos. Embora seja fundamental visitar regularmente um urologista, alguns sinais indicam que essa consulta deve ser antecipada. Conheça alguns sinais que sugerem que você deve procurar imediatamente um urologista: dores; sintomas urinários e sintomas dos órgãos reprodutores masculinos. Os hábitos preventivos são importantes para tratar doenças e, até mesmo, evitá-las. Por isso, ao identificar qualquer um desses sintomas, procure imediatamente um urologista e faça uma investigação com o profissional para compreender de onde vem o desconforto. Agende sua consulta conosco pelo telefone: (77) 34419286 / (77) 999915757.