Justiça suspende divulgação de pesquisa eleitoral em Brumado sob pena de multa de R$ 50 mil

30 Set 2016 - 20:50h

A coligação “Pra cuidar de Brumado” entrou com representação contra a coligação “Brumado acima de tudo”, a empresa Brumado Urgente Ltda-Me, dos sócios Daniel Machado Simurro e Laércio Fernandes de Morais, e contra a empresa Gasparetto Pesquisas e Estatísticas Ltda. Na ação, a coligação alega que os sócios acima referidos são cabos eleitorais do candidato Eduardo Lima Vasconcelos e a pesquisa teria sido por ele encomendada. Além disso, argumenta que a empresa Brumado Urgente não teria estrutura e condições financeiras para custear uma pesquisa no valor de R$ 7 mil e que, portanto, o levantamento seria uma fraude. Foram juntados documentos que provam que Laércio é pessoa humilde e que possui baixa renda. “Há evidências de que não é a empresa Brumado Urgente quem está custeando a pesquisa. A essa conclusão chega-se pela análise das possibilidades financeiras dos sócios, em especial de Laércio, bem como pelos demais documentos. Estes mostram que ambos os sócios são mais que meros simpatizantes do candidato integrante da coligação “Brumado acima de tudo” , e estão agindo de forma a beneficiá-lo, cedendo o nome da empresa para figurar como contratante de empresas de pesquisa, entre elas a Gasparetto, em face da qual há fundadas suspeitas de fraudes”, afirma-se, na sentença. Diante dos novos documentos apresentados, a Justiça Eleitoral deferiu o pedido de liminar e determinou que os demandados, em especial a Brumado Urgente, se abstenha de divulgar a pesquisa, registrada sob nº BA 00710/2016, sob pena de multa de R$ 50 mil.

Comentários

Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixar comentário

Comentário

mais notícias