Crédito para famílias supera pela 1ª vez o dado às empresas

01 Mar 2017 - 12:30h

Pela primeira vez na história, a participação das empresas na carteira de crédito do país ficou menor que o das famílias brasileiras. A mudança no mix de empréstimos e financiamentos no sistema bancário foi provocada por dois fatores diferentes. De um lado, estão as empresas com elevada capacidade ociosa que pararam de buscar crédito no mercado. Do outro, estão as companhias inadimplentes, que precisam se financiar – ou rolar dívidas – e não conseguem aprovação dos bancos. Levantamento feito pelo pesquisador do Ibre/FGV e professor do Instituto Brasiliense de Direito Público, José Roberto Afonso, com dados do Banco Central (BC), mostra que a inversão das posições ocorreu pela primeira vez em dezembro e se manteve em janeiro. No último mês de janeiro, 50,93% da carteira total de crédito referia-se a empréstimos e financiamentos para pessoa física e 49,07%, para empresas. De acordo com a Veja, em janeiro de 2016, esses porcentuais eram de 47,38% e 52,62%, respectivamente.

Comentários

Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixar comentário

Comentário