'Magnesita paga mixaria de R$ 5 mil de licença de funcionamento por ano', repudia prefeito de Brumado

17 Jul 2019 - 07:00h

O prefeito de Brumado, engenheiro Eduardo Lima Vasconcelos (PSB), protestou contra o pagamento da licença de funcionamento da empresa RHI Magnesita na cidade. Em entrevista ao site Achei Sudoeste, Vasconcelos disse que, no estado de Minas Gerais, uma empresa do mesmo porte paga, em média, de R$ 150 a R$ 200 mil de alvará. “Como é que pode a Magnesita pagar a mixaria de R$ 5 mil?”, questionou o gestor. De acordo com Eduardo, a não aprovação da atualização do projeto de Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e as taxas cobradas pelo município, “isso é a forma de manter privilégio para quem tem dinheiro”, destacou. O referido projeto de atualização do IPTU, bem como as taxas cobradas pelo município, saiu de pauta da Câmara Municipal em 17 de dezembro de 2018 e, desde então, não foi mais mencionado para voltar à discussão e apreciação no plenário legislativo.

Comentários

Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixar comentário

Comentário

mais notícias