Pequena cidade de Minas Gerais tem todos os vereadores presos por corrupção

29 Jan 2016 - 10:30h

Em Minas Gerais, a pequena cidade de Centralina teve todos os seus nove vereadores presos preventivamente suspeitos de corrupção. Eles são investigados pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) de Uberlândia, acusados de desvio de dinheiro público. Segundo a investigação, todos os nove vereadores eleitos para legislatura que termina este ano fraudaram notas fiscais para justificar recebimento de diárias de viagens que nunca foram feitas. Quatro deles foram presos na semana passada, na primeira etapa da investigação que recebeu o nome de “Viagem Fantasma” e renunciaram aos cargos. Os quatro, entre eles o presidente da Câmara Municipal, foram ouvidos e soltos um dia após a prisão. Agora cumprem prisão domiciliar. Os outros cinco foram detidos na manhã da última quinta-feira (28) durante a segunda etapa da operação. Os cinco serão encaminhados para o presídio Professor Jacy de Assis, em Uberlândia. Além dos vereadores, um ex-servidor da Câmara Municipal e um ex-vereador, que hoje atua como advogado, também foram presos na operação. Outros 12 mandados de busca e apreensão foram cumpridos. Segundo o Ministério Público, os suspeitos cometeram associação criminosa, peculato, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

Comentários

Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.


Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Achei Sudoeste. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.

Deixar comentário

Comentário

mais notícias