Jair Bolsonaro ao criticar isolamento: 'Para a mídia, o vírus sou eu'

04 Mar 2021 - 11:30h

Um dia depois de o Brasil ter registrado recorde de mortes por covid-19, o presidente Jair Bolsonaro disse que a imprensa está criando "pânico" na população e se queixou de medidas de restrição e lockdown adotadas para conter a disseminação de covid-19. Desde o início da pandemia, há um ano, o maior número diário de mortes (1.726) foi verificado nesta terça-feira, 2. Além disso, o País já ultrapassa a marca de 257 mil vidas perdidas em decorrência da doença. “Para a mídia, o vírus sou eu”, disse Bolsonaro, em conversa com apoiadores, no Palácio da Alvorada. “Criaram o pânico. O problema está aí, lamentamos, mas você não pode viver em pânico. Que nem a política, de novo, do 'Fique em Casa'. O pessoal vai morrer de fome, de depressão?”, perguntou. Apesar dos problemas constatados até agora, o presidente afirmou que o Brasil é, “em valores absolutos”, o País que mais tem vacinado a população. A informação, no entanto, não é correta. De acordo com dados do site Our World in Data, o Brasil aparece em quarto no ranking de países que aplicou ao menos uma dose da vacina. Ao comparar proporcionalmente pelo tamanho de cada população, o Brasil ficar em 17º. Destacou, ainda, que o País deve contar com mais 22 milhões de doses de vacina neste mês e outras 40 milhões em abril. O foco nas vacinas marca uma mudança de discurso de Bolsonaro, que, no ano passado, questionava sua eficácia e segurança. Recentemente, no entanto, o presidente tem dado declarações favoráveis à imunização.

Comentários

Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.


Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Achei Sudoeste. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.

Deixar comentário

Comentário

mais notícias