Carnaval 2020: Boa alimentação garante maratona da folia

19 Fev 2020 - 10:30h

É tanta ansiedade pelos dias de folia na avenida, seja em bloquinhos de rua, em trios elétricos ou na pipoca que até parece que a gente tem toda a energia para aguentar firme e forte o carnaval de Salvador. Mas, na realidade, poucas horas depois do início da agitação, o corpo dá os primeiros sinais de cansaço e bate aquele medo de não conseguir dar conta. E para aguentar o pique elevado durante o período de festas, manter a energia e o corpo saudável é essencial. De acordo com o Tribuna da Bahia, a nutricionista Rita Marques explica que para cair na folia é preciso ingerir alimentos com carboidratos. “Pode ser arroz, pães ou massas, que são as principais fontes de energia na alimentação”, explica. Segundo ela, o ideal é dar preferência para as versões integrais. “Também é importante evitar comidas gordurosas, como frituras, carnes gordas, queijos amarelos, salgadinhos e molhos cremosos. Eles podem tornar a digestão mais lenta”, afirma. Para repor os nutrientes perdidos com o suor e o desgaste físico, a nutricionista ressalta que o folião prefira sempre comidas ricas em vitaminas e sais minerais como frutas, vegetais, sucos e barras de cereais. “Nem mesmo durante a ingestão de alimentos eles podem ser esquecidos. Lembrando que nas festas é importante comer a cada três horas. Água, sucos, isotônicos e água de coco auxiliam na hidratação do corpo. O folião deve ingerir mais líquido do que o habitual”, explica. Para amenizar os efeitos do consumo de bebidas alcoólicas, Rita Marques dá dicas: “É preciso evitar o excesso de álcool e ao ingeri-lo alternar com água. E jamais tomar bebidas alcoólicas com o estômago vazio”, alerta. Caso os cuidados com o álcool não tenham sido os recomendados, o ideal é fazer uma desintoxicação após a festa. “A pessoa deve voltar a ter uma dieta balanceada e desintoxicar o organismo com frutas e vegetais crus, como couve, brócolis e couve-flor. Alimentos como castanhas, nozes e amêndoas também são importantes”, conclui. Rita Marques lembra, ainda, que é fundamental verificar a higiene do local, o estado de conservação, a validade dos alimentos, além de observar se a comida está sendo manipulada de forma adequada.

Comentários

Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixar comentário

Comentário

mais notícias