Associação de matrizes africanas denuncia agressões verbais e intolerância religiosa em Vitória da Conquista

25 Set 2020 - 08:00h

Praticantes de religiões de matrizes africanas de Vitória da Conquista, a 132 km de Brumado, protocolaram uma denúncia no Ministério Público relatando que um cidadão tem feito pregações na Praça Nove de Novembro, com teor de intolerância e racismo religioso. Ele utiliza o aparelho de som de uma loja e realiza as pregações três vezes por semana, em horário definido. De acordo com a denúncia, o indivíduo profere discurso de ódio, considerando que a sua religião é superior às demais. Em entrevista ao site Achei Sudoeste, Maria das Graças Alves, conhecida como Mãe Graça, presidente da Rede Caminhos dos Búzios, que dá suporte às religiões de matrizes africanas na cidade, lamentou a situação. “Infelizmente, a intolerância religiosa nos acompanha a vida toda. Tentamos resolver da melhor forma, conversando e explicando a gravidade da situação, mas esse cidadão continuou fazendo. Isso pra gente já é agressão. Ele fala de propósito e sabe o que está fazendo. Estamos tomando as medidas legais cabíveis para que isso pare de acontecer”, comentou. Para Maria das Graças, o problema beira o fundamentalismo e as pessoas precisam aprender a respeitar diferentes crenças. O art. 20 da Lei 7.716/1989 prevê que é crime praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional, com pena de reclusão de um a três anos e multa. A petição é assinada por representantes de vários terreiros da cidade.

Comentários

Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixar comentário

Comentário

mais notícias