Com aval de Rui e Wagner, PT de Brumado vai romper e entregar cargos no governo Eduardo Vasconcelos

09 Set 2021 - 19:25h

O Partido dos Trabalhadores (PT) de Brumado vai romper politicamente, até esta sexta-feira (10), com o governo do prefeito Eduardo Lima Vasconcelos (PSB). A decisão já foi tomada pela comitiva local e aguarda apenas o aval do governador da Bahia, Rui Costa, e do senador Jaques Wagner. Segundo apurou o site Achei Sudoeste, o estopim para o rompimento foram as matérias veiculadas por este site da participação do prefeito de Brumado na manifestação em favor do presidente Jair Messias Bolsonaro, em Brasília. No ato, Vasconcelos chegou a segurar uma faixa pedindo a renúncia de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) (veja aqui). Eduardo ainda declarou a nossa reportagem que acreditava que seu apoio a Bolsonaro não afetaria a sua relação com Costa (veja aqui). Com isso, o PT de Brumado entregará cargos âmbito da administração municipal, além da secretaria de agricultura. A presidente do poder legislativo, Verimar Dias da Silva Meira, não fará mais parte da base aliada de Lima na câmara de vereadores. O PT local já tem uma nota pública para anunciar oficialmente a decisão.

Comentários

Sergio Mauro de Oliveira

"Quando se diz que burro forte leva a cangalha mais pesada, não é atoa. O Prefeito Eduardo vem puxando uma cangalha tão pesada. Na eleição quando sua vitória era segura e com grande diferença para o outro candidato, essas duas lideranças Governador e Senador registraram o seu apoio a diferença que seria francamente enorme se reduziu causando até preocupação. Prefeito perder o apoio desses que se julgam maiores do que realmente são, é um alivio para suas futuras pretensões políticas. Sua cangalha ainda leva peso em excesso, mas o que resta, dá para suportar. Muito sucesso!"

Marcio Roberto

"Na sexta-feira antes da eleição as pesquisas apontavam a Vitória de Fabrício pra prefeito de Brumado. A sorte de Eduardo foram as divulgações dos vídeos de apoio do governador no sábado, um dia antes das eleições. Ou seja, se o PT tirar o apoio de Eduardo, o governo dele acaba, porque a presidente da Câmara abrirá o impeachment."



Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Achei Sudoeste. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.

Deixar comentário

Comentário

mais notícias