Famílias da zona rural de Palmas de Monte Alto ainda vivem às escuras

04 Nov 2019 - 09:00h

Na zona rural da cidade de Palmas de Monte Alto, a 182 km de Brumado, o candeeiro ainda é uma realidade, embora a Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia (Coelba) tenha assegurado que o Projeto Executivo referente à energização do Povoado de Abóboras, Covas de Mandioca, Lagoa dos Patos, Vargem Comprida e Caldeirão já tivesse sido concluído. Segundo a Coelba, a execução das obras, no âmbito do Programa Luz para Todos, dependia apenas de aprovação pelo órgão ambiental, uma vez que o local onde seria implantada a rede de energia elétrica compreende área de preservação. A situação das cerca de vinte famílias das Comunidades de Lagoa da Posse e Água Verde, no Povoado de Abóboras, continua desafiando a propaganda oficial sem acesso à energia elétrica. 

Segundo o líder comunitário Anielton Lima, os moradores sonham em ter uma geladeira, por exemplo. “Somos uma ilha eletrificada, mas não temos energia”, disse ao Jornal do Sudoeste. Em maio último, uma terceirizada da concessionária de distribuição de energia elétrica na Bahia chegou a marcar postes, possivelmente com dados referentes ao projeto de eletrificação das comunidades ainda não atendidas, mas de lá para cá nenhuma ação efetiva foi realizada. Em nota, a Coelba informou que a implantação da rede elétrica para atender às famílias das localidades “estão dentro do prazo estabelecido pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que é 2021”.

Comentários

Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixar comentário

Comentário

mais notícias