Filho de Bruno sobre pai: 'No mínimo, prisão perpétua'

11 Ago 2020 - 11:30h

Convivendo desde muito cedo com a ausência da mãe, Eliza Samudio, assassinada a mando do pai biológico, o ex-goleiro do Flamengo, Bruno Fernandes, Bruninho Samudio, de apenas 10 anos, afirmou se sentir ameaçado com o fato de o pai estar em liberdade. Ao lado da avó Sônia da Silva Moura, 55 anos, mãe de Eliza, o garoto disse ao site ContilNet, do Acre, onde Bruno deve ir morar após ser contratado pelo Rio Branco Futebol Clube, que o pai deveria ficar na prisão pelo resto da vida. “No mínimo, ele deveria ficar em prisão perpétua, porque eu acho uma sacanagem tirar a vida de um ser humano. Não existe nenhum motivo que explique isso. Nenhum”, disse a criança, em áudios divulgados pelo site acreano. O goleiro também foi acusado de sequestro. O menino, com poucos meses de nascido e três meses após a morte da mãe, foi encontrado pela polícia em uma favela de Belo Horizonte (MG) “com fome e sujo”, de acordo com a avó. Em outro áudio, também enviado pela avó, Bruninho diz que o pai é uma ameaça para ele. “Infelizmente, ele é uma ameaça para a sociedade, e eu me sinto muito ameaçado com isso”, finalizou.

Comentários

Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixar comentário

Comentário

mais notícias