Ministro da saúde defende isolamento e diz a médicos ser contra tratamento precoce

26 Mar 2021 - 14:30h

O novo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, se reuniu na última quinta-feira (25), com chefes do Hospital das Clínicas e do Incor (Instituto do Coração), em São Paulo, e disse aos médicos ser contra o chamado “tratamento precoce” para a covid-19, além de ter apoiado o uso de máscaras e o isolamento social como ferramenta principal no combate à pandemia no país. O ministro visitou a Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), que reúne os dois complexos hospitalares, para pedir ajuda para alinhar um novo protocolo nacional de combate à doença nos hospitais do Brasil. Presente na reunião, o infectologista Esper Kallás disse que o ministro prometeu “seguir a ciência” em sua gestão na pasta. “O ministro é técnico, tem conhecimento médico e deixou claro a importância do isolamento social, do uso de máscaras e reconheceu a inexistência de um tratamento precoce para o vírus. Estamos no pior momento da pandemia. Se as coisas continuarem como estão, a previsão do futuro é ainda pior”, disse ao Uol o membro do Centro de Contingência ao Coronavírus em São Paulo. A reportagem confirmou as declarações de Queiroga com outro médico do Hospital das Clínicas que preferiu não se identificar. O encontro foi realizado de forma presencial e com participações virtuais de outros profissionais da saúde, e durou pouco mais de uma hora.

Comentários

Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.


Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Achei Sudoeste. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.

Deixar comentário

Comentário

mais notícias