Aumento da margem de consignação: a porcentagem alcança 40% sobre a renda da pessoa

08 Jul 2021 - 00:01h

Atualmente servidores públicos, funcionários de empresas privadas, aposentados e pensionistas do INSS podem contratar empréstimos consignados ou fazer compras com o cartão consignado comprometendo até 40% da sua renda para pagar as prestações, pelo menos até o final deste ano. Isto quer dizer que uma pessoa que recebe um salário de R$ 1.050 pode fazer parcelas de até R$ 420, considerando o empréstimo e o cartão nesta modalidade, e, portanto, recebendo apenas R$ 630 para pagar seus gastos e satisfazer suas outras necessidades durante o mês. Por este motivo, é muito importante analisar muito bem o orçamento e as condições de contratação do crédito consignado antes de fazer tal comprometimento da renda. Apesar de outras modificações realizadas pelos bancos, como o prazo de carência e aumento no prazo de financiamento do crédito, que podem ser benéficas para os clientes, alguns analistas alertam que este aumento pode elevar o endividamento e a inadimplência das famílias e levar a problemas maiores.

 

Sobre a margem consignada

A margem de consignação se refere ao valor máximo que uma pessoa pode comprometer mensalmente da sua renda para fazer o pagamento das parcelas de um empréstimo deste tipo. Calcular a margem consignada para um empréstimo não é nada difícil, em geral basta multiplicar sua renda por 0,35 para saber qual é o valor máximo da parcela do empréstimo que pode pegar. Por exemplo, se uma pessoa ganha R$ 1.500, ao multiplicar por 0,35 temos R$ 525. Isso significa que o cliente pode fazer uma operação que tenha parcelas de R$ 525 ou menores. Isto é, o cliente com essa margem pode fazer um empréstimo de R$ 10.500 com 1,5% de CET (Custo Efetivo Total) e parcelar em 24 meses, neste caso o comprometimento da renda é quase total, visto que as parcelas serão de R$ 524,20 (Total da operação R$ 12.580,80). Mas, se o tomador decide aumentar o prazo dois anos mais teria que pagar 48 parcelas de R$ 308,44 (total do crédito R$ 14.805,12). O prazo máximo de financiamento está determinado nos contratos de consignação, em geral beneficiários do INSS podem parcelar em até 84 meses e servidores de órgão públicos em até 96 meses. Mas, vale lembrar que quanto maior é o parcelamento, maior é a incidência dos juros e consequentemente o cliente paga um valor maior, como é possível ver no exemplo anterior. A escolha do prazo de pagamento, além de levar em conta as condições impostas pela instituição financeira, também depende do prazo que o cliente escolher. No segundo caso, o tomador fica com uma margem de crédito a seu favor, consequentemente pode fazer outro crédito consignado no futuro e recebe mensalmente mais de 65% do seu salário. No entanto, o crédito consignado pode variar e o cliente se encontrar com uma margem menor. Isto ocorre porque para oferecer um crédito consignado cada uma das instituições financeiras faz um contrato com o empregador do cliente, seja uma empresa privada, o Instituto Nacional do Seguro Social ou qualquer outro órgão público. Neste contrato, além da margem de consignação também ficam estabelecidas outras condições para a liberação do capital e o comprometimento do empregado de fazer o desconto na folha de pagamento do funcionário para fazer o pagamento das parcelas.

Comentários

Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.


Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Achei Sudoeste. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.

Deixar comentário

Comentário

mais notícias