Brumado: Secretário diz que não pode atender lei ao tempo integral por não planejar o transporte

20 Set 2021 - 07:00h

Um projeto de lei aprovado pelo legislativo em 2020 retira a obrigatoriedade do tempo integral nas escolas da rede municipal de ensino de Brumado. No entanto, o Município tem descumprido a lei ao impor o tempo integral como obrigatório nas unidades de ensino. Em entrevista ao site Achei Sudoeste, o secretário de educação João Nolasco explicou que a lei diz que o Município é obrigado a conceder o transporte escolar para aqueles alunos que optam por não frequentar o tempo integral, o que não é possível por uma questão de logística. “O tempo integral foi planejado para o aluno entrar às 7h e sair às 17h. Hoje, nós não temos condições de atender a essa lei. Primeiro, porque a gente teria de ter transporte suficiente para levar esse aluno, mas não temos. Com a pandemia, a maioria dos donos de transporte que sobrevivia desse recurso acabou parando, vendendo os carros. Hoje, estamos tendo dificuldade para manter o transporte normal”, justificou. Nolasco frisou que o não atendimento à lei se deve à falta de adequação diante dessa realidade. “Não temos recursos para atender. Esse é o grande entrave”, reiterou.

Comentários

Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.


Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Achei Sudoeste. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.

Deixar comentário

Comentário