Brumado: Secretário de educação diz que Município não abre mão e mantém tempo integral

20 Set 2021 - 12:00h

Em entrevista ao site Achei Sudoeste, o secretário de educação de Brumado, João Nolasco, justificou que o Município não está atendendo a lei, aprovada no Legislativo, que retira a obrigatoriedade do tempo integral nas escolas da rede, por uma questão de falta de veículos suficientes para realizar o transporte dos alunos que optam por não permanecer nas unidades após o período regular de aulas. Questionado se, nesse caso, não seria melhor, ao invés de passar por cima da lei, deixar o retorno do tempo integral para o ano que vem, quando as devidas adequações pudessem ser feitas, Nolasco citou o prejuízo à educação por conta da pandemia. Segundo ele, o tempo integral visa justamente preencher essa lacuna ao reforçar o aprendizado dos alunos após 1 ano e meio de paralisação das aulas. “Hoje, estamos buscando todos os recursos para investir nos alunos em aulas de reforço. Se eu deixar para o ano que vem e não tomar providências, o Brasil vai se equiparar aos países africanos em termos de estudo. Temos que procurar recuperar”, afirmou. O secretário declarou que a decisão é coletiva, válida para todos os alunos, e o Município não vão abrir mão de manter o tempo integral.

Comentários

Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.


Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Achei Sudoeste. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.

Deixar comentário

Comentário