Prefeito nega acordo com a Embasa em que Brumado passaria a dever R$ 175 milhões à Estatal

14 Out 2021 - 00:00h

Em live nas redes sociais, o prefeito Eduardo Lima Vasconcelos (PSB) destacou que, ainda que seja nebulosa a possibilidade de se renovar o contrato de concessão com a Embasa, em homenagem ao interesse público, notificou a empresa para apresentar todos os elementos pertinentes à implantação do esgotamento sanitário municipal. No entanto, em reunião na capital baiana, segundo o prefeito, a Embasa apresentou uma resposta absurda ao Município. “Ao final de 2037, data em que se expiraria o pretenso prazo aditivado, o Município teria um passivo com a Embasa no aporte de aproximadamente R$ 175 milhões. Olha que absurdo. A Embasa quer esticar o contrato partindo da premissa que nós devemos algo a eles”, afirmou. Para o gestor, a Embasa poderia cobrar uma taxa de esgoto embutida na conta de água, tal como lhe é assegurado, porém preferiu não o fazer e deixou todo ônus para Brumado. “Não levou água pra canto nenhum. É obrigação dela fazer a universalização da água e levar a água aos distritos, mas nunca fez nem o esgotamento. E agora dizer que, para esticar o contrato, o Município vai estar devendo, em 2037, a bagatela de R$ 175 milhões? Querem que eu assine um acordo desse para endividar o meu povo? Jamais!”, esbravejou.

Comentários

Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.


Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Achei Sudoeste. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.

Deixar comentário

Comentário

mais notícias