Briga por causa de galo que cantava ‘Bolsonaro’ acaba em morte

31 Out 2021 - 04:55h

Um homem de 52 anos foi preso nesta sexta-feira (29), acusado de matar um vizinho depois de uma briga por causa de um galo, em Petrópolis, no interior do Rio de Janeiro. De acordo com a Polícia Civil, o homem morto acreditava que o animal cantava o nome do presidente Jair Bolsonaro. Segundo as investigações, Marcos Custódio Ferreira atirou contra Ricardo Carneiro Montojos na manhã de 4 de setembro próximo à entrada do Parque Nacional da Serra dos Órgãos. Quando ele já estava no chão, usou uma pedra de cerca de 8 kg para atingir a cabeça da vítima, que morreu na hora. O autor então fugiu e buscou refúgio na região da mata nos dias seguintes ao crime. Depois de contratar um advogado, ainda em setembro, ele foi à delegacia da cidade para prestar esclarecimentos. De acordo com a polícia, ele confessou o assassinato e afirmou que agiu por rixas antigas por causa do galinheiro que havia em seu terreno. O homem contou que Montojos alegava que ele havia ensinado seu galo a dizer a palavra “Bolsonaro” por implicância, uma vez que a vítima não gostava do presidente Jair Bolsonaro. Ele foi preso após a Justiça expedir um mandado de prisão preventiva e responderá por homicídio qualificado. As informações são do jornal Correio.

Comentários

Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.


Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Achei Sudoeste. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.

Deixar comentário

Comentário

mais notícias