Achei Sudoeste
Achei Sudoeste
zika
Guanambi: Secretaria de Saúde orienta população sobre a passagem do carro fumacê Foto: Lay Amorim/Achei Sudoeste

A Secretaria Estadual de Saúde (Sesab) liberou o carro fumacê para controle da epidemia de dengue na cidade de Guanambi. Em entrevista ao site Achei Sudoeste, o secretário municipal de saúde, Edmilson Júnior, informou que o município foi contemplado com três veículos fumacê e a pasta já tem feito as deliberações necessárias junto à Vigilância Epidemiológica Municipal e à equipe da Sesab para definir a metodologia do processo de trabalho. Ao todo, 19 bairros com maior índice de infestação serão atendidos com a passagem do fumacê. O secretário orientou a população a abrir portas e janelas para que o larvicida possa agir nos focos do mosquito aedes aegypti dentro das residências. “As principais recomendações são abrir portas e janelas, fazer a cobertura dos alimentos e deixar o trânsito livre para que o fumacê possa fazer o ciclo de ida e volta nas vias. Contamos com a colaboração da população”, afirmou. A equipe permanecerá na cidade por 15 dias consecutivos para execução de vários ciclos de controle em diferentes localidades.

Carro fumacê é liberado para controlar epidemia de dengue na cidade de Guanambi Foto: Lay Amorim/Achei Sudoeste

A Secretaria Estadual de Saúde (Sesab) liberou o carro fumacê para a cidade de Guanambi. Ao todo, três veículos serão utilizados para controle químico espacial no município, com emprego de UBV acoplada. Os carros chegam nesta quarta-feira (05) e a aplicação começa a ser realizada na cidade na quinta-feira (06). O fumacê permanecerá 15 dias em Guanambi para controle da situação de epidemia de dengue. No total, 19 bairros com maior registro de arboviroses serão beneficiados. De acordo com boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde, a cidade registrou, até o dia 29 de maio deste ano, 3105 casos confirmados de dengue, 124 casos de chikungunya e 12 de zika. 331 casos de dengue estão em investigação e 1 óbito foi confirmado até o momento. Diante da situação, a pasta orientou a população a colaborar, deixando as portas e janelas abertas durante a passagem do carro fumacê.

Com 102 mortes, chikungunya tem letalidade maior que dengue no Brasil Foto: NIAID

Pelo menos 102 pessoas morreram após serem infectadas pelo vírus Chikungunya no Brasil em 2024. Há ainda 106 óbitos em investigação. As informações são da Agência Brasil. Os números foram divulgados nesta terça-feira (14) pelo Ministério da Saúde. A secretária de Vigilância em Saúde e Ambiente da pasta, Ethel Maciel, alertou que a doença registra, neste momento, maior letalidade mesmo quando comparada à dengue. “Temos 182.873 casos prováveis de chikungunya. Bastantes casos. Temos 102 óbitos confirmados e 106 em investigação. Uma letalidade de 0,06 [para cada 100 mil habitantes]. É importante falar isso porque há uma tendência de se dizer que a chikungunya tem uma letalidade menor que a da dengue e não é isso que os dados estão mostrando neste momento”, disse. A letalidade da dengue no Brasil, de acordo com o boletim mais recente, é de 0,05 óbito para cada 100 mil habitantes. “A gente precisa chamar a atenção também para o cuidado com chikungunya que, além de sequelas importantes que temos verificado nas pessoas, ela também tem uma letalidade que é, neste momento, maior que a da dengue. Não são os números absolutos, mas a letalidade, a relação entre aqueles que adoecem e aqueles que morrem. É preciso prestar também muita atenção na Chikungunya”. O vírus Chikungunya é transmitido pelo mosquito Aedes aedypti, que também é vetor da dengue e da zika.

Brumado atinge 759 casos confirmados de dengue e Vigep aponta queda de notificações Foto: Lay Amorim/Achei Sudoeste

De acordo com dados da Vigilância Epidemiológica Municipal (Vigep), Brumado possui 1773 casos notificados de dengue, sendo 722 casos de dengue clássica, 37 de dengue com sinais de alerta, 336 descartados e 681 em investigação. Ao site Achei Sudoeste, o coordenador de endemias, Fábio Azevedo, explicou que, apesar da situação de alerta, a Vigep registrou um declínio no número de novos casos notificados por semana epidemiológica. “Estamos declinando na quantidade de novos casos suspeitos. Se voltar a chover novamente, pode ser que torne a dar um pico no número de casos. A tendência é diminuir pelas ações de trabalho e a conscientização da população”, afirmou. Além das campanhas educativas, Azevedo destacou que a prefeitura promoveu um amplo trabalho de limpeza nas ruas e logradouros públicos, o que impactou na redução do número de criadouros do mosquito aedes aegypti. O coordenador orientou que a população mantenha os terrenos e lotes limpos a fim de evitar a formação de novos focos do mosquito. “Temos que estar alertas o ano todo, em qualquer período”, frisou.

Município da Chapada Diamantina registra óbito por dengue, confirma Sesab Foto: Raul Santana/Fiocruz/Divulgação

Subiu para 60 o número de vítimas da dengue na Bahia. O estado tem 256 dos 417 municípios em epidemia da doença. As informações foram divulgadas na segunda-feira (6), pela Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab) A Bahia possui taxa de letalidade de 2,8%, menor do que a média nacional. O último óbito foi registrado em Itaberaba, cidade na região da Chapada Diamantina. A Sesab indicou um aumento de 702,9% nos casos da doença em 2024. Até o dia 20 de abril, 153.404 casos prováveis foram notificados no estado. No mesmo período de 2023, o registro foi de 19.106 casos. Vitória da Conquista segue liderando o número de casos, com 27.787, seguida por Salvador, com 7.208, e Feira de Santana, com 6.891 casos prováveis da doença. Apesar de ser a segunda com mais casos de dengue no estado, a prefeitura da capital baiana informou que a cidade não está mais em epidemia da doença. Salvador registrou redução de mais de 50% no número casos confirmados de dengue em relação ao mesmo período do ano passado. Além da dengue, o mosquito aedes aegypti também transmite outras duas arboviroses: zika e chikungunya. Neste ano, foram registrados dois óbitos por chikungunya nos municípios de Teixeira de Freitas e Ipiaú. Nenhum óbito por zika foi confirmado.

Dengue: Sesab confirma mortes em Conquista, Macaúbas, Tanque Novo e Palmas de Monte Alto Foto: Raul Santana/Fiocruz/Divulgação

Com a confirmação de mais mortes na terça-feira, 30 de abril, sobe para 56 o número de vítimas da dengue na Bahia. O estado tem 256 dos 417 municípios em epidemia da doença. Os quatro últimos óbitos foram registrados em Feira de Santana, Macaúbas, Palmas de Monte Alto e Vitória da Conquista. A Secretaria de Saúde do Estado (Sesab) indicou um aumento de 702,9% nos casos da doença em 2024. Até o dia 20 de abril, 153.404 casos prováveis foram notificados no estado. No mesmo período de 2023, o registro foi de 19.106 casos. Vitória da Conquista segue liderando o número de casos, com 24.111, seguida por Salvador, com 6.796, e Feira de Santana, com 6.239 casos prováveis da doença. A Bahia possui taxa de letalidade de 2,9%, menor do que a média nacional. Ao todo, foram confirmados 56 óbitos por dengue nos municípios de Vitória da Conquista (12), Jacaraci (4), Feira de Santana (4), Juazeiro (4), Piripá (3), Caetité (2), Santo Antônio de Jesus (2), Barra do Choça (2), Coaraci (2), Palmas de Monte Alto (2), Caetanos (1), Campo Formoso (1), Carinhanha (1), Encruzilhada (2), Guanambi (1), Ibiassucê (1), Irecê (1), Macaúbas (1), Santo Estevão (1), Seabra (1), Várzea Nova (1), Bom Jesus da Lapa (1), Caculé (1), Ipiaú (1), Luís Eduardo Magalhães (1), Caraíbas (1), Maraú (1) e Tanque Novo (1). Além da dengue, o mosquito aedes aegypti também transmite outras duas arboviroses: zika e chikungunya. Neste ano, foram registrados dois óbitos por chikungunya nos municípios de Teixeira de Freitas e Ipiaú. Nenhum óbito por zika foi confirmado.

Secretaria de Saúde de Guanambi informa óbito suspeito de dengue Foto: Lay Amorim/Achei Sudoeste

A Secretaria de Saúde de Guanambi, informou ao site Achei Sudoeste, na tarde desta segunda-feira (29), mais um óbito suspeito de dengue no município. Até o momento, a cidade tem o registro de três mortes, tendo um confirmado pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesab), através da Câmara Técnica. A paciente é uma mulher de 43 anos. Guanambi tem 2970 casos da doença foram notificados, sendo 1331 confirmados, 499 descartados e 1140 aguardam resultados. De acordo com a pasta, 139 pacientes estão com sinais de alarme para dengue e cinco com sinais graves. Segundo o boletim epidemiológico, a cidade ainda registrou 381 notificações de chikungunya, com 50 casos confirmados, 159 descartados e 172 aguardando resultados. Já a Zika, 185 notificações, 11 confirmados, 99 descartados e 75 aguardando resultados.

Vitória da Conquista prorroga decreto de situação de emergência devido às arboviroses Foto: Lay Amorim/Achei Sudoeste

A Prefeitura de Vitoria da Conquista publicou no Diário Oficial o Decreto nº 23.098, que prorroga por mais 30 dias a situação de emergência em decorrência dos casos de arboviroses no município. O decreto, que está em vigor desde o dia 19/02 e segue até 18/05, foi instituído em razão do aumento no número de casos de dengue, zika e chikungunya. Até a última segunda-feira (22), foram registradas 30.784 notificações de arboviroses, com 8.853 casos confirmados de dengue, 01 de zika e 47 de chikungunya, além de 10 óbitos. A prorrogação se deu porque os registros ainda sinalizam um número expressivo de casos suspeitos. Estão sendo programadas novas estratégias para o controle vetorial do mosquito no município e a intensificação do trabalho dos Agentes de Combate às Endemias. Além disso, a prefeitura enviou um novo ofício à Secretaria Estadual de Saúde reiterando a necessidade do retorno do carro fumacê ao município diante da alta infestação do mosquito em diversas áreas. Também foi solicitado o apoio do Exército Brasileiro e do Corpo de Bombeiros para colaboração nas ações de combate na zona urbana e rural. Outras ações também estão sendo desenvolvidas diariamente, como mutirões de limpeza, coleta de pneus, operação cata-bagulho, atividades educativas nas escolas e os bloqueios e borrifações de inseticida UVB com bombas costais nos locais com maior incidência de focos do mosquito. Essas medidas valerão pelos próximos 60 dias e o cenário poderá ser reavaliado, considerando a fase epidemiológica da propagação e a evolução dos casos no município.

Idosa de 94 anos morre por dengue em Caculé, confirma Secretaria de Saúde Foto: Lay Amorim/Achei Sudoeste

A Prefeitura de Caculé, através da Secretaria de Saúde, confirmou neste sábado (20), a primeira morte por dengue no município. Segundo nota recebida pelo site Achei Sudoeste, a paciente era uma idosa de 94 anos, com histórico de comorbidades. A morte foi confirmada pela Câmara Técnica do Estado como sendo causada por dengue e ocorreu durante a 15ª Semana Epidemiológica. De acordo com a Secretaria de Saúde, Caculé registra 560 notificações para dengue, com 16 casos confirmados. Na última semana, 30 agentes do Corpo de Bombeiros estiveram no município realizando ações de combate ao mosquito Aedes Aegypti. A pasta pede apoio da população para erradicar os focos de transmissão da doença.

Quase 4 bilhões de pessoas correm risco de infecção pelo Aedes no mundo Foto: Reprodução

Quase quatro bilhões de pessoas em todo o mundo estão sob risco de infecções transmitidas por infecções do tipo Aedes - seja o Aedes aegypit ou o Aedes albopictus que, juntos, respondem por doenças como dengue, zika, chikungunya e febre amarela. As informações são da Agência Brasil. O alerta é da líder da equipe sobre arbovírus da Organização Mundial da Saúde (OMS), Diana Rojas Alvarez. Ao participar - por videoconferência - de encontro na sede da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) em Brasília, Diana destacou que a estimativa é que esse número – quatro bilhões - aumente em mais um bilhão ao longo das próximas décadas, sobretudo, por conta de fatores como o aquecimento global e a adaptação do Aedes a grandes altitudes. O mosquito, segundo ela, já pode ser encontrado, por exemplo, em montanhas do Nepal e da Colômbia, além de países da região andina. A OMS monitora ativamente surtos e epidemias de dengue em pelo menos 23 países, sendo 17 nas Américas - incluindo o Brasil. Segundo Diana, os casos da doença aumentaram consistentemente ao longo das últimas quatro décadas. Em 2023, entretanto, houve o que ela chamou de aumento muito significativo tanto de casos como de mortes pela doença. “Um novo recorde”, disse, ao citar mais de seis milhões de casos reportados e mais de sete mil mortes por dengue em 80 países. Para Diana, a expansão de casos se deve a fatores ambientais como o aumento das chuvas e, consequentemente, da umidade, o que favorece a proliferação do mosquito, além da alta das temperaturas globais, ambos fenômenos provocados pelas chamadas mudanças climáticas. Ela disse, ainda, que é imprescindível melhorar a comunicação de casos e os sistemas de vigilância dos países em relação a arboviroses para ampliar ações de prevenção e combate em saúde pública.

Município de Brumado confirma primeira morte por dengue em 2024 Foto: Lay Amorim/Achei Sudoeste

Os casos de dengue continuam aumentando na cidade de Brumado. De acordo com o coordenador de endemias da Vigilância Epidemiológica Municipal, Fábio Azevedo, o município possui atualmente 1365 casos notificados, sendo 323 casos confirmados de dengue clássica, 26 de dengue com sinais de alerta e 1 de dengue grave. Além disso, há 1 óbito confirmado e 1 óbito em investigação. Ao site Achei Sudoeste, o coordenador acrescentou que 244 casos já foram descartados e 771 ainda estão aguardando o resultado da análise laboratorial. “A dengue está generalizada”, pontuou. O coordenador destacou que a Vigep tem realizado um intenso trabalho de combate ao mosquito aedes aegypti, tanto na sede como na zona rural. No campo, em praticamente todas as áreas, a Vigep fez o bloqueio costal. Já na zona urbana, poucas áreas estão descobertas. Para o coordenador, o trabalho de conscientização feito nas escolas, nas empresas e nas comunidades tem ajudado a aumentar a adesão da população para evitar a formação de possíveis focos dos mosquitos nas residências, através do descarte correto do lixo e da vedação das caixas e reservatórios de água. “O mosquito se prolifera em água limpa e parada. Temos que ter a mobilização e o apoio da comunidade”, alertou. Hoje, o índice de infestação do mosquito na cidade é acima de 2%, considerado alto, visto que o recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) é abaixo de 1%. O número já caracteriza que Brumado vive uma epidemia de dengue.

Bahia tem 269 municípios em epidemia de Dengue Foto: Raul Santana/Fiocruz/Divulgação

Os casos de Dengue em 2024 enfrentam um aumento acentuado na Bahia, com um crescimento de 667% em relação ao mesmo período do ano anterior. Em 2024, até o dia 13 de abril, foram notificados 134.953 casos prováveis de Dengue no estado, com a macrorregião de saúde do Sudoeste concentrando 44% dos casos e 65% dos óbitos. No mesmo período de 2023, foram notificados 17.595 casos prováveis. Ao todo 269 municípios estão em epidemia. A Bahia possui uma taxa de letalidade de 2,7%, menor do que a média nacional. Ao todo, foram confirmados 37 óbitos por dengue. Nesta segunda-feira (15), durante a reunião semanal do Centro de Operações de Emergência em Saúde (Coes), que reúne representantes de diversas esferas governamentais, além do Conselho Estadual de Saúde (CES) e Conselho dos Secretários Municipais de Saúde (Cosems-BA), o município de Vitória da Conquista foi citado como o caso mais preocupante. “Vitória da Conquista lidera o número de casos prováveis e mortes da doença na Bahia. Hoje o município tem o triplo de casos de Salvador e quatro vezes mais do que Feira de Santana. São 21.099 casos e 8 mortes confirmadas por Dengue, isso sem contar as 2.378 notificações de chikungunya e 1.123 de Zika”, afirma o subsecretário da saúde do Estado, Paulo Barbosa. Até o momento, o estado recebeu 170.469 doses de vacina contra a Dengue, com 110.448 já administradas. A campanha está focada em crianças e adolescentes de 10 a 14 anos.

Bahia tem 265 municípios em epidemia de Dengue, Sesab Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

De acordo com os dados da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Divep) da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), foram notificados 114.809 casos prováveis de Dengue na Bahia até o dia 7 de abril de 2024, registrando um Coeficiente de Incidência (CI) de 809,7 casos/100.000 habitantes. Na mesma semana epidemiológica 14 de 2023, haviam sido notificados 14.561 casos prováveis, o que representa um aumento de 788%. No total, 265 municípios da Bahia estão em estado de epidemia de Dengue. Outros 80 estão em risco e 18 em alerta. O Governo da Bahia já investiu mais de R$ 21 milhões no combate à Dengue através da aquisição de novos carros de fumacês, distribuição de aproximadamente 12 mil kits para os agentes de Combate às Endemias, além de apoio para intensificação dos mutirões de limpeza, com o auxílio das forças de segurança e emergência, e aquisição de medicamentos e insumos. “O Governo da Bahia tem investido no combate à Dengue, providenciando estrutura, pessoal e medicamentos nos municípios e nas unidades de saúde. Contamos com o apoio da população e das gestões municipais para que, juntos, possamos combater a Dengue e superar esse momento. Não deixem água parada nas suas residências e locais de trabalho e procurem uma unidade de saúde se sentirem os sintomas da doença”, analisa a secretária da Saúde do Estado, Roberta Santana. A Bahia possui uma taxa de letalidade de 1,45%, menor do que a média nacional. Ao todo, foram confirmados 30 óbitos por dengue nos municípios de Vitória da Conquista (7), Jacaraci (4), Juazeiro (3), Piripá (3), Feira de Santana (3), Santo Antônio de Jesus (2), Barra do Choça (1), Caetité (1), Campo Formoso (1), Carinhanha (1), Ibiassucê (1), Irecê (1), Santo Estevão (1) e Encruzilhada (1). Em 2024, até 7 de abril, foram notificados 8.814 casos prováveis de Chikungunya, com taxa de incidência de 62,3/100.000 habitantes, e registrados três óbitos, nos municípios de Teixeira de Freitas (2) e Ipiaú. No mesmo período de 2023, foram notificados 6.831 casos prováveis, um aumento de 29%.  Já os casos prováveis de Zika são 1.103 até 7 de abril, contra 516 no mesmo período no ano passado, um aumento de 113,8%. Nenhum óbito por Zika foi confirmado. Até o dia 5 de abril, foram aplicadas 101.804 doses de vacina contra a Dengue no estado.

Brumado mobiliza campanha de limpeza de terrenos em combate ao aedes aegypti Foto: Lay Amorim/Achei Sudoeste/Arquivo

Em Brumado, as Secretarias Municipais de Meio Ambiente (Semar) e Infraestrutura (Seinfra) estão mobilizando uma campanha para limpeza de terrenos baldios. Ao site Achei Sudoeste, o diretor da Semar, o agrônomo Djalma Neto, explicou que a campanha, denominada “Não jogue sujo com Brumado”, visa manter a cidade limpa e evitar a formação de possíveis focos do mosquito da dengue, tendo em vista o crescimento do número de casos da doença no município. Através da mobilização, os proprietários desses terrenos estão sendo notificados para fazer a limpeza dos locais, retirando todo lixo, mato e entulho. Na ação, Neto frisou que a população também é conscientizada para fazer o descarte do lixo nos locais corretos. “Esse lixo que as pessoas tiram de suas residências e jogam em outro ambiente, a empresa que faz a coleta não vai ter acesso. Esse lixo, possivelmente, pode ter algum recipiente que acumule água e faz com que a propagação do mosquito seja maior”, afirmou. Para denunciar a existência de terrenos acumulando muito mato e lixo, a população pode utilizar o número (77) 99999-2878. A denúncia pode ser feita de forma anônima.

Vitória da Conquista lidera casos e mortes por dengue na Bahia, afirma Sesab Foto: Divulgação/Sesab

Com 12.304 casos prováveis de Dengue e a quinta morte confirmada pela doença pela Câmara Técnica Estadual, Vitória da Conquista enfrenta um cenário desafiador. A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) emitiu recomendações urgentes para que o município intensifique suas ações de combate ao mosquito Aedes aegypti, bem como amplie o horário de funcionamento dos postos de saúde, inclusive aos finais de semana e feriados, para assegurar a assistência aos pacientes com suspeita de Dengue. Além disso, um ofício direcionado à Prefeitura sugere a imediata instalação de unidades de referência para acolhimento, notificação, coleta de amostras e referenciamento para unidade hospitalar, quando necessário. Contudo, as medidas propostas ainda não foram plenamente adotadas pelo município. Vitória da Conquista possui mais que o dobro do número de casos de Salvador (5.092) e quase quatro vezes mais o número de notificações de Feira de Santana (3.270). Essa falta de unidades de assistência municipal tem causado superlotação na UPA estadual de Vitória da Conquista. Embora a unidade esteja disponível para atendimento de cidadãos de qualquer origem, os residentes de Vitória da Conquista respondem por mais de 97% dos atendimentos. No local, designado para urgências e emergências, 61% dos atendimentos são casos menos urgentes que deveriam ser gerenciados pelas Unidades Básicas de Saúde (UBS) municipais. O Governo do Estado da Bahia tem investido mais de R$ 19 milhões em esforços para combater a Dengue, incluindo aquisição de veículos de fumacê, distribuição de kits para agentes de endemias, medicamentos e iniciativas de capacitação para profissionais de saúde. Especificamente em Vitória da Conquista, já foram liberados veículos de fumacê entre os meses de agosto a novembro de 2023 e somente em 2024, dez veículos estiveram no município nos meses de fevereiro e março, demonstrando uma dependência excessiva dessa iniciativa, que é vista como último nível de ação, revelando uma gestão reativa em vez de proativa no combate à doença. Além disso, o Estado já abriu 20 leitos de hidratação para acolher pacientes. No contexto da atenção primária em Vitória da Conquista, a insuficiência é evidente, com Unidades Básicas de Saúde atuando em horário limitado, uma configuração que não atende à demanda da população. Essa lacuna na assistência primária contribui diretamente para a sobrecarga da UPA estadual, particularmente agravada pela epidemia de Dengue, indicando uma necessidade premente de ações municipais mais eficazes no controle vetorial e na oferta de serviços de saúde.

Vitória da Conquista ultrapassa quatro mil casos confirmados de dengue Foto: Lay Amorim/Achei Sudoeste

A Secretaria de Saúde de Vitória da Conquista já fez 12.503 notificações de pessoas com suspeita de dengue, com 4.039 confirmados no município e três óbitos de moradores causados pela dengue grave. Os dados são do último boletim da 12ª semana epidemiológica – que compreende o período de 1º de janeiro a 25 de março de 2024. Ainda estão sob investigação da Câmara Técnica da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), 11 óbitos por suspeita de dengue. No momento, 84 pessoas estão internadas em unidades hospitalares do município. Nos últimos oito dias foram registradas 1.417 novas notificações suspeitas de dengue. Neste ano foram 11.694 casos notificados a mais do que o mesmo período do ano de 2023, um aumento equivalente a 1.455%. A maioria dos casos registrados no município são dengue, tipo 1 e 2, mas também já foram feitas, até o momento, 1.878 notificações suspeitas de chikungunya, com 39 confirmados, e 562 notificados para zika, com um caso confirmado.

Brumado: Pediatra Thamirys Abreu esclarece perigo da dengue em crianças Foto: Lay Amorim/Achei Sudoeste

Agora, o Centro de Visão da Bahia (Cevib) também conta com atendimento pediátrico. Ao site Achei Sudoeste, a médica pediatra Thamirys Abreu falou sobre os perigos da dengue em crianças. Abreu explicou que o mosquito aedes aegypti, que transmite a doença, possui hábitos predominantemente diurnos, isso significa que a maior parte das picadas ocorre durante o dia. Em caso de ser contaminada, a criança pode levar de 5 a 6 dias para manifestar os primeiros sintomas. Segundo a pediatra, os sintomas da dengue nas crianças são bem semelhantes aos apresentados nos adultos: febre alta, dor muscular e nas articulações, dor de cabeça e atrás dos olhos, manchas no corpo e fraqueza geral. Nos casos mais graves alguns sintomas chamam atenção, como vômitos persistentes, dor abdominal contínua, sangramentos e evacuações com sangue, sonolência e irritação excessiva, temperatura muito baixa e desconforto para respirar. A pediatra alertou os pais que, caso algum desses sintomas apareça, o atendimento médico deve ser imediato. Embora não haja um protocolo específico de atendimento para dengue, os sintomas são tratados para melhoria do quadro geral do paciente. Além disso, a hidratação é muito importante para recuperação do paciente diagnosticado com dengue. “O ponto chave do tratamento da dengue é a hidratação”, frisou Abreu. Na forma clássica da dengue, os sintomas tendem a desaparecer entre 5 e 7 dias. Em Brumado, o Centro de Visão da Bahia fica localizado na Rua Euclides da Cunha, 175, Centro. Os telefones são: (77) 3441-6967 e (77) 99929-6967.

Carinhanha registra primeira morte em decorrência da dengue Foto: WhatsApp/Achei Sudoeste

Nesta sexta-feira (22), Carinhanha confirmou o registro da primeira morte por dengue na cidade. A vítima é uma mulher identificada como Maria Florinda de Jesus, que estava internada. Não foram divulgadas informações sobre o velório e sepultamento da mesma. A Prefeitura Municipal emitiu uma Nota de Pesar pelo ocorrido. De acordo com o boletim epidemiológico mais recente, o município possui 29 casos da doença. Já o total de notificações suspeitas é de 628, considerado alto pelos órgãos de saúde.

Sesab confirma 1ª morte por dengue em Caetité Foto: Lay Amorim/Achei Sudoeste

A Secretaria de Saúde do Estado (Sesab) confirmou nesta sexta-feira (22) a primeira morte por dengue na cidade de Caetité. De acordo com a pasta, a Bahia chegou a 20ª morte pela doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. De acordo com a Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Divep) da Sesab, 272 municípios estão em estado de epidemia (65% das cidades). Outras 34 cidades estão em risco e 7 em estado de alerta. As mortes pela doença no estado foram registradas em 12 municípios. Ao todo, 73.310 casos prováveis da doença foram notificados até quinta-feira (21). Ainda assim, a pasta destaca que a Bahia possui índice de letalidade por dengue de 1,5%, percentual abaixo da média nacional, de 3,09%. O cálculo é feito com base nos casos notificados que evoluem para a forma grave da doença. A avaliação é da Câmara Técnica Estadual de Análise de Óbito da Sesab. Jacaraci (4), Piripá (3), Vitória da Conquista (3) Barra do Choça (1), Feira de Santana (1), Ibiassucê (1), Irecê (1), Santo Antônio de Jesus (2), Santo Estevão (1), Campo Formoso (1), Caetité (1) e Juazeiro (1).

Mutirão popular retira pneus apontados como berçário do mosquito da dengue em Brumado Foto: Lay Amorim/Achei Sudoeste

Em Brumado, moradores da Rua Virgílio Ataíde se reuniram em um mutirão para retirar diversos pneus que serviam de criadouro para o mosquito da dengue nas proximidades da linha férrea. Na região, uma mulher de 52 anos morreu vítima de dengue hemorrágica. Ao site Achei Sudoeste, o agente de endemias Dailton Moreira disse que o problema dos pneus na localidade é antigo e, mesmo tendo comunicado a coordenação da Vigilância Epidemiológica Municipal acerca do assunto, nenhuma providência foi tomada no sentido de recolher os materiais do local. Diante do impasse, o agente se reuniu com a comunidade e, com o apoio de um caminhão disponibilizado por uma empresa particular, os pneus foram recolhidos. “A prefeitura não tomou nenhum tipo de providência. A única coisa que eles fizeram foi, após tomar conhecimento do óbito, mandar bater veneno nos pneus. Só depois que a mulher faleceu. Mas, com relação a resolver o problema, nada foi feito. Foi um total descaso e desprezo com a população. Isso é uma vergonha para o poder público”, apontou.

Mutirão popular retira pneus apontados como berçário do mosquito da dengue em Brumado Foto: Lay Amorim/Achei Sudoeste

 Proprietária dos pneus, Luzia dos Santos também fez parte da iniciativa. Ela explicou que utiliza os materiais para confecção de cadeiras e outros itens. “É meu único meio de sobrevivência, só que não tenho recursos para tentar retirar esses materiais daqui. Já tentei, inclusive pedindo apoio da prefeitura, mas não consegui”, relatou. Dona de um comércio localizado bem em frente de onde os pneus ficavam, Leni Gomes falou que os materiais eram um incômodo para toda vizinhança. “Tinha muito mosquito aqui. Tava prejudicando a gente. Agora, estou mais tranquila”, afirmou.

Estudantes de Candiba apresentam projeto de combate ao Aedes Aegypti em Feira Brasileira Foto: Divulgação/SEC

Os projetos desenvolvidos no âmbito do Ciência na Escola, programa criado pela Secretaria da Educação do estado (SEC) para estimular o ingresso ao mundo científico em sala de aula, geram resultados concretos. Oito instituições públicas estaduais são finalistas da 22ª Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (FEBRACE), iniciativa que promove o engajamento dos professores no desenvolvimento de práticas pedagógicas inovadoras em sala de aula e também aproxima as escolas públicas e privadas das universidades. O evento acontece na capital paulista, de segunda (18) à sexta-feira (22). Nesta edição, foi registrado o recorde de mais de dois mil projetos inscritos e 500 semifinalistas, como o que foi desenvolvido pelos estudantes Ruan Donato, Maria Júlia de Oliveira e Isadora Fernandes no Colégio Estadual Antônio Batista, do município de Candiba. Eles analisaram a eficiência do extrato de plantas nativas da caatinga, como larvicida natural, menos tóxica do que os fabricados artificialmente, no combate ao Aedes Aegypti, vetor de doenças como dengue, chikungunya e zika. O orientador da equipe, o professor de Biologia William Oliveira Nascimento ressalta que a participação nesta edição é uma grande realização, não só para a comunidade escolar, mas para toda a Bahia e para o país, especialmente diante do aumento de casos de arboviroses.

Sobe para 17 número de mortes por dengue na Bahia Foto: CDC

A dengue fez mais uma vítima na Bahia: nesta segunda-feira (18), a Secretaria de Saúde do Estado (Sesab) confirmou a 17ª morte pela doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. O óbito foi em Campo Formoso, no norte do estado. De acordo com a Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Divep) da Sesab, 272 municípios estão em estado de epidemia (65% das cidades), entre eles a capital Salvador. Outras 34 cidades estão em risco e 7 em estado de alerta. Ao todo, 62.478 casos prováveis da doença foram notificados até esta segunda-feira. A título de comparação, 12.479 casos foram notificados no mesmo período em 2023, o que representa um aumento de 440,7%. Ainda assim, a pasta destaca que a Bahia possui índice de letalidade por dengue de 1,47%, percentual abaixo da média nacional, de 3,09%. O cálculo é feito com base nos casos notificados que evoluem para a forma grave da doença. A avaliação é da Câmara Técnica Estadual de Análise de Óbito da Sesab. Confira as cidades onde ocorreram as mortes: Jacaraci (4), Piripá (3), Vitória da Conquista (3) Barra do Choça (1), Feira de Santana (1), Ibiassucê (1), Irecê (1), Santo Antônio de Jesus (1), Santo Estevão (1) e Campo Formoso (1). Neste ano, também foram registrados dois óbitos por chikungunya no estado. Os pacientes moravam nos municípios de Teixeira de Freitas e Ipiaú. Nenhum óbito por Zika foi confirmado até o momento. Até sábado (16), foram notificados 5.186 casos prováveis de chikungunya no estado. Já os casos prováveis de Zika são 654.

Família de vítima da dengue denuncia pneus com focos do aedes-aegypti em Brumado Foto: Gideon Ribeiro/Achei Sudoeste

A família de Eronilde Lima Ribeiro, conhecida como Nilde, de 52 anos, que morreu vítima de dengue hemorrágica na cidade de Brumado vai entrar com uma ação no Ministério Público da Bahia (MP-BA). Filho da vítima, Gideon Lima Ribeiro confirmou ao site Achei Sudoeste que nos fundos de sua casa, na Rua Virgílio Costa Ataíde, tem mais de 20 pneus com focos do aedes-aegypti abandonados na via. Os pneus ficam à margem da linha férrea, em uma região de grande movimentação próximo ao Mercado Municipal. “Tá lá pra quem quiser ver. Tá cheio de foco de dengue. Tá feio, cheio de pneu, água parada. Minha mãe já foi, Deus levou minha mãe com essa maldita dengue hemorrágica, mas não quero que outra pessoa tenha essa doença e acabe falecendo. Quero que tirem esses pneus”, destacou. Ribeiro garantiu que vai lutar até o fim para que os pneus sejam recolhidos do local. “Vou lutar até eu tirar aqueles pneus do local porque tenho mais família lá. Minha vó tem 70 anos”, afirmou. Mesmo com o apelo, Gideon contou que a Secretaria Municipal de Saúde ainda não esteve no local para realizar o bloqueio da dengue e recolher os pneus da área.

Laudo passado à família aponta morte por dengue hemorrágica em Brumado Foto: WhatsApp/Achei Sudoeste/Arquivo Familiar

No último final de semana, uma mulher identificada como Eronilde Lima Ribeiro, conhecida como Nilde, de 52 anos, morreu vítima de dengue hemorrágica na cidade de Brumado. Filho da vítima, Gideon Lima Ribeiro relatou ao site Achei Sudoeste que, nos primeiros dias, sua mãe teve manchas avermelhadas no corpo, muita dor nas articulações, vômitos e febre alta. “Ela não aguentava nem engolir água, suco, não queria comer. Sentia muita dor na boca do estômago. Teve também sangramento na gengiva, nos ouvidos e no nariz”, afirmou. Preocupado diante do agravamento dos sintomas, Gideon levou a mãe na última sexta-feira (16) pela manhã para o Hospital Municipal Professor Magalhães Neto. No mesmo dia à tarde, ele disse que o resultado para dengue deu positivo. Apesar disso, no sábado (17), a paciente foi liberada para seguir o tratamento em casa. Segundo Gideon, no próprio sábado, a mãe precisou retornar para o hospital devido à piora do seu estado de saúde. Na unidade, em novos exames, ela testou positivo para dengue hemorrágica grave. “Ela ficou internada no hospital sábado à noite, domingo à noite e segunda à noite. Na terça, ela teve uma crise de muita falta de ar, o corpo não estava aceitando as plaquetas. Precisou levar pra UTI”, contou. Na Unidade de Terapia Intensiva, a paciente acabou falecendo. “É uma dor muito forte. Somos em cinco irmãos e nós estamos sofrendo muito. Minha avó também. Não estou conseguindo comer, beber, não desce”, falou. Além da arbovirose, na certidão de óbito ainda consta insuficiência renal aguda e leucemia em investigação. A secretaria municipal de saúde ainda não se pronunciou sobre o caso.

Estudo revela que chikungunya causa danos cerebrais Foto: Freepik

Pesquisadores da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e de outras cinco instituições descobriram que o vírus chikungunya é capaz de se espalhar pelo sangue, atingir múltiplos órgãos e causar danos cerebrais. Os achados foram publicados nesta semana na revista científica Cell Host & Microbe. De acordo com o estudo, os mecanismos de ação observados pela primeira vez em casos fatais indicam que o vírus pode atravessar a barreira que protege o sistema nervoso central, o que reforça a necessidade de atualização dos protocolos de tratamento e vigilância da doença. “Isso mostra uma necessidade de acompanhar o paciente, inclusive aquele que saiu da infecção aguda, que já melhorou. É preciso acompanhar porque essas manifestações podem aparecer um tempo depois da suposta cura”, diz o professor José Luiz Proença Módena, do Instituto de Biologia.  O estudo teve participação de virologistas, médicos, epidemiologistas, clínicos, físicos e estatísticos da Unicamp e das universidades do Kentucky (Estados Unidos), de São Paulo (USP), do Texas Medical Branch (Estados Unidos) e Imperial College London (Reino Unido), além do Laboratório Central de Saúde Pública do Ceará (Lacen). O principal achado foi a presença do vírus em amostras de líquor cefalorraquidiano, o que demonstra sua capacidade de atravessar uma camada protetora e alcançar o sistema nervoso, podendo chegar ao cérebro. Assim, ele causa danos neurológicos que podem resultar em sequelas ou levar o paciente à morte.

Arquivo