OMS: Dieta saudável e exercício diminuem risco de demência

16 Mai 2019 - 16:30h

Nesta terça-feira, 14, a Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou novas diretrizes a respeito de como reduzir os riscos de desenvolver declínio cognitivo – condição que pode levar à demência. O relatório, baseado em décadas de pesquisas, revelou que sedentarismo, consumo excessivo de álcool, tabagismo e dieta desequilibrada estão entre os hábitos que aumentam significativamente os riscos de Alzheimer – doença neurodegenerativa que pertence ao espectro da demência. Condições médicas como diabetes, hipertensão, obesidade e colesterol alto também desempenham papel no desenvolvimento do declínio cognitivo na vida adulta. “Enquanto algumas pessoas são desafortunadas e herdam uma combinação de genes que torna altamente provável que desenvolvam demência, muitas pessoas têm a oportunidade de reduzir substancialmente seus riscos vivendo um estilo de vida saudável”, disse Tara Spiers-Jones, do Instituto de Pesquisas em Demência do Reino Unido, à CNN.  A nova diretriz recomenda a prática de pelo menos 150 minutos de exercício moderado por semana, além de atividades de fortalecimento muscular. A entidade ainda incluiu nas orientações uma alimentação balanceada, com ingestão de 400 gramas de frutas e vegetais diariamente e redução do consumo de açúcar em 10% e o de gordura em 30%. Outra orientação é participar de atividades que estimulem o cérebro, como aprender um novo idioma, e evitar o isolamento social. O relatório ainda aconselha evitar suplementos alimentares, como vitaminas do complexo B, antioxidantes, ômega-3 e ginkgo biloba, já que não existem evidências suficientes de que elas trazem benefícios de longo prazo.

Comentários

Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixar comentário

Comentário

mais notícias