Achei Sudoeste

BUSCA PELA CATEGORIA "Brasil"

05 Ago 2020 - 11:30h

A Polícia Federal (PF) iniciou nesta terça-feira (4) a segunda fase da Operação Postal Off, que começou em setembro de 2019 em Santa Catarina e investiga fraudes nos Correios -- grandes cargas eram distribuídas sem faturamento ou com faturamento inferior ao devido. Na casa de um dos suspeitos, na Barra da Tijuca, policiais apreenderam cerca de R$ 3,5 milhões em espécie. Nesta fase, segundo a PF, foram identificados indícios de participação de um empresário titular de agências franqueadas e de sete funcionários dos Correios, que atuavam auxiliando nas postagens ilegais. Policiais cumpriam ainda mandados de busca e apreensão em São Paulo, Praia Grande (SP) e São Vicente (SP). Também foram expedidos mandados de afastamento de funcionários dos Correios de suas funções. Em ambas as fases a investigação contou com a colaboração da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos.

05 Ago 2020 - 08:30h

O tema já foi alvo do grupo de humor Porta dos Fundos, para quem "a meia é a nova inteira, e a inteira é o novo dobro". A piada, no entanto, não é mera impressão. Quase 80% de todos os ingressos de cinema vendidos no Brasil no ano passado tiveram preço de meia-entrada. A participação do ingresso na categoria inteira nas receitas das redes cai há três anos, segundo a Agência Nacional do Cinema (Ancine). Os dados levaram o órgão regulador a abrir uma consulta pública sobre a obrigatoriedade legal da meia-entrada e seus impactos no mercado exibidor. A discussão está aberta para contribuições até 13 de agosto, mas o Ministério da Economia já se manifestou e defendeu a extinção de todas as regras que garantem o benefício. Toda a análise tem como base as informações do Sistema de Controle de Bilheteria (SBC), por meio do qual a Ancine tem acesso às informações de mais de 3 mil salas em todo o País desde 2017. Os dados são fornecidos praticamente em tempo real e mostram os números de vendas de ingressos por categoria, dia, horário e filme. As meias são divididas em legais (permitidas por lei), promocionais - por meio de parcerias comerciais com operadoras de telecomunicações ou bancos, por exemplo - e cortesias, ou seja, bilhetes gratuitos. Com base nas informações fornecidas pelas redes de cinema no Brasil, a Ancine descobriu que venda de ingressos na categoria inteira, que era cerca de 30% em 2017, caiu para 21,6% no ano passado. Quase 60% das meias-entradas concedidas no ano passado estavam ligadas às diversas leis que existem no País sobre o tema. Há três leis federais sobre o assunto, que garantem o benefício a estudantes, jovens de baixa renda, pessoas com deficiência e adultos com mais de 60 anos. A estimativa da Ancine é que 96,6 milhões de brasileiros se enquadrem nos termos da legislação federal - quase metade da população medida pelo IBGE, de 211 milhões de habitantes.

30 Jul 2020 - 15:30h

Cinco dias após o marido Jair Bolsonaro anunciar que está curado da covid-19, a primeira-dama Michelle Bolsonaro testou positivo para doença. A informação foi confirmada pela Secretaria de Comunicação da Presidência da República nesta quinta-feira (30). Em nota, o órgão disse que o estado de saúde de Michelle é bom e que ela seguirá “todos os protocolos estabelecidos” para tratamento da doença. “A primeira-dama Michelle Bolsonaro testou positivo para Covid-19 nesta quinta-feira, 30. Ela apresenta bom estado de saúde e seguirá todos os protocolos estabelecidos. A primeira-dama está sendo acompanhada pela equipe médica da Presidência da República”, diz a nota divulgada pela Presidência. A última aparição pública de Michelle ocorreu nesta quarta-feira (29), quando participou de uma cerimônia no Palácio do Planalto, na qual discursou. A primeira-dama apareceu ao lado do presidente e utilizou máscara. As ministras Tereza Cristina (Agricultura) e Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos) também discursaram no mesmo evento.

29 Jul 2020 - 14:30h

Professores da rede pública estadual de São Paulo fazem, na manhã desta quarta-feira (29), uma carreata contra a volta às aulas presenciais estimada pelo governo paulista para ocorrer a partir do dia 8 de setembro. De acordo com o G1, o grupo também cobra pagamento de salário e auxílio emergencial aos professores temporários, remunerados apenas pelas aulas efetivamente dadas. Como não está havendo aulas durante a quarentena, tais servidores estão sem salário. Organizada pela Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo), a carreata reúne docentes de todo o estado. Por volta das 11h, os manifestantes se reuniram em frente ao Estádio do Morumbi, na Zona Sul da capital paulista. O ato seguiu até o Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista.

28 Jul 2020 - 10:30h

Com a flexibilização da quarentena, muitos empresários se perguntam: vale a pena continuar trabalhando em casa ou é melhor voltar para a empresa? Algumas empresas já pensam em trabalhar no modelo híbrido: alguns dias em casa e outros no escritório. Para isso, é importante manter a produtividade. Alex Frachetta comanda uma plataforma de venda de imóveis novos. De acordo com o G1, desde o começo da pandemia, os 27 funcionários estão trabalhando em casa e o único contato que eles têm é pelo meio digital. Para o empresário, o trabalho remoto não é a mesma coisa, falta a interação pessoal, mas seus funcionários se adaptaram bem e a produtividade até aumentou. “A característica dos funcionários de ter uma auto-gestão, de serem pessoas mais jovens, que já gostam de trabalhar de home office acabou facilitando esse processo pra que a produtividade se mantivesse alta e, em alguns casos, até maior do que no trabalho presencial”, explica Alex. Com a flexibilização da quarentena, o funcionário decide se volta pro escritório, continua em casa ou faz uma mistura dos dois. “O modelo hibrido é melhor. Gosto da flexibilidade de trabalhar em casa para evitar dias caóticos de trânsito, mas também gosto do ambiente de trabalho que facilita comunicação e é mais fácil pra disseminar a cultura da empresa”, afirma o gerente de marketing da empresa, Alex Reis.

28 Jul 2020 - 09:30h

Um homem de 82 anos foi atacado e roubado após deixar uma mulher usar o banheiro da casa dele, em Anápolis, a 55 km de Goiânia. De acordo com o delegado Renato Rodrigues, responsável pela investigação, a mulher entrou em luta corporal com o aposentado e acabou levando a carteira do idoso, que continha documentos pessoais e R$ 2 mil. “Ele estava dentro de casa e, de repente, uma mulher entrou, o portão estava encostado. Quando ele viu, ela já estava no quintal e pediu para usar o banheiro, disse que precisava muito. Ele achou estranho, mas deixou. Quando ela saiu, foi para cima dele, sem arma, com as mãos mesmo”, explica. Segundo o delegado, o idoso mora sozinho e havia recebido, no dia anterior, R$ 2 mil de um consórcio, valor que foi levado pela suspeita. O aposentado relatou à polícia que nunca havia visto a invasora e a descreveu como uma pessoa magra, de olhos claros, que vestia roupas escuras. O crime aconteceu no final da manhã de sexta-feira (24). O delegado disse que o idoso conseguiu se defender, o que fez com que a mulher saísse correndo da casa. Ela fugiu em uma moto. O aposentado teve apenas ferimentos leves no braço. “Entraram em luta corporal, e ele meio que conseguiu dominar ela. Ela foi embora, correu. Logo ele colocou a mão no bolso e percebeu que estava sem a carteira”, conta o delegado. A Polícia Civil investiga o caso e tenta identificar a suspeita.

24 Jul 2020 - 11:30h

A parcela de mulheres afastadas do trabalho em junho devido à pandemia do novo coronavírus, 18,3%, se manteve muito superior à de homens nesta mesma situação (11,1%). Os dados são da segunda edição da pesquisa Pnad Covid-19 mensal, do IBGE, criada para acompanhar os impactos da pandemia no mercado de trabalho e divulgada nesta quinta-feira (23). De acordo com o G1, embora o número de trabalhadores afastados pela crise em ambos os sexos tenha caído entre maio e junho (-22%, para 11,8 milhões de pessoas), a disparidade de gênero neste quesito já havia sido verificada no segundo mês inteiro de pandemia, maio, quando 23,5% delas estavam paradas ante somente 15% deles.

24 Jul 2020 - 07:30h

O Brasil chegou, nesta quinta-feira, à marca de 84 mil vítimas do novo coronavírus. Com 1.317 novos registros de mortes, os óbitos totalizam 84.207. De ontem para hoje, foram notificadas 58.080 novas contaminações pelo Sars-CoV-2, o segundo dia de recorde de casos em 24 horas (o recorde foi batido ontem, com 65.339 infecções confirmadas). Ao todo, o Brasil tem 2.289.951 infectados. As informações são coletadas diretamente com as secretariais estaduais de saúde. São três boletins diários, e o próximo será divulgado às 8h de sexta-feira. De acordo com o jornal o Globo, o estado da Bahia notificou, pelo terceiro dia consecutivo, números altos de casos confirmados da Covid-19. Somados os três dias, foram 15.066 infectados contabilizados. A secretaria Estadual de Saúde voltou a atribuir o número elevado a um problema no sistema e-SUS, do Ministério da Saúde, alegando que a lentidão na plataforma impossibilitou os municípios baianos de “registrar em tempo oportuno os casos ambulatoriais de coronavírus”, o que causou um represamento dos dados. “Com a retomada do sistema apenas ontem (22), os casos que foram acumulados neste período estão sendo lançados progressivamente, o que significa que a taxa de crescimento das últimas 48 horas não representa a realidade dos fatos”, explicou a pasta, em comunicado.

22 Jul 2020 - 16:30h

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (22) uma medida provisória (MP) autorizando a União a repassar até R$ 16 bilhões a estados e municípios. Os recursos devem recompor eventuais quedas de repasse para os Fundos de Participação dos Estados (FPE) e dos Municípios (FPM) em razão da pandemia do novo coronavírus. O texto segue para análise do Senado. Os fundos estão previstos na constituição e são compostos por impostos arrecadados pelo governo federal. A distribuição aos entes da federação busca promover o equilíbrio socioeconômico entre eles. Os repasses são feitos com base no número de habitantes e na renda per capita. O Congresso já havia aprovado uma lei, que começou a valer em maio, com as regras para que a União garantisse que não haverá queda na verba destinada aos fundos de participação. Agora, a Câmara aprovou a MP que autoriza a liberação do dinheiro. Ainda falta o aval dos senadores. Pelo texto aprovado, a complementação valerá para o período de março a novembro de 2020. Os repasses devem compensar variações entre o valor mensal das transferências feitas ao ente entre março e novembro do ano passado e os mesmos meses de 2020. Por se tratar de uma medida provisória, ela entra em vigor assim que é publicada pelo Executivo. No entanto, para virar lei em definitivo, precisa ser aprovada em até 120 dias pelo Congresso.

22 Jul 2020 - 14:30h

Dados divulgados nesta quarta-feira (22) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que, em dez anos, aumentou em 9,4% o número de municípios que contam com esgotamento sanitário no Brasil. Apesar do avanço, cerca de 40% das cidades brasileiras ainda destinam o esgoto de forma insatisfatória. De acordo com o G1, os dados são de 2017 e fazem parte da Pesquisa Nacional de Saneamento Básico. A divulgação acontece uma semana depois de aprovado pela Presidência da República o novo marco regulatório do saneamento básico do país. De acordo com o levantamento, em 2017 havia o esgoto era destinado à rede coletora em 3.359 municípios brasileiros – apenas 290 a mais que o observado em 2008. Em 2.211 das 5.570 cidades do país o esgotamento sanitário era feito de outra forma. Já a oferta de abastecimento de água avançou apenas 0,3% cidades na mesma década – passou de 5.531 municípios em 2008 para 5.548 em 2017. Todavia, ela era existente em quase todos os municípios do país – apenas 12 cidades não contavam com o serviço no último ano da pesquisa - cinco deles no Pará, e os demais espalhados por outros estados das regiões Norte e Nordeste.

22 Jul 2020 - 09:30h

Cerca de duas toneladas de maconha foram apreendidas pela Polícia Militar (PM) no estacionamento da Igreja Pentecostal Porta da Salvação em Contagem, Minas Gerais, na segunda-feira (20). Segundo o G1, a PM chegou até os alvos graças a uma denúncia anônima, que passou o endereço onde dois homens estavam escondendo a maconha. A carreta com a droga estava em um lote que serve como estacionamento para os fiéis igreja evangélica. O pastor disse à polícia que emprestou o local, mas não sabia que no veículo havia drogas. De acordo com a polícia, os militares chegaram na hora certa para fazer o flagrante. Segundo a PM, a maconha veio do Paraguai, passou pelo estado do Paraná e tinha Minas Gerais como destino final em Minas Gerais. Pela quantidade de droga, a PM acredita que a mercadoria seria distribuída em vários pontos da Região Metropolitana de Belo Horizonte. Por se tratar de um caso de tráfico internacional, os presos e todo o material apreendido, foram encaminhados para a Polícia Federal, que vai dar andamento às investigações.

21 Jul 2020 - 16:30h

O presidente da Caixa Econômica Federal (CEF), Pedro Guimarães, afirmou nesta terça-feira (21) que 'centenas de milhares' de contas poupança digital do banco, movimentadas pelo Caixa Tem e usadas para o crédito do Auxílio Emergencial, foram suspensas por suspeita de fraude. “Todos os bloqueios são suspeitos de fraude”, afirmou Guimarães em entrevista ao portal InfoMoney. “Suspendemos centenas de milhares de contas sim, e nesse momento as pessoas podem pedir o desbloqueio”. De acordo com o executivo, as pessoas que tiveram a conta bloqueada terão que comparecer a uma agência da Caixa e comprovar sua identidade. “Quando a pessoa vai à agência e mostra que é ela mesma, nós liberamos rapidamente. Se ela não for, ficará sim bloqueado, porque essa questão de fraude nesse momento de pandemia é inaceitável”, disse. Guimarães apontou que a origem de fraude se deu no início dos cadastramentos do Auxílio Emergencial. De acordo com ele, como muitas pessoas não possuíam celular, a Caixa permitiu que um celular abrisse mais de uma conta, o que foi o “cerne da fraude”. “Temos as provas de que a grande maioria foram utilizadas por hackers. Mas algumas pessoas são pessoas honestas que foram penalizadas”, afirmou. Ele apontou, no entanto, que os responsáveis já foram identificados, “e rapidamente serão penalizados”.

21 Jul 2020 - 15:30h

Deputados aprovaram na noite desta segunda-feira (20) projeto que permite suspender o pagamento de parcelas do programa Minha Casa, Minha Vida por 180 dias em função da pandemia da covid-19. O texto aprovado foi o substitutivo do deputado Gutemberg Reis (MDB-RJ), que seguirá agora para a análise dos senadores. A medida vale para os beneficiários da faixa 1, aqueles com renda familiar mensal até R$ 1,8 mil, e que usaram no financiamento recursos do Fundo de Arrendamento Residencial (FAR) ou do Fundo de Desenvolvimento Social (FDS). As parcelas “pausadas” deverão ser quitadas depois do prazo do financiamento original. Pelo projeto, contudo, o total de parcelas do programa que serão adiadas, a ser suportado pelo Tesouro Nacional, será limitado a R$ 215,4 milhões. A proposta também adia para dezembro de 2020 o vencimento da parcela anual de beneficiários com operações enquadradas no Programa Nacional de Habitação Rural (PNHR).

21 Jul 2020 - 11:30h

O Brasil é um dos países mais violentos do mundo. O que mais mata com armas de fogo em números absolutos. Na proporção por número de habitantes, fica atrás apenas de países como El Salvador e Venezuela. De acordo com o Fantástico, desde que o presidente Jair Bolsonaro assumiu, o governo edita medidas para flexibilizar regras. Já foram 11 portarias e oito decretos facilitando ainda mais o acesso a armas e munições. Foram as primeiras grandes mudanças desde o estatuto do desarmamento de 2003. São mais de 130 mil novas armas em circulação só em 2020. E muitas delas foram para os Cacs, membros de clubes de caçadores, atiradores e colecionadores. Mas armar a população vai deixar o país mais seguro ou ainda mais perigoso?

21 Jul 2020 - 10:30h

A Câmara dos Deputados aprovou nesta segunda-feira (20) um projeto de lei que estende o auxílio emergencial de R$ 600 a agricultores familiares que ainda não tenham recebido o benefício. O texto segue, agora, para o Senado. O benefício é uma tentativa de diminuir os impactos socioeconômicos causados pela pandemia do novo coronavírus. Os agricultores familiares chegaram a ser incluídos pelo Congresso no projeto original de criação do auxílio emergencial, mas o trecho foi vetado pelo presidente Jair Bolsonaro. Se for sancionado, os agricultores devem receber as cinco parcelas de R$ 600, assim como os trabalhadores informais já contemplados. Como previsto no auxílio emergencial “geral”, a mulher agricultora familiar que cuidar, sozinha, de seus filhos receberá duas cotas do benefício. Segundo o relator da matéria, deputado Zé Silva (Solidariedade-MG), a pandemia impôs restrições severas como a interrupção temporária das atividades de restaurantes, hotéis, escolas, indústrias e comércio em geral, o que prejudicou o mercado de alimentos. “A falta de apoio [à atividade rural] pode provocar uma onda de êxodo rural, piorando a situação no campo e também nas cidades, por falta de ocupações e renda, além de aumentar a pobreza e extrema pobreza no meio rural”, diz o deputado em seu parecer.

20 Jul 2020 - 15:30h

O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, afirmou, nesta segunda-feira (20), que está infectado com o novo coronavírus. Ele fez o anúncio nas suas redes sociais. O ministro disse que começou a apresentar os sintomas na semana passada. “Quinta à noite comecei a sentir sintomas que poderiam ser da Covid. Sexta passei por exames, entre eles o PCR e o resultado saiu hoje [segunda] e o covid foi detectado”, escreveu o ministro. O ministro disse ainda que está sendo tratado com azitromicina, ivermectina e cloroquina, remédios que não têm eficácia comprovada cientificamente. “Estou bem melhor, em isolamento e sigo o trabalho em home office.  Boa semana a todos nós”, completou o ministro.

17 Jul 2020 - 08:30h

Um grande bólido, um meteoro brilhante que explode na atmosfera, foi visto na noite da quarta-feira (15) no céu do Sertão de Pernambuco, a cerca de 400 km de Recife, capital do estado. De acordo com a Rede Brasileira de Monitoramento de Meteoros (Bramon), o fenômeno ocorreu às 18h59 (horário de Brasília). Ainda segundo a Bramon, o meteoro surgiu entre Carnaíba e Princesa Isabel, no Sertão de Pernambuco e da Paraíba, respectivamente. Conforme análise, o bólido seguiu na direção sudeste e desapareceu no céu na região sul de Arcoverde, também no Sertão pernambucano. O fenômeno ainda foi visto no Ceará e na Bahia. “O objeto, o clarão que foi visto, foi com certeza um meteoro. Quando ele é muito brilhante, nós também chamamos de bólido. Esse tipo de fenômeno se forma quando um fragmento de rocha espacial atinge a atmosfera da Terra em uma velocidade muito elevada. Devido à essa alta velocidade, o gás atmosférico na frente dessa rocha acaba aquecendo e esse aquecimento gera o brilho que a gente vê e também faz com que esse fragmento de rocha acabe se vaporizando”, detalhou o diretor técnico da Bramon, Marcelo Zurita. A estudante Jaciara Costa mora no sítio Santa Tereza, em Matureia, no Sertão da Paraíba. Ela viu o momento no qual o meteoro passou no céu. “Eu estava na calçada e vi um clarão no céu, uma bola de fogo. Em seguida, escutei um barulho. Se não observasse direito, parecia um avião caindo. Foi bem rápido”, relatou ao G1. O meteoro foi registrado por pelo menos sete câmeras do portal Clima Ao Vivo.

16 Jul 2020 - 10:30h

Um professor, de 39 anos, foi indiciado nesta quarta-feira (15) por assédio sexual contra alunas dentro de uma escola da rede estadual, em Apucarana, no norte do Paraná. De acordo com a Polícia Civil, 11 vítimas foram até a delegacia e contaram sobre os crimes, ocorridos entre 2012 e 2019. Na época em que aconteceram os assédios, as meninas tinham entre 16 e 17 anos. Segundo a polícia, o professor indiciado não possui antecedentes criminais e negou todas as acusações. Caso ele seja condenado, poderá receber pena de até 16 anos de prisão pelos crimes. Conforme a Polícia Civil, as alunas relataram os assédios nas redes sociais usando uma mesma palavra para denunciar: exposed, que significa exposto, exposta. Um movimento mundial, que tem encorajado alunas a revelarem casos de abuso. “Tivemos relatos do mais variados, desde uma cantada até efetivamente levar uma aluna para o motel”, contou a delegada Sandra Nepomuceno, em entrevista ao Fantástico.

12 Jul 2020 - 07:20h

A partir da próxima segunda-feira, 13, quem passear pela orla da praia de Copacabana ou mesmo circular pelo Centro do Rio de Janeiro sem máscara, poderá ser multado em 106,65 reais. Esta é a determinação do decreto que será sancionado pelo governador Wilson Witzel (PSC) regulamentando o uso obrigatório dos itens de proteção facial durante a pandemia da Covid-19. A lei, que partiu do Executivo estadual, prevê que as máscaras devem ser utilizadas em espaços e transportes públicos, estabelecimentos comerciais e repartições estaduais. Em caso de reincidência, o valor da multa pode ser multiplicado por até cinco vezes. A nova regra prevê um período de adaptação de 15 dias, contados a partir da publicação no Diário Oficial. De acordo com a Veja, em São Paulo, uma medida semelhante aprovada pelo governador João Doria (PSDB) está em vigor desde o dia 1º de julho. A punição vai de 524 reais, para pessoa física, a 5.025 reais, para estabelecimentos cujos funcionários forem vistos sem equipamentos de segurança. No Rio, a multa para este tipo de infração é de 700 reais. Outros estados aprovaram leis semelhantes nas últimas semanas: no Piauí, onde o período de adaptação se encerrou na última sexta-feira, 10, o valor da multa vai de 1.000 a 10.000 reais. A Vigilância Sanitária local divulgou um documento afirmando ser “aconselhável” que cada pessoa tenha uma média de cinco máscaras, que não devem ser usadas por mais de três horas. Na Inglaterra, que também dá os primeiros passos em direção à reabertura, as máscaras estão em vias de se tornarem obrigatórias. O primeiro-ministro Boris Johnson afirmou que quer ser mais “rígido” quanto à insistência de que as pessoas devem usar equipamentos pessoais de segurança em locais fechados, e foi elogiado pela comunidade científica. A regra já existe na Escócia.

08 Jul 2020 - 09:30h

O Tribunal de Contas da União (TCU) identificou 235.572 empresários com indícios de serem sócios ou responsáveis por empresas e que receberam o auxílio emergencial de R$ 600 do governo federal. Eles fazem parte de um grupo de 620.299 pessoas suspeitas de recebimento indevido. De acordo com o jornal Tribuna da Bahia, para levantar as supostas irregularidades, o TCU fez cruzamentos de dados com a folha de pagamento do auxílio emergencial de abril de 2020. O órgão de controle verificou fragilidade nas informações e nos critérios adotados pelo governo para a concessão do benefício. Diante deste quadro, o TCU determinou ao Ministério da Cidadania que, no prazo de 15 dias, indique os controles a serem implementados para reduzir os indícios de inconsistências identificadas nas análises sobre os beneficiários nas folhas de pagamento do auxílio emergencial relativo à pandemia da Covid-19. Em nota, o Ministério da Cidadania informou que a Controladoria-Geral da União (CGU) analisou 30,5 milhões de pagamentos do auxílio emergencial e encontrou inconformidades em 160 mil, o que representa 0,5% deste total.