Achei Sudoeste

BUSCA PELA CATEGORIA "Saúde"

11 Jul 2020 - 09:20h

O diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS) Tedros Adhanom Ghebreyesus afirmou que fumantes são mais propensos a desenvolver casos mais graves da Covid-19. Segundo o portal G1, o representante disse que é urgente que as pessoas parem de fumar com a pandemia. A declaração foi dada durante a coletiva de imprensa semanal desta sexta-feira (10). A OMS lançou um programa gratuito para ajudar 1 bilhão de pessoas a parar de fumar e, com isso, reduzir os riscos em caso da Covid-19. “Essa iniciativa ajudará a acessar gratuitamente os recursos necessários para deixar o tabaco, como terapia de reposição de nicotina e acesso a um profissional de saúde digital para aconselhamento (sobre Covid-19 e nicotina)”, explicou o diretor-geral. Nas últimas seis semanas os casos do novo coronavírus passaram do dobro, de acordo com o representante. Mais de 12 milhões de casos foram descobertos. “Mais de 544.000 vidas foram perdidas. A pandemia ainda está se acelerando”, alertou.

10 Jul 2020 - 09:30h

Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 2.783 casos de covid-19, segundo boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesab). De quarta (8) para quinta (9) houve um crescimento de 2,9% nos novos casos. A Sesab confirmou ainda 51 mortes nas últimas 24 horas e 2.548 pessoas curados. Dos 98.319 casos confirmados desde o início da pandemia, 69.098 já são considerados curados, 26.893 encontram-se ativos e 2.328 tiveram óbito confirmado. As confirmações ocorreram em 394 municípios do estado, com maior proporção em Salvador (42,90%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 100.000 habitantes foram Gandu (2.419,53), Itajuípe (2.283,93), Ipiaú (1.868,20), Lauro de Freitas (1.590,41) e Itabuna (1.552,37). O boletim epidemiológico contabiliza 98.319 casos confirmados, 194.329 casos descartados e 98.644 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com os Cievs municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17 horas desta quinta-feira (9). Na Bahia, 10.760 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19.

09 Jul 2020 - 08:30h

Com unidade em Brumado, o Laboratório Exame está realizando teste de sorologia para Covid-19. Vale salientar que a coleta é feita apenas por meio de agendamento através dos telefones (77) 3441-9286 e (77) 99991-5757. O exame detecta a presença de Anticorpos IgM e IgG em pessoas que foram expostas ao vírus SARS-CoV-2. A pesquisa deve ser realizada após o décimo dia de sintomas, quando o teste passa a ter uma sensibilidade maior. O exame é realizado pela metodologia de Quimioluminescência (CLIA), que são testes imunológicos capazes de detectar os níveis dos anticorpos IgM e IgG em amostras de sangue venoso do paciente e apresenta maior sensibilidade quando comparado a um teste rápido.

08 Jul 2020 - 14:30h

O Ministério Público Federal (MPF), através do procurador da república Fernando Túlio da Silva, determinou a abertura de inquérito civil para apurar uma compra de respiradores pelo governo da BA e Consórcio Nordeste governo da Bahia, o Consórcio Nordeste, que representa os nove estados da região Nordeste do país, junto à empresa Pulsar. A determinação ocorreu na segunda-feira (6). A Pulsar foi contratada para entregar 750 respiradores, porém não cumpriu os prazos e, em junho, devolveu o valor de US$ 7,9 milhões investidos pelo Consórcio. A negociação frustrada foi registrada em relatório de auditoria realizada pelo Tribunal de Contas da Bahia (TCE). O G1 procurou o governo da Bahia e o Consórcio Nordeste, mas até a última atualização desta reportagem, eles não se posicionaram sobre o caso. Na época da devolução do dinheiro, a Secretaria de Comunicação do governo baiano informou que a decisão havia sido repassada aos demais governadores da região, e que os valores referentes a cada estado seriam transferidos para as contas oficiais. O Ministério Público Federal informou que, por se tratar de assunto que está em apuração, e que tem o caráter reservado, o procurador Fernando Túlio não concederá declarações sobre o tema.

08 Jul 2020 - 11:30h

A Organização Mundial da Saúde (OMS) reconheceu nesta terça-feira (7) "evidências emergentes" de transmissão pelo ar do novo coronavírus, depois que um grupo de cientistas cobrou o organismo global a atualizar suas orientações sobre como a doença respiratória se espalha. “Temos conversado sobre a possibilidade de transmissão pelo ar e transmissão por aerossol como uma das modalidades de transmissão da Covid-19”, disse Maria Van Kerkhove, principal autoridade técnica da OMS para a pandemia de Covid-19, em uma coletiva de imprensa. A OMS havia dito anteriormente que o vírus que causa a doença respiratória Covid-19 se dissemina principalmente através de pequenas gotículas expelidas pelo nariz e pela boca de uma pessoa infectada que logo caem no chão. Mas em uma carta aberta enviada à agência sediada em Genebra e publicada na segunda-feira (6) no periódico científico Clinical Infectious Diseases, 239 especialistas de 32 países delinearam indícios que, dizem, mostram que partículas flutuantes do vírus podem infectar pessoas que as inalam. Como estas partículas menores que são exaladas podem permanecer no ar, os cientistas exortaram a OMS a atualizar suas diretrizes.

08 Jul 2020 - 08:30h

Um brasileiro de 34 anos infectado com o HIV em 2012 não mostra mais sinais do vírus há mais de um ano, após ter se submetido a uma terapia experimental. A pesquisa conduzida pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) foi apresentada nesta terça, 7, na 23.ª Conferência Internacional de Aids, o maior congresso sobre o tema do mundo. Trata-se do terceiro caso na história em que a eliminação do HIV é descrita, mas, se for confirmado, será a primeira vez em um adulto que não passou por transplante de medula óssea ou células-tronco. De acordo com a Veja, o paciente estava tomando uma combinação de três medicamentos padrão que suprimiam o vírus. Desde 2015, no entanto, passou a receber novas medicações, o dolutegravir e o maraviroc, e uma forma de vitamina B3. A ideia, basicamente, é aumentar a capacidade do sistema imunológico de eliminar o vírus. O trabalho foi coordenado pelo infectologista Ricardo Diaz, diretor do Laboratório de Retrovirologia do Departamento de Medicina da Unifesp. A notícia é excelente, mas ainda é muito cedo para se falar em cura da doença. O vírus, em tese, pode ressurgir e o mesmo sucesso não ser repetido em um grupo considerável de pessoas. Na mesma conferência, foi anunciado um estudo importante na prevenção: uma injeção de um remédio experimental que mostrou melhores resultados que o Truvada.

07 Jul 2020 - 14:30h

As autoridades locais da Mongólia Interior, região do norte da China, confirmaram no início desta semana que um pastor está infectado com a peste bubônica, popularmente conhecida como peste negra, doença que, durante a Idade Média, levou à morte um terço da população da Europa. O caso, porém, é estável. O pastor foi diagnosticado com a doença no domingo 5 em Bayannur, cidade com cerca de 1,6 milhão de habitantes. Ele está atualmente sob tratamento em um hospital. O governo municipal alertou os cidadãos para não caçar animais roedores nem se alimentar deles. A população local também foi recomendada a reportar qualquer roedor morto que encontrar. De acordo com a Veja, a cidade ficará até o final do ano sob medidas de prevenção de pragas, que não devem envolver nenhum isolamento social, como as quarentenas adotadas para contenção da Covid-19. No final de junho, dois casos de peste bubônica já haviam sido reportados na Mongólia, país que faz fronteira com a região homônima da China, envolvendo pessoas que consumiram carne de marmota. Os doentes em ambos os casos também estão em situação estável. Causada pela bactéria Yersinia pestis, a peste bubônica não é transmitida entre pessoas, mas pelo contato com pulgas infectadas, que costumam ser encontradas em roedores, como as marmotas e os ratos. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a peste bubônica é fatal em cerca de 30% a 60% dos casos não tratados. Durante a Idade Média, devido à precariedade das condições sanitárias, pelo menos 70 milhões de europeus, um terço da população do continente, morreu pela doença. A OMS chegou a classificar a “peste” — classificação que envolve a peste bubônica e uma outra doença semelhante chamada peste pneumônica — como uma infecção re-emergente em 2018 depois de 3.248 casos, incluindo 584 mortes, terem sido reportados em todo o mundo entre 2010 e 2015.

07 Jul 2020 - 13:30h

De acordo com dados do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), o Brasil atingiu nesta segunda-feira, 6, a marca de 1.623.284 casos confirmados de infecção pelo novo coronavírus e 65.487 óbitos em decorrência da doença. Apenas nas últimas 24 horas, foram 20.229 novos diagnósticos positivos e 620 mortes. Os números foram confirmados pelo Ministério da Saúde. De acordo com a Veja, o país registrou uma redução de 10,4% no número de óbitos e queda de 15,9% no de infecções em relação à última segunda-feira, 29. Neste dia, o painel do governo apontava para 24.052 novos registros e 692 novos óbitos em um dia. A incidência de Covid-19 em todo o país é de 772,5 pessoas a cada 100 mil habitantes, com taxa de mortalidade de 31,2 por 100 mil habitantes. São Paulo é o estado com mais casos registrados (323.070), seguido por Ceará (122.477) e Rio de Janeiro (121.879).

07 Jul 2020 - 07:30h

Desde que o novo coronavírus começou a dar sinais de que não era, afinal, só uma “gripezinha”, grupos de cientistas e a Organização Mundial da Saúde (OMS) entraram em conflitos de ideias com o intuito de buscar entender as formas de transmissão da Covid-19. No começo da pandemia, o órgão foi criticado por demorar a oficializar o uso de máscaras. Mais recentemente, um membro da OMS afirmou que a transmissão por pessoas assintomáticas é rara, mas, diante de críticas de alguns infectologistas, voltou atrás e tratou o caso com um “mal-entendido”. Na próxima semana, um novo desacordo pode acontecer. Cerca de 239 especialistas de 32 países assinaram uma carta aberta que será veiculada na revista americana Clinical Infectious Diseases afirmando que o novo coronavírus está no ar, e que pode infectar as pessoas. O texto ainda pede que a OMS tenha um maior reconhecimento do papel da propagação aérea do Covid-19 e a necessidade de os governos implementarem medidas de controle. Entre elas estão: o uso de máscaras em lugares fechados e socialmente distantes, a minimização do ar de recirculação e a adição de filtros mais poderosos em sistemas de ventilações em escolas, residências, empresas e lares de idosos, além de luzes ultravioletas para matar partículas virais flutuando em pequenas gotas dentro de casa. Na atualização mais recente lançada sobre o coronavírus, no dia 29 de junho, a OMS, afirma que a transmissão aérea do vírus só é possível após procedimentos médicos que produzem aerossóis ou gotículas menores que 5 mícrons (Um mícron é igual a um milionésimo de metro) e que a transmissão entre pessoas acontece principalmente por meio de gotículas respiratórias e contato. Em entrevista ao jornal americano The New York Times, cientistas e consultores da OMS disseram que a OMS, apesar das boas intenções, está fora de sintonia com a ciência e que, principalmente, seu comitê de prevenção e controle de infecções é lento na atualização de orientações e está vinculado a uma visão rígida e excessivamente médica das evidências científicas.

06 Jul 2020 - 18:30h

O governador do estado de São Paulo, João Doria (PSBD), anunciou que os testes da CoronaVac, vacina desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac Biotech Co., Ltda em parceria com o Instituto Butantan, serão iniciados no dia 20 deste mês. A inscrição de interessados, que devem ser obrigatoriamente profissionais da saúde trabalhando no atendimento de pacientes com Covid-19, começam na próxima segunda-feira, 13. O cadastramento ocorrerá via aplicativo para celular a ser divulgado na próxima semana. Os participantes devem ter mais de 18 anos, não ter histórico de infecções pelo novo coronavírus, não participar de outros estudos do tipo, não estar grávida ou planejando engravidar nos primeiros três meses de estudo, não ter doenças que afetem a resposta imune nem outras alterações que impeçam o cumprimento dos procedimentos do estudo, como transtornos mentais e distúrbios de coagulação. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou os testes na sexta-feira, 3. As análises devem ocorrer com 9.000 voluntários em São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Paraná, além do Distrito Federal. De acordo com o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, a empresa farmacêutica tem capacidade de produzir 100 milhões doses até setembro.  Até o fim do ano, diz Covas, a empresa poderá chegar até 500 milhões de doses. O acordo preliminar prevê 60 milhões de doses para o Brasil, caso a vacina prove sua efetividade.

06 Jul 2020 - 08:30h

Com unidade em Brumado, o Laboratório Exame está realizando teste de sorologia para Covid-19. Vale salientar que a coleta é feita apenas por meio de agendamento através dos telefones (77) 3441-9286 e (77) 99991-5757. O exame detecta a presença de Anticorpos IgM e IgG em pessoas que foram expostas ao vírus SARS-CoV-2. A pesquisa deve ser realizada após o décimo dia de sintomas, quando o teste passa a ter uma sensibilidade maior. O exame é realizado pela metodologia de Quimioluminescência (CLIA), que são testes imunológicos capazes de detectar os níveis dos anticorpos IgM e IgG em amostras de sangue venoso do paciente e apresenta maior sensibilidade quando comparado a um teste rápido.

06 Jul 2020 - 07:30h

Em Brumado, o Neo Odonto - Núcleo de Estética Oral possui convênio com vários planos de saúde a fim de oferecer as melhores condições de pagamento aos seus pacientes. O consultório trabalha com serviços de prótese dentária, limpeza, tratamento de canal, extração, clareamento dental, aparelho dental, lentes de contato e restauração. Faça a sua avaliação agora mesmo e agende o seu tratamento. O Neo Odonto fica localizado na Rua Coronel Paulino Chaves, 499, no centro. Para maiores informações, ligue: (77) 3441-9262 / (77) 99702-3049 (WhatsApp).

03 Jul 2020 - 17:50h

Uma pesquisa feita pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel) em parceria com o Ministério da Saúde apontou que 91% das pessoas com Covid-19 apresentaram pelo menos um sintoma da doença. Segundo o coordenador da pesquisa e reitor da UFPel, Pedro Hallal, esta é maior novidade do estudo, justamente por dar pistas de como identificar pessoas que entrar em contato com o novo coronavírus. Das 2.000 pessoas consultadas com diagnóstico positivo para Covid-19 na análise, mais de 62,9% tiveram alteração de olfato e paladar, 62,2% tiveram dor de cabeça, 56,2% relataram febre, 53,1% tiveram tosse e 52,3% informaram dores no corpo. “Isso é bom para as autoridades locais desenvolverem protocolos para identificar os sintomas, mas não quer dizer que cada uma delas necessitará de atendimento hospitalar”, ponderou Hallal. Na distribuição por idade, a investigação mostrou que crianças pegam o vírus na mesma proporção do que pessoas mais velhas, embora os mais novos tenham menos risco de evolução para quadro grave. Em relação à transmissão dentro das famílias, o estudo trouxe resultados diferentes de outras pesquisas acadêmicas. Foram encontrados 39% de positivos, enquanto na literatura acadêmica sobre o tema a média é de 20%. Os autores verificaram também o distanciamento social. As pessoas que saíram diariamente aumentaram de 20,2% para 26,2% entre a primeira e terceira fases da análise. Da mesma forma, o contingente que relatou ficar sempre em casa diminuiu de 23,1% para 18,9% entre a primeira e a última fase. O estudo encontrou uma média de 3,8% de infecção nas últimas três etapas na qual foram avaliadas 90.000 pessoas. Na primeira fase, no meio de maio, o índice era de 1,9%. O percentual aumentou para 3,1% na segunda fase. A diferença entre pessoas que tiveram anticorpos detectados e os casos notificados foi de 6 vezes na última etapa. Na análise por nível socioeconômico, há diferenças. Os 20% mais pobres da população têm o dobro da infecção dos que os 20% mais ricos da população.

03 Jul 2020 - 10:30h

De acordo com o Ministério da Saúde, o Brasil tem nesta quinta-feira, 2, 1.496.858 casos confirmados de infecção por coronavírus e 61.884 óbitos. Apenas nas últimas 24 horas, foram 48.105 novos casos e 1.252 mortes. De acordo com a Veja, os casos e mortes acumulados na última semana (entre 26 de junho e 2 de julho) totalizaram 268.744 casos e 6.913 óbitos. Isso representa uma queda de 4,3% no número de mortes, mas um aumento de 7,5% nos diagnósticos em comparação aos sete dias anteriores (entre 19 e 25 de junho) quando foram registrados 249.912 casos e 7.223 mortes. A incidência de Covid-19 em todo o país é de 712,3 pessoas a cada 100 mil habitantes. A taxa de letalidade está em 4,1% e taxa de mortalidade de 29,4 por 100 mil habitantes. Há ainda 852.816 (57%) pessoas recuperadas e outras 582.158 (38,9%) em acompanhamento.

03 Jul 2020 - 07:30h

As imunoglobulinas são glicoproteínas produzidas e secretadas pelos plasmócitos, que são a forma ativa dos linfócitos B. Elas são extremamente importantes na resposta imunológica adaptativa humoral e podem estar solúveis no sangue e outros fluídos ou na membrana celular dos linfócitos B. Elas são divididas em 5 categoria: IgG, IgM, igE, igA e IgD. Cada subtipo de imunoglobulinas possui uma função específica no organismo e age sobre um respectivo antígeno, e hoje vamos falar sobre a IgG e IgM. O IgM é o anticorpo da fase aguda da infecção, é a primeira defesa do corpo contra vírus e bactérias nocivos ao organismo. Ter um resultado do exame do novo Coronavírus IgM reagente, sugere, portanto, que o paciente está infectado pelo vírus e que o organismo dele está lutando contra a infecção. O resultado IgM reagente e IgG não reagente sugere fase inicial da infecção. O IgG também reagente indica que você está produzindo os anticorpos que conferem a imunidade a longo prazo, no entanto, como a Covid-19 é uma infeção nova, não sabemos quanto tempo dura essa imunidade. Novas informações sobre a Covid-19 estão surgindo constantemente, portanto é importante se manter atualizado.

02 Jul 2020 - 08:30h

Com unidade em Brumado, o Laboratório Exame está realizando teste de sorologia para Covid-19. Vale salientar que a coleta é feita apenas por meio de agendamento através dos telefones (77) 3441-9286 e (77) 99991-5757. O exame detecta a presença de Anticorpos IgM e IgG em pessoas que foram expostas ao vírus SARS-CoV-2. A pesquisa deve ser realizada após o décimo dia de sintomas, quando o teste passa a ter uma sensibilidade maior. O exame é realizado pela metodologia de Quimioluminescência (CLIA), que são testes imunológicos capazes de detectar os níveis dos anticorpos IgM e IgG em amostras de sangue venoso do paciente e apresenta maior sensibilidade quando comparado a um teste rápido.

02 Jul 2020 - 07:30h

Em Brumado, o Neo Odonto - Núcleo de Estética Oral possui convênio com vários planos de saúde a fim de oferecer as melhores condições de pagamento aos seus pacientes. O consultório trabalha com serviços de prótese dentária, limpeza, tratamento de canal, extração, clareamento dental, aparelho dental, lentes de contato e restauração. Faça a sua avaliação agora mesmo e agende o seu tratamento. O Neo Odonto fica localizado na Rua Coronel Paulino Chaves, 499, no centro. Para maiores informações, ligue: (77) 3441-9262 / (77) 99702-3049 (WhatsApp).

01 Jul 2020 - 15:30h

Nos últimos meses, diversos pesquisadores vêm desenvolvendo tecidos capazes de inativar a quantidade de Sars-Cov-2, vírus responsável por causar a Covid-19, em suas superfícies. No início de junho, uma pesquisa brasileira ganhou destaque pela eficácia. A Nanox, uma Startup que já produzia tecidos que evitam a proliferação de fungos e bactérias, desenvolveu um tecido composto por poliéster, algodão e duas micropartículas de prata em busca de combater o vírus. O produto foi mandado para testes ao Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (ICB-USP) e, em parceria com a Universitat Jaume I, da Espanha, e com o Centro de Desenvolvimento de Materiais Funcionais (CDMF) da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), foi comprovado que a composição do tecido inativa até 99,9% de SARS-CoV-2 em dois minutos de contato. De acordo com o G1, na Suíça, um estudo semelhante ao realizado em São Paulo comprovou a mesma eficácia no início de junho em testes com máscaras faciais.

01 Jul 2020 - 14:30h

Em meio a uma base de dados composta por 50 mil moléculas, um grupo de pesquisadores de diversos países busca a solução para combater a ação do vírus que mudou todo o mecanismo social do mundo nos últimos meses: o SARS-CoV-2 ou Coronavírus da Síndrome Respiratória Aguda Grave 2. A proposta é encontrar a composição capaz de bloquear a replicação viral do causador da Covid-19 no corpo humano. Para isso, pesquisadores da Uesb e de outras instituições têm utilizado ferramentas computacionais capazes de comparar as moléculas das drogas antivirais com moléculas naturais. A partir desse comparativo, é possível detectar as combinações mais parecidas que conseguirão combater a principal enzima do vírus em estudo, a Mpro. “A pesquisa com a Covid-19 vem da necessidade e do dever de ajudar a ciência dentro da nossa linha de pesquisa. Assim que os primeiros casos surgiram no Brasil, nós começamos a trabalhar nesse projeto e, hoje, já temos vários outros trabalhos em curso”, conta o coordenador da pesquisa, Bruno Andrade, professor do Departamento de Ciências Biológicas da Uesb. Segundo ele, não é possível dissociar o uso da Bioinformática quando se busca encontrar novos fármacos: “todos os programas e técnicas são validados e extremamente confiáveis, inclusive são os mesmos utilizados pelas grandes indústrias farmacêuticas para o desenvolvimento de drogas”, esclarece. Em andamento, o estudo já reduziu muito esse número e finaliza a primeira etapa com 12 moléculas que apresentam maior potencial para testes in vitro e in vivo – testes laboratoriais e em células vivas, respectivamente. Agora, o estudo segue para a etapa dos testes computacionais adicionais com as moléculas. “Vamos sugerir os testes delas em células e em animais para que possam passar para as etapas com humanos”, conta Andrade. Os testes in vitro serão feitos no Laboratório de Virologia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), e os primeiros resultados devem ser obtidos a partir do segundo semestre deste ano.

01 Jul 2020 - 10:30h

A Gilead Sciences, laboratório responsável pelo desenvolvimento do medicamento antiviral remdesivir, anunciou na segunda-feira, 29, os valores a serem praticados para doses da droga nos Estados Unidos. De acordo com um comunicado da empresa, o fármaco terá o custo de 390 dólares por frasco, algo em torno de 2 119 reais na cotação atual. De acordo com a Veja, considerando os padrões atuais, é esperado que a maioria dos pacientes receba um tratamento ministrado em cinco dias, onde serão utilizados seis frascos do produto injetável, o que totalizaria 2340 dólares (12.716 reais, na cotação atual). Este valor aplica-se a entidades governamentais. Para venda em outros canais e para o seguro particular estadunidense, o preço deve ficar em aproximadamente 520 dólares por dose, 3120 dólares para todo o tratamento. O comunicado ressalta que a empresa reduziu o valor a um nível acessível para países desenvolvidos, incluindo os Estados Unidos, onde a droga é estudada. Em relação aos países em desenvolvimento, a Gilead diz que fará parcerias com empresas de medicamentos genéricos para oferecer o produto a um custo mais baixos. “Essas soluções alternativas são projetadas para garantir que todos os países do mundo possam fornecer acesso ao tratamento”, diz o comunicado. O remdesivir está na vanguarda da luta contra o novo coronavírus desde que a droga ajudou a reduzir o tempo de recuperação hospitalar em um ensaio clínico com pacientes graves.