Brumado: Coordenador de enfermagem esclarece monitoramento de triagem e prioridade para pacientes especiais

10 Ago 2020 - 00:00h

Na última semana, a mãe de uma criança autista reclamou da falta de prioridade no atendimento do Hospital Municipal Professor Magalhães Neto, em Brumado (veja aqui). Em entrevista ao site Achei Sudoeste, Gleison dos Santos Ferreira, coordenador de enfermagem da unidade de saúde, explicou que o fluxo de atendimento no hospital compreende a passagem de todos os pacientes da recepção para a triagem. Nesta, os pacientes passam por uma classificação de risco conforme a gravidade do quadro de saúde do mesmo. “Na triagem são aferidos os sinais vitais e são escutadas as queixas dos pacientes. Passando pela enfermeira onde foram classificados os riscos, o paciente vai aguardar o atendimento médico. O serviço da triagem é muito importante para humanização, organização e equidade”, afirmou. Ele frisou que, dentro da classificação de risco, são enquadradas as prioridades: gestantes, idosos e pessoas com necessidades especiais. No que se refere ao caso da criança autista, o coordenador disse que o médico atestou, posteriormente, que o quadro de saúde do paciente realmente não demandava urgência. “A criança foi atendida pela médica, sendo liberada após uso de medicação oral. A gente só consegue priorizar essas pessoas dentro da classificação de risco”, completou.

Comentários

Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

mais notícias