Brumado: Recomendação para suspender flexibilizações de serviços não essenciais pode virar ação judicial

22 Mai 2020 - 00:00h

A Defensoria Pública Estadual (DPE) recomendou ao Município de Brumado a suspensão dos decretos de flexibilização dos serviços considerados não essenciais (veja aqui). Em entrevista ao site Achei Sudoeste, a Defensora Pública Maiara Pereira destacou que o cenário epidemiológico vivido hoje no país não permite a reabertura do comércio e a circulação em massa das pessoas. “Infelizmente, esse não é o momento ainda de as pessoas retomarem a sua rotina. É um cenário preocupante! Essas medidas de flexibilização do funcionamento do comércio vão completamente de encontro às adotadas nos demais países”, afirmou. Para Pereira, o prefeito Eduardo Lima Vasconcelos (PSB) e o secretário municipal de saúde, Cláudio Feres, terão de rever as medidas com parcimônia. “Foi só reabrir o comércio que surgiram mais 3 casos de coronavírus na cidade. É preciso que o município faça um estudo epidemiológico responsável e uma abertura gradual do comércio. Antes de fazer isso, a população precisa ser educada”, completou. A recomendação, conforme adiantou, pode se transformar em uma ação civil pública caso medidas de contenção mais rígidas não sejam adotadas.

Comentários

Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

mais notícias