Papa Francisco: “Homossexuais não devem ser julgados ou marginalizados”

29 Jul 2013 - 16:40h

Nesta segunda-feira (29), o Papa Francisco fez grandes afirmações ao conversar com jornalistas dentro do avião que o levou de volta para Roma. A primeira delas, que deve chocar muitos, é sobre os homossexuais. O pontífice declarou que, segundo o Catecismo da Igreja Católica, tal orientação não é pecado, mas os atos homossexuais sim. “Se uma pessoa é gay e procura Deus e a boa vontade divina, quem sou eu para julgá-la?”, falou. Para o papa, os homossexuais não devem ser marginalizados por causa disso, mas sim ser integrados à sociedade. “O problema não é ter essa orientação. Devemos ser irmãos. O problema é fazer lobby por essa orientação, ou lobbies de pessoas invejosas, lobbies políticos, tantos lobbies”, argumentou. Falando sobre o chamado 'lobby gay' do Vaticano, Francisco brincou dizendo que não viu ainda ninguém no Vaticano com um documento de identidade afirmando ser gay. Outro comentário do pontífice foi sobre as mulheres no exercício do sacerdócio, que é uma proibição definitiva da Igreja Católica. 

Comentários

Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.


Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Achei Sudoeste. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.

Deixar comentário

Comentário

mais notícias