Defensora pública diz que Brumado está agindo em completa dissonância com a realidade do estado

04 Jun 2020 - 07:00h

Após os decretos de flexibilização autorizando a reabertura do comércio, o município de Brumado registrou 32 novos casos do novo coronavírus – são 3 pacientes internados e mais de 1 mil notificações suspeitas. A Defensoria Pública ajuizou ação para obrigar o Município a recuar nos decretos de flexibilização do comércio, passando a autorizar somente o funcionamento dos serviços essenciais, porém o pedido foi negado em primeira instância. Para a defensora pública Maiara Pereira, de forma pioneira, Brumado flexibilizou serviços, como cultos e restaurantes, que se enquadram nas últimas fases de reabertura. “São serviços que têm uma potencialidade muito grande de aglomerar pessoas. Brumado anda completamente na contramão de tudo que está sendo visto. Em termos de população, Brumado é uma das cidades da Bahia com mais casos. É totalmente dissonante da realidade no estado”, criticou. Pereira defende uma paralisação mínima de 15 dias de todas as atividades não essenciais a fim de conter a propagação do vírus na cidade. “Estou muito assustada. Tenho a impressão que Brumado é uma bomba que está prestes a explodir”.

Comentários

Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixar comentário

Comentário

mais notícias