Jazidas de alumínio e cobalto podem gerar mais de 14 mil empregos na região de Caculé

13 Jun 2020 - 19:00h

O geólogo e empresário João Carlos de Castro Cavalcanti, o JC, anunciou que pesquisas indicam a existência de jazidas de alumínio e cobalto na região de Caculé, a 100 km de Brumado. Segundo o presidente da CVP-BA (Companhia Vale do Paramirim), a exploração do minério deverá gerar cerca de 14 mil empregos na região, que envolve as cidades de Caculé, Licínio de Almeida e Caetité. De acordo com o Informe Cidade, nascido em Caculé no final da década de 40, JC se formou pela Escola de Geologia com extensão em Engenharia de Minas da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e se tornou um dos maiores nomes no ramo de exploração mineral, sendo conhecido como o “farejador de minérios”. JC foi definido pelo jornal americano The New York Times como o "geólogo que fala com o cosmo", descobertas estas que lhe renderam fortuna e notoriedade internacional.

Segundo o geólogo, o processo ainda está em fase inicial onde, até então, foram feitas a topografia e o mapeamento geológico do local. “Ainda estamos no começo dos estudos e precisamos fazer agora a sondagem da jazida pra verificar a qual profundidade está o minério. A última fase é a exploração, que, caso ocorra, ainda levará cerca de 5 a 6 anos”. disse. JC finalizou a entrevista dizendo que “a CVP-BA deverá gerar, principalmente na região sudoeste, milhares de empregos diretos e indiretos, trazendo como benefício para o estado a arrecadação de impostos (municipal, estadual e federal), continuando nos próximos anos com o seu programa de prospecção e exploração mineral, ampliando o conhecimento geológico e mineiro dos recursos já identificados e buscando novas descobertas”.

Comentários

Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.


Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Achei Sudoeste. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.

Deixar comentário

Comentário

mais notícias